Dependência

Precisamos buscar a cura das nossas carências afetivas

Nossas carências afetivas precisam ser superadas

Todos nós precisamos ser amados e, consequentemente, amar. Buscamos ser acolhidos pelas pessoas, abraçados, beijados e elogiados; e isso faz bem para todos nós, pois nos cura e liberta de nossas carências. Quando isso não acontece, surge a chamada carência afetiva, o vazio de amor que permanece no coração humano, pelo fato de não ter recebido amor suficiente na gestação, na infância ou adolescência.

As carências afetivas manifestam-se de muitas maneiras no comportamento, como a busca de prazeres sensíveis: a maneira de lidar com as pessoas e os objetos, estar no centro das atenções, “inventar modas”, criar situações, revoltar-se, fazer críticas, “grevezinhas” e até na maneira como está comendo (compensação).

Foto ilustrativa: pecaphoto77 by Getty Images

A falta de amor pode causar carências

Tudo começa já no seio da família, quando uma pessoa não recebe bastante amor de seus pais e irmãos. Então, ela se torna egoísta, fechada em si mesma, vive descontente, critica seus pais e briga o tempo todo. Entra na fase escolar e tenta mendigar ou comprar o amor de professores e colegas, sempre quer ser o centro das atenções. Tudo isso acaba desembocando em um namoro no qual se busca o outro não para o amar, mas para ser amado. É no namoro que vai tentar suprir o amor que não recebeu dos pais, transferindo-o para o namorado. Assim, nascem os ciúmes, as brigas e cobranças. Lança-se ao outro manifestando os abraços, beijos, carícias, contatos físicos e até relação sexual. Tudo isso na tentativa de suprir a falta de amor.

Leia mais:
::Diante de abusos sexuais a importância de buscar ajuda
::Não submeta-se à dominação e aos relacionamentos abusivos
::Autoimagem e autoestima: como você tem se enxergado?
::Quais valores norteiam a escolha de um companheiro de vida?

Isso também acontece com as pessoas que estão à frente de grupos ou comunidades na Igreja. Elas vivem um egoísmo em rodinhas de amizades pessoais, tornam-se ciumentas e invejosas por causa de seus cargos. Não aceitam serem substituídas por ninguém e criticam os outros o tempo todo. Querem ser os melhores.

Algumas dicas para sermos curados de nossas carências:

1- Reconhecermos que somos carentes e precisamos de cura;
2- Enfrentarmos essa realidade, nunca fugirmos dela;
3- Recebermos o amor puro das pessoas, como amigos, pais, namorados;
4- Buscarmos a cura interior com pessoas de nossos grupos ou comunidades;
5- Amarmos nossa história de salvação e rezarmos pela nossa cura, se possível, diante de Jesus Sacramentado;
6- Perdoarmos as pessoas que nos magoaram ou feriram, que não nos deram amor;
7- Termos uma vida de oração, adoração e comunhão.

Tudo isso vai ser concretizado pelo batismo no Espírito Santo, onde Deus vai curá-lo, profundamente, com Seu amor de Pai.


Padre Reinaldo Cazumbá

Sacerdote membro da Canção Nova, estudante de psicologia, atua no Instituto Teológico Bento XVI e também exerce a função de diretor espiritual dos futuros sacerdotes da comunidade. Autor do livro: “Onde está Deus?”. Acesse: blog.cancaonova.com/padrereinaldo

Evite nomes e testemunhos muito explícitos, pois o seu comentário pode ser visto por pessoas conhecidas.