#PHN20ANOS

PHN desperta vocações

Jovem Fagner sentiu o despertar de sua vocação à Comunidade Canção Nova no PHN

PHN desperta vocações

Fagner Mendonça, missionário da Comunidade Canção Nova. Foto: Arquivo Pessoal

No ano de 2009, eu vim, pela primeira vez, à Canção Nova, no Acampamento PHN. Chegando na Chácara de Santa Cruz (sede da comunidade), tive aquele impacto que tantos têm ao pisar nesse solo e de estar num pedacinho do céu. Tinha um sentimento de liberdade, como se pertencesse a esse lugar.

Vivi intensamente todos os dias. No dia 4 de julho, numa sexta-feira, tive uma experiência que anos depois eu iria compreender seu sentido.

Naquela sexta-feira, estava eu e mais um amigo, na área de camping, tocando violão. De repente, veio o Pitter, missionário da comunidade, que, na ocasião, estava fazendo uma matéria para a Rádio CN. Ao nos ver, quis nos entrevistar. Na hora, eu o reconheci. Ele fez algumas perguntas e encerrou aquela entrevista pedindo para que cantássemos uma música do Dunga. Cantamos juntos “O meu lugar é o céu”. Ao terminar a canção, ele se voltou para mim e disse: “Quem sabe, um dia, você esteja cantando aqui no Rincão da Canção Nova!”.

Aquelas palavras penetraram no mais profundo do meu coração, impulsionando-me a doar-me ainda mais em meu ministério. Não entendia a paz e a alegria que sentia naquele momento. Mas Deus sabia! E aquela palavra viria se a se concretizar anos depois.

Em 2010, no ano seguinte, estive novamente no PHN. Acampei no mesmo local em que estava da última vez. No fim do acampamento, enquanto desmontava a barraca junto com os amigos do grupo de jovens de que participava, encontramos uma cruz enterrada. Peguei aquela cruz e a coloquei na mala. Chegando em casa, contei para minha mãe e dei a cruz a ela.

Os anos foram se passando, e o chamado do Senhor foi ficando claro. Ele me chamava a tudo deixar e viver em comunidade. Fui dando passos e buscando corresponder a esse chamado. Assim, enviei um e-mail para a Canção Nova, expressando o meu desejo de fazer um caminho de discernimento vocacional.

Leia mais:
.: Como os pais podem ajudar os filhos a descobrirem sua vocação?
.: Ser feliz: mais do que um direito, uma vocação
.: Vocação, todos nós fomos feito para dar certo
.: Toda vocação nos remete a uma experiência de felicidade

Confirmação do chamado

Depois desse processo de aproximação, fui chamado para iniciar o caminho. Foi uma alegria quando recebi a confirmação! Estava cada vez mais próximo dos desígnios de Deus para mim. Logo em seguida, dei a notícia para minha mãe. Pegando uma cruz que estava amarrada na cabeceira da sua cama, ela me mostrou e disse: “Você se lembra dessa cruz? É aquela que encontrou enterrada na Canção Nova. Ela é o sinal de que as suas raízes estão naquela terra…”. Fiquei sem palavras. Foi o próprio Espírito Santo a dizer tudo aquilo por meio da minha mãe. Era o Senhor confirmando o Seu querer.

Hoje, estou no meu segundo ano de comunidade. Entrei para a Canção Nova no dia 15 de janeiro de 2016. A seu tempo, as promessas de Deus se cumprem na nossa vida. E Ele se utilizou da música para me atrair e revelar o Seu querer. Hoje, não somente com a voz, mas com a vida, eu canto essa Canção Nova, que, lá em 2009, o próprio Deus, por meio daquele irmão, disse que eu iria cantar. As minhas raízes estão nesse solo, e na vontade de Deus eu desejo crescer e frutificar.

Fagner Willian Marchiori Mendonça, 24 anos
Guararapes (SP)

Evite nomes e testemunhos muito explícitos, pois o seu comentário pode ser visto por pessoas conhecidas.