SACRAMENTOS

Como restabelecer a intimidade com Deus a partir dos sacramentos?

Princípio da sabedoria é a busca de Deus

Santo Agostinho pôde constatar que, no início da cristandade, existia uma dificuldade em níveis morais, intelectual e espiritual. Ao mesmo tempo, temos o Concílio Vaticano II que, percebeu a crise do homem moderno e procurou meios para trazer as pessoas de volta, incluindo o chamado à busca da sabedoria. Princípio da sabedoria é a busca de Deus. Para isso, existe uma receita para a vivência de uma vida santa, mas como estamos em crise, foi-se decaindo a percepção da consciência do pecado. E, o primeiro passo para iniciar-se um caminho espiritual é o de permanecer em estado de graça. É possível reaver esse relacionamento com Deus, rompido com o pecado original.

Foto ilustrativa: Wesley Almeida / cancaonova.com

Com a vinda de Jesus e por meio d’Ele, Deus cria os meios de restabelecer essa intimidade. E isso se dá por meio dos sacramentos:
– Batismo;
– Crisma;
– Eucaristia;
– Penitência;
– Matrimônio;
– Ordem;
– Unção dos Enfermos.

Os sacramentos são sinais sensíveis (palavras e ações) acessíveis à nossa humanidade atual. Realizam eficazmente a graça que significam, em virtude da ação de Cristo e pelo poder do Espírito Santo (Cf.CIC 1084).

Vejam, o diploma não faz de uma pessoa um médico; o que realmente a faz capaz, são os vários anos de estudo e disciplina. O diploma funciona somente como um sinal da aprovação do aluno que estudou e foi aprovado em medicina. Os sacramentos em si são símbolos daquilo que representam. Por exemplo, o batismo é o símbolo do banho, de uma lavagem espiritual que o cristão necessita da sujeira do pecado. E, o batismo, realmente faz isso! Ele nos purifica de todo o pecado e nos faz capazes de alcançar essa ligação íntima, perdida no Édem.

A Eucaristia simboliza o sacrifício do cordeiro, o altar é o lugar do sacrifício e, ao mesmo tempo, o altar é a mesa do banquete festivo do céu. De fato, a Eucaristia alimenta a nossa alma.

O sacramento da confirmação, ou crisma, trás o batismo do Espírito Santo na vida do cristão. O mesmo que ocorreu nos Atos dos Apóstolos, capítulo 2.

O sacramento do matrimônio simboliza a aliança entre Deus e os homens. Esse sacramento deve ser vivido dentro de uma dimensão de doação entre os cônjuges, semelhante ao amor e doação do próprio Deus para com seus filhos e a própria Igreja. Ele entregou-se em sacrifício de amor por ela, sem nenhuma reserva.

O sacramento da penitência simboliza um julgamento. Ali o “réu” se acusa dos próprios pecados. No entanto, essa confissão dos “crimes cometidos”, ao invés de conduzir à condenação, faz alcançar a Misericórdia Divina.

Leia mais:
::Os sacramentos foram instituídos por Deus
::Os sacramentos são fontes de bênçãos para nossa vida
::A oração é um caminho de intimidade com o Senhor
::A intimidade com Deus alimenta a vida religiosa?

O que são os sacramentos?

Os sacramentos são os meios, criados pelo Senhor Jesus, para Ele infundir a graça santificante na alma da pessoa. Eles restauram a graça de Deus uma vez alcançada ou a cria, pela primeira vez, no
coração da pessoa. Essa graça de Deus trabalha como um organismo, um organismo sobrenatural, e a finalidade desse organismo é a de nos aproximar, cada vez mais, da filiação divina, da união mais íntima possível, entre Deus e o homem.

Existem várias formas de se trabalhar e de aumentar a graça de Deus no nosso interior, e uma dessas formas é a vivência correta dos sacramentos. A Igreja é a “carpintaria” de Jesus; os sacramentos são as ferramentas das quais Jesus se utiliza para operar em nós: o crescimento da graça santificante. Uma das graças específicas do sacramento da eucaristia, é a de aumentar o amor em nós. É fazer o nosso amor crescer, sobrenaturalmente, e se transformar em atos perfeitos. Já, a graça específica do sacramento da reconciliação, é a de fortalecer o penitente da luta contra o pecado e restaurar a intimidade com Deus.

Conteúdo baseado nas aulas do autor do site www.cristianismo.org.br


Roger de Carvalho

Roger de Carvalho, natural de Brasília – DF, é membro da Comunidade Canção Nova desde o ano 2000. Casado com Elisangela Brene e pai de dois filhos. É estudante de Teologia e Filosofia.
Autor do blog “Ad Veritaten“.

Evite nomes e testemunhos muito explícitos, pois o seu comentário pode ser visto por pessoas conhecidas.