Reflexão

Luz da Fé: Somos cooperadores de Deus

Somos cooperadores de Deus e do seu Reino

O Catecismo da Igreja Católica, do número 306 ao número 308, traz-nos o seguinte ensinamento: Eis uma verdade inseparável da fé em Deus Criador: Deus age em todo o agir de suas criaturas.

Nesse trecho do Catecismo da Igreja é abordado o tema da Providência e as causas segundas. E quando a Igreja fala a respeito das “causas segundas”, trata-se de cada um de nós. Deus é a causa primeira que opera nas causas segundas e por meio delas.

Foto ilustrativa: Andréia Britta / cancaonova.com

Podemos pegar como exemplo bem prático dessa realidade alguém que está passando por alguma necessidade material, alguém que está sem alimentos dentro de casa. Daí, surge uma outra pessoa que traz uma cesta básica nas mãos e entrega para esse necessitado. A pessoa que fez esse gesto de caridade (dar a cesta básica) foi causa segunda da ação de Deus (causa primeira) na vida daquela pessoa faminta. Deus providenciou o alimento para ela, mas para isso quis contar com alguém de bom coração para praticar esse gesto de caridade. E o que Deus faz? Ele inspira essa pessoa de bom coração, Ele a impulsiona a realizar tal gesto de bondade.

Cooperadores de Deus e do Seu Reino

Interessante é que, nesse trecho do Catecismo da Igreja, do nº 306 ao nº 308, vemos bem essa realidade da cooperação: Deus não somente dá às suas criaturas o existir, mas também a dignidade de agirem elas mesmas, de serem causas e princípios umas das outras, e de assim cooperarem no cumprimento de seu desígnio.

E ainda ensina: Cooperadores, muitas vezes inconscientes da vontade divina, os homens podem entrar deliberadamente no plano divino, por suas ações, por suas orações, mas também por seus sofrimentos. Tornam-se então plenamente “cooperadores de Deus” (I Cor 3,9) e do seu Reino.

Eu e você somos, portanto, cooperadores de Deus. A palavra “operar” é derivada do termo em latim opus, que significa trabalho. Portanto, cooperador é aquele que “trabalha junto”. Deus realiza o trabalho dele. E nós, como filhos e filhas de Deus, somos chamados a participar desse trabalho divino. Daí, a importância de nos conscientizarmos de que, diante da Divina Providência, somos essas causas segundas.

Monsenhor Jonas ensina

Em seu livro intitulado “Providência Divina – Considerai como crescem os lírios”, monsenhor Jonas Abib ensina algo muito importante, sobretudo, àqueles homens que são considerados “chefes de família”: O Senhor diz aos homens que realmente precisam ser responsáveis e trabalhar para colocar pão dentro de casa, mas precisam assumir o seu ser de criança e admitir que, por trás da “couraça”, existe um coração de menino. Os homens já perceberam que, na prática, os cálculos do mundo não funcionam, só que não têm coragem de se jogar nos braços do Pai e confiar na sua Providência.

A partir disso, Monsenhor Jonas vai nos ensinar a respeito dessa cooperação com o Deus que é providente: Aprendamos com o Senhor. Você não vai perder nada do seu ser de homem, de sua responsabilidade. Ao contrário! Você será mais responsável ainda, mas é preciso aprender que Deus é Pai, e abandonar-se nele, deixando o sistema do mundo. Repousemos em Deus nossa cabeça cansada de tanto calcular, de tanto planejar, de tanto buscar soluções. Depositemos nosso coração ansioso, preocupado, angustiado, no coração do Pai.

Leia mais:
.: Luz da Fé: A glória de Deus é o homem vivo
.: Luz da Fé: O mundo foi criado para a glória de Deus
.: Luz da Fé: As consequências da fé em Deus

E daí, Monsenhor Jonas conclui afirmando: O grande Santo Inácio de Loyola nos deixou uma máxima em sabedoria de viver como Deus quer: Trabalhar como se tudo dependesse só de nós, mas confiar como se tudo dependesse só de Deus.

Esse é o lema daquele que deseja cooperar com Deus. Ele entende que há uma parte que lhe cabe, uma parte que precisa ser realizada a partir da sua humanidade dentro dessa cooperação com o divino, e da mesma forma compreende também que tudo depende do Senhor.

O menino e a criada

Conta-se que um menino pobre encontrava-se com os pés descalços em pleno inverno europeu. Nevava do lado de fora daquela loja, cuja vitrine mostrava inúmeros pares de calçados. Uma jovem aproximou-se do menino que olhava fixamente para a vitrine e perguntou-lhe: “O que você faz parado nesse frio, menino?” E ele responde: “Estou pedindo ao Papai do Céu que me dê sapatos para aquecer meus pés”.

A jovem, então, questionou o menino: “Vamos ver se o Papai do Céu escutou o seu pedido?” E, imediatamente, levou-o para dentro daquela loja de calçados. Como aquela jovem era bem conhecida por todos que ali trabalhavam, ela pede que tragam uma bacia com água quente para lavar os pés daquela criança. Depois, coloca um par de meias bem quentinhas para aquecer os pés do menino e, por fim, escolhe para ele um belo par de calçados.

O menino, surpreso com tudo aquilo, mostrou-se visivelmente emocionado. A jovem demonstrou que ia se despedir do menino, quando é interrogada por ele com a seguinte pergunta: “A senhora é a Mãe de Jesus?”. Ao que ela responde com um sorriso: “Não sou a Mãe de Jesus, sou apenas a criada d’Ele”.

Como cooperadores de Deus, somos também criados de Deus. Estamos a seu serviço. Que, ao longo dessa semana, você possa parar e refletir: “No que eu posso ajudar concretamente aquele que necessita da minha ajuda?”.

Peça ao Espírito Santo essas inspirações para ser, cada vez mais, um cooperador de Deus.

Um forte abraço!

Assista ao programa:


Alexandre Oliveira

Membro da Comunidade Canção Nova, desde 1997, Alexandre é natural da cidade de Santos (SP). Casado, ele é pai de dois filhos. O missionário também é pregador, apresentador e produtor de conteúdo no canal ‘Formação’ do Portal Canção Nova.

Evite nomes e testemunhos muito explícitos, pois o seu comentário pode ser visto por pessoas conhecidas.