Reflexão

Luz da Fé: Por que o mal existe?

Desse mal com o qual nos deparamos, Deus é capaz de extrair um bem para as nossas vidas

O Catecismo da Igreja Católica, do número 309 ao número 314, traz-nos o seguinte ensinamento: Se Deus Pai todo-poderoso, Criador do mundo ordenado e bom, cuida de todas as suas criaturas, por que, então, o mal existe? Para essa pergunta tão premente quão inevitável, tão dolorosa quanto misteriosa, não há uma resposta rápida. É o conjunto da fé cristã que constitui a resposta a essa pergunta: a bondade da criação, o drama do pecado, o amor paciente de Deus que se antecipa ao homem por suas Alianças, pela Encarnação redentora de Seu Filho, pelo dom do Espírito, pelo congraçamento da Igreja, pela força dos sacramentos, pelo chamado a uma vida bem-aventurada, à qual, as criaturas livres são convidadas antecipadamente a assentir, mas da qual podem, por um terrível mistério, abrir mão também antecipadamente. Não há nenhum elemento da mensagem cristã que não seja, por uma parte, uma resposta à questão do mal.

Foto ilustrativa: Andréia Britta / cancaonova.com

O Catecismo da Igreja Católica procura, também, dar um passo adiante pela busca de uma resposta a essa inquietante pergunta: “Por que o mal existe?”. O CIC nos ensina que, desse mal com o qual nos deparamos, Deus é capaz de extrair um bem para a nossa vida e cita a seguinte passagem bíblica: “Sabemos que, para os que amam a Deus, tudo concorre para o bem” (Rm 8,28). O Catecismo, também, cita como exemplo daqueles que compreenderam bem essa realidade, os santos da Igreja, nossos amigos do Céu.

Testemunho: A cura do pequeno Frederico

Para ilustrar tudo isso, relato a você esse testemunho, um fato verídico, que a Irmã Emmanuel Maillard, da Comunidade das Béatitudes, conta com mais detalhes em seu livro “O Menino Escondido de Medjugorje”: Uma mulher chamada Sabina tinha um filho, o pequeno Frederico, na época com quatro anos de idade. Essa criança tinha seis tumores na cabeça e, após ser submetida a vários exames no Instituto de Oncologia de Milão (Itália), descobriu-se que alguns desses tumores estavam localizados numa região do cérebro que não possibilitava uma intervenção cirúrgica, ou seja, o pequeno Frederico estava sem qualquer expectativa de vida.

Essa mãe, por sua vez, acabou revoltando-se contra Deus no meio de todo seu desespero. Vivia afastada da Igreja. Mas, pela ação da Divina Providência, uma amiga dela, temente a Deus, acabou levando Sabina e seu filho Frederico para participarem de uma Missa, ali mesmo na cidade de Milão, na qual rezava-se pela cura dos enfermos. Quem estava presidindo aquela celebração era o nosso querido padre Antonello, da Comunidade Aliança de Misericórdia.

Ao final da Celebração Eucarística, padre Antonello expôs o Santíssimo Sacramento e caminhou com Jesus Eucarístico em procissão por toda a Igreja. Aproximando-se de Sabina, o sacerdote apercebe-se do rapazinho sem cabelo, enfraquecido e enroscado contra a mãe. Então, padre Antonello abençoa a criança e apressa-se a colocar a Custódia na sua testa.

Sabina não compreende o que, imediatamente, acontece: Frederico cai como que impelido. Fica estendido no chão dormindo como um santo. Sabina deixa-o dormir enquanto dura a oração.

“Mãe, sinto fogo na cabeça!”

Uma hora mais tarde, enquanto o padre conclui o momento da Adoração Eucarística, Frederico acorda e diz à mãe:

– Mãe, este padre é estranho! Queima quando toca! Mãe, sinto fogo na cabeça!

Mas, Sabina não dá atenção às palavras da criança. No entanto, fica admirada de ver Frederico a repetir a mesma coisa durante a noite e ainda no dia seguinte:

– Mãe, sinto a cabeça a arder, tenho fogo na cabeça!

Sabina assusta-se, embora Frederico afirme que não lhe dói, mas que “é estranho”. Ela decide voltar ao Instituto de Oncologia, onde a criança é submetida a um novo exame. Quando o radiologista observa os resultados, ajusta várias vezes os óculos e vira-se estupefato e lívido para Sabina. Ela esperava o pior…

– Minha senhora, o que fez? Quem operou essa criança?
– Doutor, ele não foi operado!
– Minha senhora, essa criança foi operada, é evidente!
– Asseguro-vos doutor…
– Minha senhora, por favor, veja!

Jesus, o cirurgião mais fabuloso

Os exames mostram que os seis tumores desapareceram completamente, mas não como que por encanto: no lugar de cada um dos seis tumores, existe uma cicatriz com pontos finos de sutura, comprovando que a mão de um cirurgião com perícia procedeu a extração desses tumores. Ora, três deles não eram operáveis, porque se encontravam numa parte do cérebro bastante delicada.

Aquela mãe estabelece a relação e, finalmente, compreende que a cura de seu filho se deu no exato momento em que Jesus Eucarístico tocou na testa da criança. Sabina descobre que Jesus, o Divino Médico é, também, o cirurgião mais fabuloso, capaz de fazer o que nenhum outro médico conseguiria. Frederico agora é um menino saudável.

Leia mais:
.: Luz da Fé: Apresente o seu nada para Deus
.: Luz da Fé: Somos cooperadores de Deus
.: Luz da Fé: A glória de Deus é o homem vivo

Esse lindo testemunho termina com as palavras de Sabina, uma mãe que antes chorava de desespero, mas que passou agora a chorar de gratidão e alegria:

“- Senti Jesus Vivo, estava conosco e curou o meu filho. Hoje agradeço a Deus todos os dias, por Frederico ter recuperado as forças. É um menino alegre e desenfreado. Todos os dias olha para o Céu e com a sua mãozinha manda beijos a Jesus, como se O conhecesse desde sempre! Jesus é o seu melhor amigo. Também, agradeço a Jesus, a Deus e ao Espírito Santo, pela infinita paciência que tiveram para comigo. Submeteram-me a essa dura prova para que eu compreendesse que Eles estão conosco e que a Igreja somos nós!”.

Quis contar esse testemunho para que, você, compreenda o real significado dessas palavras do apóstolo Paulo: “Sabemos que, para os que amam a Deus, tudo concorre para o bem” (Rm 8,28). Diante desse mal que você tem enfrentado, não se desespere. Saiba que a última palavra não é desse mal, mas a última palavra é sempre desse Deus maravilhoso que proporciona o bem para quem crê no Seu amor e cuidado.

Um forte abraço!

Assista ao programa:


Alexandre Oliveira

Membro da Comunidade Canção Nova, desde 1997, Alexandre é natural da cidade de Santos (SP). Casado, ele é pai de dois filhos. O missionário também é pregador, apresentador e produtor de conteúdo no canal ‘Formação’ do Portal Canção Nova.

Evite nomes e testemunhos muito explícitos, pois o seu comentário pode ser visto por pessoas conhecidas.