harmonia

Aprenda dez dicas para santificar o seu ambiente de trabalho

Nem sempre o ambiente do trabalho é um local de paz e harmonia

São Josemaria Escrivá sempre ensinou aos seus filhos que todo trabalho é um local oportuno para estar mais próximo de Deus e dos irmãos: “Santificar o trabalho próprio não é uma quimera, mas missão de todo o cristão; tua e minha”. Por isso, é importante entender as dez dicas para santificar o trabalho.

Aprenda dez dicas para santificar o seu ambiente de trabalho

Foto ilustrativa: Daniel Mafra/cancaonova.com

Sabemos que, nem sempre o ambiente do trabalho é um local de paz e harmonia. Muitos são os conflitos nas fábricas, nos escritórios, hospitais. Seguem 10 dicas para que seu trabalho seja santificado:

1 – Realizar com amor suas tarefas

Não basta apenas executar uma tarefa, ela precisa ser realizada com amor. Seu salário é fruto do seu trabalho e outras pessoas são destinatárias dele. O seu amor dará qualidade ao que for executado. Quando uma atividade é realizada com amor, os frutos são de bênçãos.

2 – Ser educado com todos

A educação é um valor universal. Pessoas frustradas geralmente descarregam suas insatisfações pessoais sobre os colegas de trabalho. Quer ser tratado com educação e respeito no ambiente de trabalho? Comece a observar como você tem tratado as pessoas. Se você as respeita, mas elas não o respeitam, então, o problema não está com você, mas com elas.

3 – Saber silenciar

O silêncio é amigo dos sábios. No ambiente de trabalho, muitas vezes, é necessário exercitar o silêncio diante de situações complexas que não precisam ser alimentadas pela força das palavras. Silenciar-se é tão terapêutico quanto o falar.

4 – Não fofocar

A fofoca é a erva daninha nas empresas. O respeito à pessoa do outro é fundamental. Se não gostamos de determinada atitude de alguém no ambiente de trabalho, devemos procurar essa pessoa e conversar diretamente com ela. Fofoca destroem pessoas, amizades e empresas.

5 – Seu salário é fruto do seu trabalho

O salário que você recebe no fim do mês é fruto do seu suor. Ninguém é obrigado a ganhar o seu salário por você. Muitos se acomodam e deixam sobrecarregados seus colegas. Nenhuma empresa é obrigada a pagar por um serviço que não está sendo executado.

Leia mais:
::Dicas de como lidar com pessoas difíceis no trabalho
::A espiritualidade pode ajudar na produtividade das empresas?
::Viramos escravos da própria carreira?
::Os perigos da autoconfiança excessiva no trabalho

6 – Colaborar com os colegas

Muitos são aqueles que trabalham apenas pensando em si mesmos e não colaboram com os novos colegas que chegam. Colaborar, ajudar, partilhar é um ato de amor e um testemunho cristão. Ontem você estava no lugar de quem hoje chegou.

7 – Ser misericordioso com o próximo

A misericórdia é um gesto de amor ensinado por Jesus. Antes de julgar devemos ajudar. Toda pessoa é fruto da história de uma vida. Jesus sabia muito bem dessa verdade, por isso não se prendia a rótulos, mas ao coração de cada um que d’Ele se aproximava.

8 – Perdoar as faltas alheias

O perdão é dádiva divina. Uma vez que perdoamos alguém, libertamos nossa alma dos sentimentos negativos associados à falta do perdão, e concedemos a nós mesmos a liberdade de caminharmos livres de tudo aquilo que nos aprisiona ao agressor.

9 – Aprender ouvir

Quem aprende a ouvir em silêncio é um promotor da paz. A palavra antes de ser pronunciadas, precisam ser geradas no silêncio da misericórdia.

10 – Orar

Animados, na força da oração, encontraremos o caminho para superar as dificuldades do trabalho e construir, dentro das empresas, lugares da paz e da misericórdia. Orar é alimentar a alma da presença do Senhor. Somente pode oferecer amor quem dele se alimenta diariamente.


Padre Flávio Sobreiro

Bacharel em Filosofia pela PUCCAMP e Teólogo pela Faculdade Católica de Pouso Alegre (MG), padre Flávio Sobreiro é vigário paroquial da Paróquia Nossa Senhora de Fátima, em Santa Rita do Sapucaí (MG), e padre da Arquidiocese de Pouso Alegre (MG). É autor do livro “Amor Sem Fronteiras” pela Editora Canção Nova. Para saber mais sobre o sacerdote e acompanhar outras reflexões, acesse: facebook.com/peflaviosobreiro

comentários