palavra de deus

Qual é a reflexão que podemos fazer da casa sobre a rocha?

Nas palavras de conclusão do Sermão da Montanha, Jesus apresenta aos seus discípulos a seguinte parábola: “Aquele, pois, que ouve estas minhas palavras e as põe em prática é semelhante a um homem prudente, que edificou sua casa sobre a rocha. Caiu a chuva, vieram as enchentes, sopraram os ventos e investiram contra aquela casa; ela, porém, não caiu, porque estava edificada na rocha. Mas aquele que ouve as minhas palavras e não as põe em prática é semelhante a um homem insensato, que construiu sua casa na areia. Caiu a chuva, vieram as enchentes, sopraram os ventos e investiram contra aquela casa; ela caiu e grande foi a sua ruína ” (Mt. 7 24-27).

Antes disso, Jesus também falou: “nem todo aquele que me diz: “Senhor, Senhor” entrará no Reino dos Céus, mas sim aquele que faz a vontade de meu Pai que está nos céus” (Mt.7, 21). A parábola parece servir para confirmar isto: não basta falar, é preciso fazer a vontade de Deus. Não adianta somente
rezar, é preciso viver a partir de sua Palavra. O Sermão da Montanha é como o resumo de toda a pregação de Cristo sobre o Reino dos Céus. E essa parábola, ao final, deixa claro que, fazendo o que ele apresenta neste Sermão, estaremos cumprindo a vontade de Deus, alimento da nossa vida (cf. Jo. 4,34).

Qual é a reflexão que podemos fazer da casa sobre a rocha?

Foto ilustrativa: Pliene by Getty Images

Vamos refletir sobre a casa e a rocha

O ponto central da parábola da casa sobre a rocha parece estar na Palavra, o Verbo, que é Deus, que estava no princípio, que fez todas as coisas e que rege a nossa vida. Palavra que se encarnou, que veio habitar em nosso meio, para que conheçamos de perto o Reino. É, portanto, sobre essa Palavra que devem se edificar nossas construções.

Diante disso, outra ideia que nos vem deste texto é a da construção. Quando pensamos em construir, vem automaticamente em nossa mente o que construir e em qual lugar. Mesmo quem não entende muito de obras sabe que nelas precisam haver um fundamento, uma base sólida, ou não se sustentará. Entendendo que a casa da história contada por Jesus é a nossa vida ou a nossa família, concluímos: Cristo é a base de tudo, o fundamento de qualquer coisa que pensarmos em erguer: trabalho, estudo, missão, relacionamento… Ele precisa estar na origem.

Uma terceira ideia que vem dessa parábola é a da rocha, fundamento de grandes edificações. Por várias vezes, Deus é citado na Bíblia como rocha, ou rochedo. É também a casa fortificada, abrigo seguro (Cf. II Sam. 22,3). Dessa forma, sábio e prudente é quem resolve construir a própria vida nesse fundamento. Essa casa servirá de refúgio para ele nos momentos da tribulação. O dono da casa pode se abandonar no Senhor, que não deixará a edificação ruir.

Como fazer de Cristo a rocha firme da nossa vida

É preciso que nossos projetos estejam baseados no projeto de Deus a nosso respeito: “Se o Senhor não edificar a casa, em vão trabalham os que a constroem”(Sl. 126,1). Na prática, isso quer dizer que tudo o que desejarmos fazer, antes é preciso perguntar a Jesus se é o que Ele quer e como Ele quer. Caso
contrário, nossa declaração de Jesus como Senhor das nossas vidas é vã. Infelizmente, começamos com projetos que parecem muitos bons, cristãos, mas que, no fundo, são lindas articulações de nossas mentes. Não vêm de Deus. Entretanto, como os desejamos muito, esquecemos de perguntar ao Senhor, ou damos um jeito de achar que foi Ele quem nos pediu. Parece que os enxergamos como óbvios, mas, no fundo, são frutos de nossas invenções. Detectar a origem de nossos projetos é a primeira forma de colocar Jesus como o fundamento; depois, é interessante perguntarmos de que modo Ele quer que executemos aquilo.

Dessa maneira, o que fizermos irá em frente, pois contaremos com o auxílio do grande arquiteto que é Deus. E algo tão importante quanto perguntar ao Senhor é fazer o que Ele mandar. Não basta ouvir, é preciso fazer acontecer o que o Senhor pede, do jeito que Ele quer; sem isso, a construção nem chega a
acontecer.

Leia mais:
.:Como anda o seu tempo para rezar? Já parou para pensar nisso?
.:Rezar em línguas é avançar na fé
.:Ou santos ou nada
.:Ir ao encontro das ovelhas sem pastor

Saindo das questões terrenas, essa parábola nos aponta para o Céu. Uma vida em Deus aqui constrói o nosso “lugar no Céu”. Essa “vida em Deus” é baseada no que escutemos através da Igreja, da Comunidade, da nossa família ou quando estamos sós com Ele. É uma vida de obediência às suas leis já inscritas em nosso coração, apresentadas na pregação de Jesus. É essencial nos mantermos inabaláveis ao que nos pede o Senhor, mesmo que isso nos custe a vida, um emprego e tantas outras coisas; ou mesmo nas tribulações. Por pior que sejam as adversidades, sempre haverá um espaço de liberdade para optarmos por obedecer a Deus. O mesmo acontece nas coisas pequenas que parecem inofensivas e que ninguém nunca verá, apenas nós mesmos. Nelas, também precisamos permanecer fiéis, porque o Senhor nos vê. E uma casa construída desta forma ajudará na edificação de outras com o nosso testemunho de vida.

Sem ouvir a vontade de Deus no que fazemos, sem obedecermos ao que Ele nos pede, além de nos levar a sofrer com as inundações, ventos, enchentes e tempestades da vida, também não nos ajuda a nos construir para o Céu.

banner_bíblia


Elane Gomes

Missionária da Comunidade Canção Nova desde o ano 2000. Professora de Língua Portuguesa, radialista e especialista em Comunicação e Cultura. Mestra em Comunicação e Cultura. Atualmente trabalha no Jornalismo da TV Canção Nova de São Paulo. Prega em encontros pelo Brasil e atua como formadora de membros da Comunidade. É esposa, mãe e trabalha também com aconselhamento de casais.

comentários