Reflexão

Luz da Fé: Anjos, mensageiros da Salvação de Deus

Como temos nos relacionado com nosso anjo da guarda?

O Catecismo da Igreja Católica, do número 328 ao número 336, traz-nos o seguinte ensinamento de Santo Agostinho: “Anjo (mensageiro) é designação de encargo, não de natureza. Se perguntares pela designação da natureza, é um espírito; se perguntares pelo encargo, é um anjo: é espírito por aquilo que é, é anjo por aquilo que faz”. Por todo o seu ser, os anjos são servidores e mensageiros de Deus. Porque contemplam “constantemente a face de meu Pai que está nos céus” (Mt 18,10), são “poderosos executores de sua palavra, obedientes ao som de sua palavra” (Sl 103,20).

Como criaturas puramente espirituais, eles são dotados de inteligência e de vontade: são criaturas pessoais e imortais. Superam em perfeição todas as criaturas visíveis. Disto dá testemunho o fulgor de sua glória […]. A vida da Igreja se beneficia da ajuda misteriosa e poderosa dos anjos. Desde o início até a morte, a vida humana é cercada por sua proteção e por sua intercessão. “Cada fiel é ladeado por um anjo como protetor e pastor para conduzi-lo à vida” (São Basílio).

Foto ilustrativa: Andréia Britta / cancaonova.com

A partir desse ensinamento fica claro que: todos nós temos um anjo, o chamado anjo da guarda.

Padre Pio e seu anjo da guarda

Monsenhor Jonas Abib escreveu um livro a respeito dos anjos intitulado “Anjos, companheiros no dia a dia”. Nessa obra, ele escreve, também, a respeito de alguns santos da nossa Igreja que viveram uma profunda intimidade com os anjos. Um exemplo disso é o Padre Pio que viveu um relacionamento com o seu anjo da guarda, mesmo trazendo consigo um temperamento muito forte. Durante sua vida, Padre Pio foi, por diversas vezes, atacado pelo demônio, chegando ao ponto de ser até mesmo agredido fisicamente pelo inimigo.

Monsenhor Jonas escreve o que aconteceu numa dessas ocasiões: Quando o anjo demorava a intervir, Padre Pio, confidencialmente, sabia dirigir-lhe uma reprovação áspera e fraterna: Nem imaginam como aqueles infelizes têm me machucado. Algumas vezes tenho a impressão de que vou morrer. Sábado, pareceu que queriam acabar comigo. Não sabia nem qual santo invocar. Volto-me para meu anjo. Depois de esperar algum tempo, ei-lo enfim a voar ao meu redor e, com sua voz angelical, cantar hinos à divina Majestade. Então, eu o repreendi duramente por ter demorado tanto, enquanto eu não me esquecera de chamá-lo em meu socorro. Para castigá-lo, recusei-me a olhar seu rosto, queria afastar-me dele, queria evitá-lo, mas ele, coitadinho, alcançou-me quase chorando, até que, elevando o olhar, vi seu rosto e o encontrei todo desgostoso. “Estou sempre perto de você” ele disse, “nunca o abandono, esta minha afeição por você não terminará nem mesmo com a vida”.

Como temos nos relacionado com nosso anjo da guarda?

Quero dizer a você, meu irmão, que o nosso anjo da guarda age conosco do mesmo jeito que o anjo da guarda do Padre Pio agia com ele, ou seja, o nosso anjo da guarda está sempre ao nosso lado. Diante disso, vamos refletir: Como temos nos relacionado com nosso anjo da guarda? Será que apenas nos lembramos de que ele existe quando “nosso calo aperta”, na hora da dificuldade ou nos momentos de combate espiritual?

O Catecismo da Igreja e, também, monsenhor Jonas, no seu livro, nos convidam a um relacionamento com o nosso anjo da guarda, gerando, assim, uma intimidade com ele. E “intimidade” não é algo que surge da noite para o dia… Requer que seja trabalhada diariamente. Então, comece agora!

Leia mais:
.: Luz da Fé: Onde existir amor, ali o Céu acontece
.: Luz da Fé: Por que o mal existe?
.: Luz da Fé: Apresente o seu nada para Deus

Se, até hoje, você não cultivou um relacionamento com o seu anjo da guarda, não se desespere. Comece a partir desse momento! E, cultive esse relacionamento com seu anjo, dia após dia.

Convido você a rezar comigo essa simples oração, suplicando o poderoso auxílio e proteção desse nosso bom amigo que vem do Céu, oração essa que, muitos de nós, aprendemos com os nossos pais e avós: Santo Anjo do Senhor, meu zeloso guardador, se a ti me confiou a piedade divina, sempre me rege, me guarde, me governe e me ilumine. Amém.

Um forte abraço!

Assista ao programa:


Alexandre Oliveira

Membro da Comunidade Canção Nova, desde 1997, Alexandre é natural da cidade de Santos (SP). Casado, ele é pai de dois filhos. O missionário também é pregador, apresentador e produtor de conteúdo no canal ‘Formação’ do Portal Canção Nova.

Evite nomes e testemunhos muito explícitos, pois o seu comentário pode ser visto por pessoas conhecidas.