Mês das missões

Como é o trabalho missionário da Canção Nova na Terra Santa?

“Temos a oportunidade de pegar a Palavra e fazer vida”, afirma o missionário da CN na Terra Santa Cristiano Assunção

Por Alessandra Borges

Outubro é dedicado às missões. Pelo Brasil e internacionalmente, existem muitas pessoas que fizeram a opção de se tornar missionárias, ou seja, elas doam a sua vida em prol da evangelização e também de projetos sociais como os “médicos sem fronteiras”, por exemplo, que prestam ajuda humanitária pelo mundo.

A Comunidade Canção Nova também evangeliza no exterior e leva missionários brasileiros a propagar a Boa Nova de Jesus Cristo em outros locais como Terra Santa, Portugal, França e Roma.

Como é trabalho missionário da Canção Nova na Terra SantaFoto: Arquivo Pessoal

A casa de missão na Terra Santa surgiu, no ano de 2007, quando os primeiros missionários foram enviados a Jerusalém e Nazaré. Hoje, a Casa de Missão conta com um grupo de 12 pessoas, sendo que, na missão de Jerusalém, são cinco pessoas da comunidade vida e uma do Segundo Elo; em Nazaré, são cinco missionários e um sacerdote.

Saiba como é a vida missionária na Casa de Missão da Terra Santa com o responsável da missão, Cristiano Assunção.

Confira a entrevista

cancaonova.com: Qual é o tipo de campo desempenhado pelos missionários na Terra Santa (Jerusalém, Nazaré)?

Cristiano Assunção: O nosso campo de atuação, na Terra Santa, começou, no ano de 2007, quando fomos chamados a trabalhar em parceria com a custódia da Terra Santa, no centro de mídia, pois o objetivo maior era proporcionar a todas as emissoras cristãs do mundo, principalmente as católicas, conteúdos sobre a vida dos cristãos da Terra Santa, a vida do santuário e divulgar a boa notícia que vem de lá.

Chegando ao local, começamos a organizar esse centro de mídia. O trabalho teve início em Jerusalém. A princípio, com jornalismo, produção de programas e documentários ligados aos santuários sagrados conectados à vida de Jesus e também à vida dos cristãos locais, cuja maioria é formada por árabes cristãos e imigrantes. Esse trabalho mostrava toda a vida litúrgica da Terra Santa.

Logo depois, veio Nazaré, com o Santuário da Basílica, onde está a gruta da anunciação. Surgiu esse desejo de transmitir a liturgia, pois ali é o local do anúncio para todo mundo. A basílica foi toda equipada com câmeras robóticas, equipamentos de alta definição, e fomos chamados a gerenciar esse processo de captação de imagens.

É um campo de missão com dois grupos e duas casas missionárias na Terra Santa. Em Jerusalém, a missão é voltada para o jornalismo e produções ligadas a documentários e alguns especiais. Em Nazaré, o foco está ligado à vida do santuário, ou seja, às meditações do terço, que é a fiaccolata, a Santa Missa e o Angelus, que é feito em frente à gruta, a Missa na Sagrada Família e o programa ‘Em casa com a Sagrada Família’, com o padre Bruno Varriano, ofm, guardião e reitor da Basílica da Anunciação.

cancaonova.com: Como a Casa de Missão na Terra Santa é mantida mensalmente?

Cristiano Assunção: A nossa manutenção, na Terra Santa, vem com as doações dos sócios, ou seja, assim como são mantidas todas as Casas de Missão da Canção Nova. É a contribuição do povo de Deus com a evangelização, por meio da Canção Nova, seja nos produtos de evangelização ou nas contribuições, que mantêm nossa missão.


Foto: Arquivo Pessoal

Os desafios da evangelização, a realidade cultural e política

cancaonova.com: Quais os desafios de evangelização em um lugar onde existem muitos conflitos religiosos e territoriais?

Cristiano Assunção: É bom distinguirmos um pouquinho essa questão de conflitos religiosos, porque a Terra Santa, graças a Deus, é um local onde predominam as três religiões monoteístas: judeus, muçulmanos e cristãos. Aqui, não existem conflitos religiosos, mas territoriais e políticos entre Palestinos e Judeus. Esse conflito não é com base na religião.

Eles lutam sim, em alguns locais, por terras e assentamentos, mas é difícil precisar para você de quem é a culpa e de quem não é, porque temos de voltar na história e estudar bem tanto de um lado quanto do outro. Por isso, não vou entrar nesse mérito, mas não é um conflito religioso, até porque Israel vivencia muito bem essa questão.

Israel garante a liberdade religiosa para todos os grupos, embora os cristãos sejam apenas de 2% da população ou até menos. A Igreja mantém viva, principalmente, os santuários ligados à vida de Jesus, com toda liturgia, e também proporciona uma forma para que os cristãos se mantenham naquele lugar.

Nosso maior desafio, falando da Igreja na Terra Santa, é fazer com que os cristãos permaneçam aqui, porque, a cada ano e a cada tempo que passa, eles entram na diáspora e saem por melhores oportunidades. É um lugar onde você vive como minoria, e, é lógico, há muitas dificuldades, principalmente no campo de trabalho e educação. Portanto, a Igreja entra com esse suporte, para garantir que os cristãos tenham projetos de vida, de casa própria e trabalho. Há também a questão da educação, que é muito forte nessa região.

A Igreja tem um trabalho social maravilhoso, assistindo a população e o povo de Deus. Existem vários projetos sociais em que o mundo inteiro é convidado a ajudar, pois essa é, exatamente, uma forma de garantir a presença cristã no local.

Um dos desafios da Igreja é com o “mídia center”, onde acompanhamos a Custódia da Terra Santa. A Canção Nova gerencia e trabalha para garantir e divulgar essa Boa Nova, ou seja, existe um trabalho da Igreja com os cristãos presentes na Terra de Jesus, e as pessoas são chamadas a ajudar e colaborar para que essa presença seja mantida.

Hoje, graças a Deus, temos mais de 30 emissoras católicas do mundo que utilizam esse conteúdo. Todo o nosso conteúdo é feito em seis línguas: inglês, francês, espanhol, português, italiano, árabe e o internacional, para aquelas línguas que não temos como traduzir. Assim, enviamos o áudio livre, para que seja feita a tradução e publicação desse conteúdo. Todas as liturgias feitas em Nazaré, como a fiaccolata, o programa ‘Em casa com a Sagrada Família’, o Angelus e entre outros, além das celebrações principais no decorrer do ano, como Páscoa, Natal e outras festividades que o povo de Deus tem a oportunidade de acompanhar.

Graças a Deus, na Terra Santa, não há conflitos religiosos, por isso, incentivamos as peregrinações. É um local onde podemos viver, com tranquilidade essas questões. O país, no entanto, vive alerta e atento, para que a segurança seja mantida, evitando que, no futuro, venha acontecer um conflito religioso.

Leia mais:
.: Missionários são chamados para o trabalho evangelizador e social
.: Aprendendo a ser missionário com Santa Terezinha
.: Testemunho de quem vive em meios ao conflitos na Terra Santa
.: É preciso evangelizar até os confins da terra

cancaonova.com: A diferença cultural é um desafio na evangelização?

Cristiano de Assunção: De fato, a questão cultural é o ponto primordial e o maior desafio nesse trabalho de evangelização, porque temos de abdicar mesmo dos nossos conceitos e gostos. A questão cultural vai desde da língua, dos hábitos alimentares e da maneira de ser daquele povo.

Nós temos de entender que, hoje, estamos dentro de uma sociedade composta por uma grande maioria de judeus e muçulmanos, e uma minoria cristã; e o pensamento do Oriente é diferente da cultura ocidental. Para nós evangelizadores e missionários, que trabalhamos com a Igreja nesses locais, temos de nos enculturar, por isso nosso maior desafio é a questão da língua, porque a língua falada, especificamente na Terra Santa, é o hebraico e o árabe, e nós utilizamos o inglês para nos comunicarmos.

O nosso desafio, como comunidade Canção Nova, na Terra Santa, é aprender essas línguas, mas estamos aprendendo o inglês, porque é uma língua intermediária. Depois, existem outras questões como os hábitos alimentares, que é diferente do Brasil.

É um desafio, mas não é algo impossível de ser concretizado. Basta aprender a lidar com as dificuldades, porque, se há ardor evangelizador, é moleza! É um passo que aprendemos a dar e um desafio que aprendemos a superar.

cancaonova.com: Qual é a gratificação e a realização de ser missionário na Terra Santa e estar no local onde Jesus viveu?

Cristiano Assunção: A gratificação está aí, ou seja, de viver onde Jesus viveu. Temos a oportunidade de pegar a Palavra e fazer vida, ou seja, cada vez que lemos um trecho da Bíblia, o fazemos no local que aquele evento aconteceu.

Para nós, evangelizadores, missionários e voluntários na Terra Santa, isso realmente é algo maravilhoso e que alegra, porque solidifica a nossa fé e nos traz mais conhecimento para rezarmos a evangelização com propriedade e humildade.

Podemos experimentar e fazer desse lugar, de fato, vida com a Palavra, porque tocamos nessa realidade e tocamos também na vida dos cristãos que estão lá e precisam do nosso apoio, fraternidade, amor e oração. É solidificador ver a fé crescer em santidade, graça e conhecimento, ou seja, trilhar os passos, como diz o Frei Pascal, do Santo da Terra.

Sócios evangelizadores

Graças aos sócios evangelizadores é possível manter as frentes de missão, pois, dessa forma, podemos evangelizar em  outros países e  também manter os meios de comunicação da Comunidade Canção Nova.

Evite nomes e testemunhos muito explícitos, pois o seu comentário pode ser visto por pessoas conhecidas.