Gestantes

Gravidez causa incontinência urinária?

Principais causas da incontinência urinária na gravidez

A incontinência urinária é um problema de saúde que atinge, na maioria das vezes, o sexo feminino. Essa doença é caracterizada pela perda involuntária da urina pela uretra.

Segundo dados da Sociedade Brasileira de Urologia, a incontinência urinária afeta a vida de mais de 10 milhões de pessoas no Brasil. O problema atinge 35% das mulheres com mais de 40 anos, após a menopausa, e 40% das gestantes.

Muitas mulheres acabam desenvolvendo a incontinência urinária durante a gravidez. Essa condição pode ser considerada normal para o período gestacional, mas é preciso prestar atenção na frequência da urina ou quando acontece escapes várias vezes ao longo do dia e permanecem após o parto.

Gravidez causa incontinência urinária?

Foto ilustrativa: Andréia Britta/cancaonova.com

Falando com especialista

Nesta entrevista com a enfermeira especializada em enfermagem obstétrica, Heda Cristina Bilard, ela explica as principais causas da incontinência urinária na gestação e no pós-parto, além de algumas dicas que como evitar esse incômodo.

cancaonova.com: Quais são os fatores de risco para o desenvolvimento da incontinência urinária?

Heda Cristina Bilard: No pós-parto, os fatores que podem aumentar o risco desenvolver incontinência urinária incluem:

– Trabalho de parto induzido
– Peso do bebê superior a 4 kg
– Parto prolongado
– Uso de fórceps
– Obesidade

cancaonova.com: Existem fatores que podem aumentar o risco de desenvolver este problema?

Heda Cristina Bilard: Vale ressaltar que o sobrepeso da gravidez é apenas um dos fatores de risco para disfunções do assoalho pélvico. Obesidade, prisão de ventre e atividades físicas de impacto também contribuem para minar o tônus muscular. E diz a crença popular que o parto normal deixaria a mulher mais larga na região do quadril. De fato, o processo pode lesionar a musculatura perineal, mas algumas atitudes importantes durante a espera evitam que isso aconteça.

cancaonova.com: Parto normal provoca incontinência urinária?

Heda Cristina Bilard: A gravidez e o parto são as principais causas da incontinência urinária na mulher jovem. Esta resulta da disfunção do pavimento pélvico associada a fatores hormonais, aumento da pressão abdominal ou lesões nervosas ou dos músculos pélvicos. A gravidez, o trauma do parto e a episiotomia são os principais responsáveis pelo enfraquecimento dos músculos de suporte do pavimento pélvico ou lesão dos mecanismos esfincterianos da bexiga, resultando, assim, na incontinência de esforço. No entanto, isso não significa que todas as mulheres que têm um parto normal vão sofrer esse problema. Isao quase não ocorre nos partos que se dão naturalmente, em que a mulher se encontra tranquila do início ao fim e quando o bebê tem peso inferior a 4 kg. Nesses casos, os ossos da pelve abrem-se ligeiramente e os músculos pélvicos distendem-se completamente, regressando depois ao seu tônus normal.

cancaonova.com: O que seria a incontinência urinária pós-parto?

Heda Cristina Bilard: É a perda do controle da bexiga que ocorre no pós-parto. Varia de uma ligeira perda de urina após espirrar, tossir ou rir até a total incapacidade de controlar a micção.

Leia mais:
.: Confira artigos sobre gravidez
.: A relação entre a nutrição e a fertilidade
.: Cuidados que se deve ter com a alimentação durante a gravidez
.: Oração pela cura dos traumas durante a gestação

cancaonova.com: Qual é o tratamento indicado para incontinência urinária pós-parto?

Heda Cristina Bilard: Incontinência urinária é comum nos primeiros dias após o parto, sendo natural a sua recuperação ao longo das semanas seguintes. Quando tal não acontece, pode ser necessário recorrer à ajuda de profissionais especializados para reforçar os músculos perianais. Sua eficácia é ainda maior quando realizada desde antes do parto e durante a gestação.

O programa de exercícios perineais para estes casos possui movimentos personalizados. O treinamento muscular faz com que a mulher recupere o controle e a percepção da região pélvica, aumentando a capacidade de contração e coordenação dos músculos da região.

Cuidados

cancaonova.com: Existem alguns cuidados que a gestante pode ter para prevenir esses sintomas?

Heda Cristina Bilard: Sim, é possível prevenir a incontinência urinária no período gestacional com medidas muito simples:

Controlando o peso: Evitar o ganho excessivo de peso reduz a sobrecarga na musculatura pélvica, além de evitar outros problemas como hipertensão e diabetes gestacional.

Evitando o cigarro: Gestantes definitivamente não devem fumar. Além de trazer inúmeros riscos para o bebê, o fumo também tem efeito negativo sobre a musculatura de controle da urina.

Não prendendo a urina: Ainda que seja incômodo ir ao banheiro muitas vezes, prender a urina pode levar à incontinência. Isso porque a capacidade da bexiga está mais limitada e a musculatura sobrecarregada, além de poder causar infecção urinária.

Esvaziando a bexiga com frequência: Ir ao banheiro a cada hora, mesmo que não esteja com vontade, ajuda a prevenir a incontinência.

Fazendo exercícios de fortalecimento da estrutura pélvica e abdominal: Exercícios de kegel, pilates e ioga durante toda a gravidez podem ajudar no fortalecimento da região pélvica. Outra forma é o aumento da elasticidade, obtido com a massagem perineal, que pode ser aplicada após a 32ª semana de gestação – ou por meio do uso de um aparelho dilatador vaginal, normalmente liberado pelo médico na 35ª semana.

Atenção: Nenhuma gestante deve iniciar exercícios físicos, seja de pilates, kegel ou ioga sem o conhecimento e autorização do seu médico obstetra.

Por Alessandra Borges

Evite nomes e testemunhos muito explícitos, pois o seu comentário pode ser visto por pessoas conhecidas.