Batalha espiritual

Conhecendo a tática do inimigo

Por meio da Carta aos Efésios, já sabemos com quem estamos lutando: “Afrontamos as autoridades, os poderes, os dominadores deste mundo tenebroso, os espíritos do mal que estão espalhados nos ares” (cf. Ef 6,12), ou seja, a nossa luta direta é contra satanás e seus demônios.

Todo exército, quando sai para um combate, precisa se preparar antes, ter conhecimento da geografia, do lugar onde será o combate, o tipo de armas que o inimigo tem, o número de soldados que possui etc. Tudo isso com o intuito de vencer a guerra.

No mundo espiritual, que é o ambiente onde estamos combatendo, também é desse jeito, por isso, precisamos conhecer a tática do nosso inimigo para não perdermos a batalha.

Conhecendo a tática do inimigo

Foto Ilustrativa: Wesley Almeida/cancaonova.com

Precisamos conhecer a tática do inimigo para estarmos preparados para enfrentá-lo

Jesus, no Evangelho de João, revela-nos o que, realmente, é o objetivo de nosso inimigo: “O ladrão vem só para roubar, matar e destruir” (cf. Jo 10,10). Essa é a tática principal e o grande investimento de nosso inimigo. Temos três pontos a serem analisados:

1) Vem roubar 

Roubar de Deus aquilo que é de Deus; roubar-nos, roubar os nossos pais, os nossos irmãos, os nossos amigos, as pessoas de nosso grupo, de nossa cidade, as crianças, os jovens, os idosos, e se não nos cuidarmos, até nós mesmos.

2) Vem matar 

Matar-nos espiritualmente, afastando-nos de Deus, e matar-nos fisicamente, por que como São Paulo diz: “O salário do pecado é a morte” (cf. Rm 6, 23); basta olharmos para as pessoas que se viciam, que são alcoólatras, que estão no tráfico de drogas, no roubo, na corrupção, na prostituição, no ódio, no ressentimento, para ver como todos eles são atacados pela morte. Veja a consequência da droga, veja a consequência do álcool, veja os resultados da corrupção e as inúmeras situações de pecado. Então, é isso, salário é tudo aquilo que você ganha por aquilo que você faz.

3) Vem destruir

As famílias, os grupos de Igreja, a política, as vocações, basta olharmos tudo que tem acontecido e veremos concretamente isso. Quanta briga e separação nas nossas famílias, quanta divisão nos grupos dentro da Igreja, quanta corrupção na política e em todos os outros setores da sociedade, quantos sacerdotes, religiosos e religiosas, pessoas consagradas que tem deixado a sua vida de doação por ataques do maligno.

O que nosso inimigo tem usado para conseguir colocar em prática essa tática?

Os meios de comunicação, as novelas, os filmes, as músicas, a pornografia… E ele não para de nos atacar de todos os lados, é uma grande conspiração contra os filhos de Deus, “pois o diabo desceu para o meio de vós com grande furor, sabendo que lhe resta pouco tempo” (cf. Ap 12,12), somos objetos da luta dele, e por isso precisamos estar atentos e cientes de sua tática e não cairmos, para também resgatarmos os amados de Deus. “Sede sóbrios e vigilantes. O vosso adversário, o diabo, rodeia como um leão a rugir, procurando a quem devorar. Resisti-lhe, firmes na fé”(1 Pd 5,8-9a).

Com certeza, você conhece alguém que era firme na Igreja, que era de liderança de grupo, pessoas talvez que você admirava e que caíram na sedução do inimigo e estão fora da bênção de Deus. Precisamos resgatá-los, pois o amor de Deus por eles é tremendo, por isso o exército da paz precisa ir até eles, falar e testemunhar “o amor de Deus que supera tudo”.

Temos de dizer sim a Deus, ao louvor, à oração, à confissão, a uma participação intensa na Santa Missa, à santidade e a todas as armas espirituais que temos para combater.

Leia mais:
::Quais atitudes podem atrair a maldição para nossa vida?
::Por que a família é um lugar de restauração?
::Como é ser gerado no ventre de Maria?
::Quais são os bloqueios mais comuns para a cura interior?

Exemplo de batalha

Lembro-me de uma história que é contada no livro “Sabedoria em parábolas”, do professor Felipe Aquino, em que uma tropa estava ferida numa batalha e um dos soldados pediu ao comandante para ir resgatar os seu amigo que não tinha voltado daquele combate, e o comandante não deixou porque tinha certeza que aquele soldado que ficara para trás estava morto; e, se o soldado fosse, seria mais uma baixa para sua tropa.

O soldado, porém, teimou e foi escondido. Tarde da noite, ele volta todo ferido e ensanguentado, com seu amigo morto nas costas. O comandante fica irritado e briga com ele, e o questionava do que tinha valido todo aquele esforço para resgatar seu amigo. O soldado virou para o comandante e disse chorando: “Quando eu cheguei lá, ele ainda estava vivo. Com um sorriso nos lábios, meu amigo me disse: “Eu sabia que você viria me buscar e não me deixaria aqui sozinho”.

Irmãos, essa é a nossa missão ao conhecer a tática de nosso inimigo, resgatar esses nossos irmãos e amigos que estão feridos pelo pecado, pelos ataques do inimigo, tristes, deprimidos, sujos na lama do mundo. Não fique parado, por amor de Deus, seja uma pessoa diferente, que pela alegria, pelo amor, pela acolhida, na luta pela santidade, será sinal de resgate para tantos que estão definhando nesse mundo.

“Somos combatentes de Deus, erguei-vos para o combate, é hora de lutar”. O Amor sempre vencerá!

Padre Roger Luis
Sacerdote da Comunidade Canção Nova

banner-hollyspirit

comentários