Igreja e Reino de Deus

O Concílio Vaticano II ensina que o Reino de Deus se identifica com a Igreja.
“A Igreja recebe a missão de anunciar e estabelecer em todas as gentes o Reino de Cristo e de Deus, e constitui ela própria na terra o germe e o início desse Reino” (LG, 5).

Portanto, Cristo fundou a Igreja sobre Pedro e os Apóstolos para que ela fosse a “semente” do Reino de Deus, que Ele veio inaugurar entre os homens. Sem a Igreja não pode haver, então, o Reino de Deus.
As próprias imagens são sinais que Jesus usou para revelar a Igreja, e mostram a sua natureza íntima e a sua missão.

Na “plenitude dos tempos” (Gal 4,4), Deus enviou o seu Filho ao mundo para realizar o plano da salvação. Esta é a Missão de Jesus, porque o Pai quis “restaurar todas as coisas em Cristo” (Ef 1,10). Para cumprir a vontade do Pai, Jesus inaugurou na terra o Reino dos Céus, através da instituição da Igreja e do anúncio do Evangelho.

“A Igreja, diz o Concílio, reino de Cristo já presente em mistério, cresce visivelmente no mundo pelo poder de Deus…” (LG 3).

Note bem que com esta expressão o Concílio identifica a Igreja com o Reino de Cristo, já presente neste mundo em mistério.
Jesus iniciou a Igreja pregando a Boa Nova, a Boa Notícia, isto é, a “chegada do Reino de Deus” aos homens, prometido nas Escrituras havia séculos. “Os tempos estão cumpridos, e o Reino de Deus está iminente” (Mc 1,15).

Pela presença de Jesus, por suas palavras e por seus milagres, o Reino de Deus começa a surgir entre os homens.
“Mas, se Eu expulso os demônios pelo dedo de Deus, é que chegou até vós o Reino de Deus” (Lc 11,20; Mt 12,28).

O germe e o começo do Reino é aquele “pequeno rebanho” que Jesus chamou para viver com Ele e dos quais se tornou Pastor.
“Não temas, pequeno rebanho, porque foi do agrado de nosso Pai dar-vos o Reino” (Lc 12,32).

É nesse “pequeno rebanho” de discípulos que surge a Igreja destinada a ser a “família de Deus” (Ef 2,20). Era a família de Jesus, que ele cuidou como o bom Pastor. “Eu sou o bom Pastor. Conheço as minhas ovelhas e as minhas ovelhas conhecem a mim” (Jo 10,14).

Ela é comparada pelo Senhor a um redil, cuja porta única e necessária é Cristo.
“Em verdade eu vos digo: eu sou a porta das ovelhas… Se alguém entrar por mim será salvo” (Jo 10,8-9).
A Igreja é o rebanho de Deus; Ele mesmo é o seu Pastor. Embora seja guiado por pastores humanos, no entanto, são conduzidos e alimentadas pelo próprio Cristo.


Felipe Aquino

Professor Felipe Aquino é viuvo, pai de cinco filhos. Na TV Canção Nova, apresenta o programa “Escola da Fé” e “Pergunte e Responderemos”, na Rádio apresenta o programa “No Coração da Igreja”. Nos finais de semana prega encontros de aprofundamento em todo o Brasil e no exterior. Escreveu 73 livros de formação católica pelas editoras Cléofas, Loyola e Canção Nova. Página do professor: www.cleofas.com.br Twitter: @pfelipeaquino

Evite nomes e testemunhos muito explícitos, pois o seu comentário pode ser visto por pessoas conhecidas.