um olhar diferente

Fiquemos atentos aos gestos de amor

Santo Agostinho usa amor e memória praticamente como sinônimos. O amor é memória, porque, antes de tudo, sabe lembrar-se do bem (e do amor) recebido. É a descoberta cheia de gratidão (de reconhecimento), de sentirmos que já somos amados pelo fato de simplesmente existirmos. Memória é amor, vontade de ser nós mesmos com uma história própria. É esforço para encontrar e manter a coerência do existir, aquele fio que liga todos os eventos da vida, reconduzindo-os a um começo que lhes dá sentido e finalidade. Todavia, para fazer esse reconhecimento grato e comovido, é necessário um olhar de amor e benevolência, porque somente esse tipo de atenção pode vislumbrar o bem com gratidão e amor.

Fiquemos atentos aos gestos de amor

Foto ilustrativa: Andréia Britta/cancaonova.com

Busquemos sempre ter o olhar de quem quer ver o bem e o amor nos gestos dos outros

Olhando para a vida de Jesus, enxergamos que Deus não se descuidou em nenhum momento daquela história. Ele, que é Pai, cuida do Filho único d’Ele assim como cuida da sua vida e está presente em cada um dos seus momentos de alegria, tristeza, de medo, carência, de estudo, de vitória. Ele cuida tanto de você que quis a sua salvação. É por isso que Deus deu a você Seu único Filho para te salvar. Foi por você que,na Cruz, Jesus morreu, e morreu para te salvar. Por amor Jesus veio para ser remédio, Jesus veio para você que está fraco, doente e triste.

E quando você vive perto de Deus, ao lado de Jesus e repleto do Espirito Santo, você torna-se remédio para os outros, assim como os amigos que Jesus deixou para serem a presença visível e sensível perto de você.
» Quais são os momentos de sua vida que parecem com os de Jesus, homem pobre?
» Quais são os amigos de Jesus que convivem com você?
» Em que momento você esteve em apuros na sua vida? Identifique como Deus interveio no seu impossível.
» Qual a solução inesperada na sua vida? Identifique como Deus interveio no seu impossível.
» Qual a solução inesperada na sua vida? Ali você tocou nas surpresas, nas delicadezas de Deus com você.

Leia mais:
::O homem deve conhecer a si sem deixar de conhecer a Deus
::Os três tipos de oração
::Como conciliar fé e razão?
::Baixe o aplicativo da Canção Nova e tenha acesso a todos os conteúdos do portal cancaonova.com

“É o olhar característico do amor que torna a pessoa sensível e atenta para perceber os sinais e demonstrações de afeto, por mais pequenos que sejam ou que aparentemente assim o sejam, que fazem nascer no coração um fundamental sentido de reconhecimento em relação a vida, aos outros, a Deus” (Santo Agostinho).

Cláudia May Philippi – Comunidade Aliança Canção Nova

comentários