Prós e contras

Ter filhos após os 40 anos: prejuízo ou vantagem?

Ter filhos após os 40 anos gera prejuízos ou vantagens?

O desejo de ter filhos permeia a maioria das pessoas que têm vocação para o matrimônio e é um assunto presente na vida dos casais desde antes do casamento. No período de namoro, os planos sobre quantos filhos o casal terá, qual a preferência do sexo do bebê, que sonhos gostariam de realizar em família etc., costumam acontecer entre diálogos e juras de amor.

Entretanto, as realidades contemporâneas podem adiar os planos que envolviam alguns acontecimentos para antes dos 30 ou 35 anos. É bastante alto o número de homens e mulheres que demoram a encontrar seus pares nos últimos tempos, pois a cultura abre outras possibilidades aos jovens, sugerindo a priorização dos estudos, a realização profissional, estabilidade financeira e maior liberdade antes do compromisso de constituir uma família.

Ter filhos após os 40 anos: prejuízo ou vantagem?

Foto ilustrativa: Bruno Marques/cancaonova.com

Prós e contras

Nossa sociedade também tem verificado maior dificuldade para os casais engravidarem; alguns sugerem que é resultado da utilização de anticoncepcionais, que acabou por modificar o organismo feminino, bem como a falta de cuidados gerais com a saúde (entre homens e mulheres), como fatores que influenciam tal dificuldade.

Sem entrar nesses méritos, é possível dizer que ser pai e mãe depois dos 40 anos gera prejuízos ou vantagens? Eu diria que os dois. Aliás, acredito que cada tempo reserva suas surpresas e desafios, sendo que o tempo da maternidade e paternidade, depois dos 40 anos, também tem suas peculiaridades positivas e negativas.

A experiência e maturidade podem favorecer comportamentos menos ansiosos por parte dos pais ao se verem em situações novas e desafiadoras. Ambos tendem a se enxergar com experiência de vida suficiente para saber que é possível aprender e desenvolver as habilidades necessárias que esse período pede. Resumidamente: a maturidade auxilia nos sentimentos de autoconfiança e segurança nesse processo que envolve os cuidados de um novo ser.

A vivência da maternidade pode trazer uma nova perspectiva de vida, olhares mais profundos sobre o humano e um novo relacionamento consigo mesma. Sim, porque como a gravidez após os 40 anos envolve mais riscos, a superação dos possíveis desafios costuma coroar o momento de vitória com mais serenidade, fortaleza interior e resiliência.

E quanto à energia e disposição?

É possível negociar com o que há disponível e reconhecer algumas impossibilidades. Talvez a matemática “ganha-se em maturidade, perde-se em energia” esteja presente; não há como definir se há um quadro melhor ou pior para essas situações e, como dizemos nas Constelações Familiares, é muito importante reconhecer e aceitar o que é, o que foi. A partir desse acolhimento, o aprendizado é muito maior.

Leia mais:
::Como podemos fortalecer o amor na família?
::Alcoolismo em família: quais as marcas emocionais para seus filhos?
::O que fazer com filhos pequenos na hora da Missa?
::Como é possível manter a amizade entre os filhos?

Entretanto, como já se sabe, se o casal estiver aberto e atento aos aprendizados dessa fase, poderão reconhecer nesse pequeno ser uma grande oportunidade de serem melhores em diversos aspectos e, quem sabe, desenvolver mais rotinas que auxiliem na geração das energias que o filho demanda. As escolhas sobre as prioridades da família são fundamentais para que esses pais maduros também aproveitem muito as dores e delícias de serem pais, de receber os filhos que um dia sonharam e ofertar o que de melhor construíram ao longo de suas vidas.


Milena Carbonari

Palestrante em empresas, escolas e comunidades, a psicóloga Milena Carbonari é pós-graduanda em Educação e Terapia Sexual e terapeuta de EMDR (tratamento de traumas e fobias). Contato: psicologa@milenacarbonari.com. br

comentários