PENSE NISSO

Psicólogo, uma ajuda para transpor problemas

O psicólogo tem a função de nos ajudar a superar os problemas

Comemoramos, no dia 27 de agosto, o Dia do Psicólogo, profissional especializado em avaliar o comportamento humano, seus processos mentais e fenômenos psíquicos, problemas emocionais, mentais ou de personalidade.

Mesmo com tantas novidades tecnológicas e a quebra de tantos preconceitos, ainda é muito comum pessoas que precisam passar por tratamento psicológico. Mas, há quem não procure ajuda especializada, por pensarem que psicólogo é “coisa para louco”, futilidade ou bobeira.

Psicólogo, uma ajuda para transpor problemas

Foto ilustrativa: shironosov-by-Getty-Images

Cabe ao psicólogo “estudar o comportamento dos homens, com o objetivo de orientá-los a enfrentarem suas dificuldades emocionais e ajudá-los a encontrar o equilíbrio entre a razão e a emoção”. A atuação do psicólogo se dá em diversas áreas, incluindo área clínica, hospitalar, social, escolar, empresarial e esportiva. Esse profissional trabalha na promoção da saúde psicológica de indivíduos e grupos, em hospitais, centros de saúde, clínicas, creches, escolas, empresas, asilos, penitenciárias e órgãos judiciais.

Leia mais:
::Como evitar que a ansiedade e o estresse gerem doenças físicas?
::O que acontece com o cérebro dos adolescentes no desenvolvimento?
::Como manter equilibrada a saúde física e mental?
::Vamos falar sobre o transtorno da esquizofrenia na infância?

O psicólogo auxilia na superação dos momentos difíceis

Muitas pessoas podem pensar: “Que bobeira! Eu não preciso de psicólogo”. Vale lembrar que, cada pessoa reage de forma diferente ao mesmo tipo de situação de vida. Já reparou que algumas pessoas passam tranquilamente por uma perda e outras não? Que algumas sabem lidar facilmente com dificuldades e outras não?

Muitas vezes, por mais que uma pessoa tenha e acredite em Deus (fato que é muito importante em qualquer tratamento e situação de vida), ela precisará do apoio de outros profissionais que a ajudem a superar situações difíceis, como perdas, doenças, acidentes e traumas de qualquer natureza, que, por algum motivo, ela não tenha condições emocionais de superá-las.

Esse profissional, ao conversar e ouvir os problemas daquele que o procura, de acordo com o tipo de terapia que realiza, ajudará o paciente a transpor suas dificuldades pessoais. Ressaltamos que psicólogos não receitam medicamentos, esse papel é do médico psiquiatra. E, esse, muitas vezes, trabalha em conjunto com o psicólogo. Um diagnosticando e medicando e, o outro, dando formas para que a pessoa compreenda suas emoções e comportamentos, podendo, então, superar suas questões emocionais.

Ir ao psicólogo deve ser percebido como algo natural

Lembramos que não apenas do médico ou do psicólogo depende a cura, mas especialmente da colaboração e da determinação do paciente em favor do tratamento, colaborando com aquilo que é solicitado e, é claro, nunca deixando de acreditar, de ter fé!

É essa graça que temos: cada um sendo um, único e diferente em sua forma de ser e reagir. Portanto, ir ao psicólogo deve ser percebido, cada vez mais, como algo natural que faz parte dos cuidados de saúde, comparado da mesma forma quando temos um sintoma físico, por exemplo, uma dor de cabeça e procurar um médico especialista.

Com esse artigo, pude apresentar um pouco mais sobre essa profissão [psicologia], especialmente na área clínica e também parabenizar todos os psicólogos pelo seu dia.

Que Deus abençoe a cada um e que possamos seguir firmes em nossa caminhada!

Abraço fraterno!


Elaine Ribeiro dos Santos

Elaine Ribeiro, Psicóloga Clínica e Organizacional, colaboradora da Comunidade Canção Nova.
Blog: temasempsicologia.wordpress.com
Facebook: elaine.ribeiropsicologia Twitter: @elaineribeirosp

Evite nomes e testemunhos muito explícitos, pois o seu comentário pode ser visto por pessoas conhecidas.