Virtude da Fortaleza

A virtude da fortaleza exige decisão, coragem, generosidade e constância

Iniciamos os comentários da terceira virtude cardeal dessa série

Essa virtude, que se chama força de alma, força de caráter ou virilidade cristã é uma virtude moral, sobrenatural, que robustece a alma na conquista do bem árduo, sem se deixar abalar pelo medo, nem sequer pelo temor da morte.

O seu objeto é trabalhar especificamente na constância e firmeza de prática do bem, transformar o temor em audácia e força contra a temeridade e a tibieza.

A virtude da fortaleza exige decisão, coragem, generosidade e constância

Foto Ilustrativa: Wesley Almeida/cancaonova.com

Os seus atos se reduzem a dois princípios: empreender e tolerar coisas difíceis. Permanecer firme contra os obstáculos que, constantemente, surge no caminho da perfeição. Não os temer e avançar contra eles exige decisão, coragem, generosidade e constância. É preciso também saber tolerar, por Deus, as numerosas e árduas provações que Ele nos envia, os sofrimentos, as doenças e zombarias, as calúnias de que somos vítimas. Quem aguenta costuma ser mais forte do que quem ataca.

Graus da virtude da fortaleza

Primeiramente, é preciso lutar, corajosamente, contra os diversos temores que se opõem ao cumprimento do dever, o temor da fadiga e perigo. Todos os bens celestes devem nos ser preferíveis aos bens terrenos. Donde é preciso sacrificar generosamente as fortunas, a saúde, a reputação e a vida em troca da graça! Portanto, o pecado deve ser evitado a todo custo, mesmo que todos os males temporais desabem sobre nós.

O temor das críticas e zombarias ou o respeito humano nos levam a descuidar do nosso dever por medo dos juízos desfavoráveis que se farão de nós, das ameaças contra nós, das injúrias e injustiças de que seremos vítimas.

O temor de desagradar aos amigos seria uma vã popularidade. A aprovação de Deus deve ser maior que a aprovação dos homens.

Mais para frente, é preciso procurar exercitar a parte positiva da virtude da fortaleza, esmerando-se por imitar a força de alma de que Jesus Cristo nos deu exemplo durante a vida.

Leia mais:
.: Conheça, reflita e se aprofunde sobre a virtude da prudência
.: Qual é o sentido que devemos dar à justiça na nossa vida?
.: Qual é a natureza da virtude da religião para nós cristão?
.: Você sabe o que são e como adquirir as virtudes morais?

Essa virtude aparece na sua vida oculta: abraça a pobreza, a mortificação e a obediência no exílio, ficando em silêncio por trinta anos, ensinando-nos a santificar as ações mais ordinárias e de nos inspirar o amor da humildade.

Na sua vida pública: nos longos jejuns, nas vitórias constantes contra o demônio, na sua pregação firme contra os preconceitos judaicos, no sacrifício e abnegação, nas denúncias contra os doutores da lei, por fugir da popularidade, na formação dos apóstolos, na decisão de subir para Jerusalém sabendo do sofrimento e dor, humilhação e morte.

Na Sua Paixão: na agonia dolorosa, onde ainda ora pelos seus inimigos, na serenidade, silêncio diante das injustiças e nos julgamentos, na paciência durante os suplícios e as zombarias. Na serena expiação onde se entrega nas mãos do Pai. Uma
paciência imperturbável nas mais duras provações.

Aqui, há o suficiente para muita meditação. Modelos para nos fazer viver seu exemplo nas menores situações de nossa vida.

Existe, assim como nas demais virtudes cardeais já comentadas, virtudes anexas à da fortaleza, que a detalham e a compõem. As veremos nos próximos artigos, assim como também, os meios de os aperfeiçoar. Permaneça conosco e atente-se às publicações.


Roger de Carvalho

Roger de Carvalho, natural de Brasília – DF, é membro da Comunidade Canção Nova desde o ano 2000. Casado com Elisangela Brene e pai de dois filhos. É estudante de Teologia e Filosofia.
Autor do blog “Ad Veritaten“.

Evite nomes e testemunhos muito explícitos, pois o seu comentário pode ser visto por pessoas conhecidas.