Mulher

Como se fortalecer para vencer os desafios

Deus nos convida a vencer os desafios fortalecidas pela alegria

“A alegria do Senhor é nossa força” (Neemias 8,10). Esse versículo bíblico é tema de músicas, retiros, cartazes e outras situações, e pode ser considerado um #ficaadica estratégico, diante da amplitude de sentidos que nós mulheres podemos extrair para nossa vida.


A fortaleza da mulher para vencer os desafiosFoto: Daniel Mafra/cancaonova.com

A palavra “força”, no dicionário, tem diferentes significados, e a partir deles podemos refletir sobre como a alegria nos fortalece. Força é aquilo que faz mover algo ou alguém, um impulso, algo que tem poder, que se impõe; um agente físico que pode alterar o estado de repouso ou de movimento uniforme de um corpo. A alegria de sermos filhas de Deus nos impulsiona e nos tira do lugar, muda-nos de rumo, incita-nos a ser melhores. É impossível que alguém tenha uma experiência pessoal com Jesus e queira continuar levando uma vida morna. Ao contrário, reconhecer-se amado por Deus tira-nos do comodismo e passamos a fazer a diferença no mundo, a começar pela alegria.

Força é também a capacidade de impressionar, de causar impacto numa obra artística, é um vigor. A alegria de sermos filhas de Deus transparece aos que estão conosco, ao nosso redor, impressiona, incomoda e contagia. Se alguém já lhe disse alguma vez: “Nossa, você parece não ter tristeza”, “Nossa, você é feliz assim todo dia?” eu mesmo “Conte-me o que você toma para ser feliz assim”. Essas reações podem ser sinal de que você entendeu que a alegria do Senhor é nossa força. E não se trata de ser falsa, esconder suas tristezas ou viver mascarando os problemas. Não! Viver a alegria do Senhor como nossa força é não se deixar abater pelos desafios cotidianos, viver de fé e acreditar que, mesmo em meio às dificuldades, algo bom acontecerá.

Todos os dias somos desafiados a ser melhores. Em casa, no trabalho, com os amigos, nos relacionamentos, nos estudos… Por onde passamos existe uma competitividade que nos ronda, independente da nossa vontade. Os desafios são muitos e não começam fora de nós, mas é uma luta inicialmente de nós com nós mesmos. Como cristãs, somos chamadas a ir ao encontro do outro, vencer a mulher velha, quebrar as correntes que nos aprisionam e sermos melhor do que fomos ontem.

É duro, é difícil e exige força.

Outro significado da palavra  força  é “característica psicológica do que não se deixa abater nem dominar, e tem firmeza nas decisões”. Claro que temos muitas tristezas no dia a dia, mas viver a alegria do Senhor é crer que nada nem mal nenhum é maior do que a alegria de ser chamada filha de Deus. É decidir-se pela alegria, mesmo na dor.

Outra definição de força tem relação com a eletricidade, que move o nosso mundo atual, as tecnologias que levam, por exemplo, luz e modernidade aos diferentes rincões do mundo. A alegria do Senhor possibilita que sejamos a transformação da sociedade, luz para onde antes a vida era limitada, sem visão; é tornar acessível aos outros a riqueza dos ensinamentos de Jesus, pelo nosso testemunho de vida, muitas vezes, sem dizer palavra, apenas com um sorriso, um gesto alegre, uma caridade verdadeira sem esperar recompensa.

Viver a alegria do Senhor como nossa força não significa que nunca haverá choro, tristeza ou dor. Os desapontamentos fazem parte da vida, mas eles não podem ser maiores do que a alegria. A tempestade nunca é eterna, e, mesmo em meio ao choro, é importante não perder de vista que a alegria do Senhor nos fortalece. Sem minimizar os casos patológicos de tristeza, que requerem acompanhamento de profissionais da saúde, Deus nos convida  a vencer os desafios fortalecidas pela alegria.

A propósito, uma boa maneira de refletir sobre a alegria do Senhor que nos fortalece é meditar o santo terço, em especial os  mistérios da alegria. É nítida  a força de Nossa Senhora, que diz ‘sim’ ao projeto de Deus para sua vida. Serva, vai ao encontro de Isabel, dá à luz sem qualquer conforto, escuta a profecia de Simeão na apresentação do bebê Jesus e vive a perda e o encontro de Jesus no templo entre os doutores da lei. Cinco situações que poderiam ser de tristeza, dor e aflição, mas sobre as quais não há qualquer relato bíblico indicando a angústia de Maria. Que ela interceda por nós, para que sejamos mulheres fortalecidas na alegria do Senhor para vencer os desafios.


Mariella Silva de Oliveira Costa

Mineira , esposa, católica, feliz e amante de uma boa prosa. Jornalista, pesquisadora e professora universitária, é doutora em Saúde Coletiva (UnB), mestre em tocoginecologia (Unicamp), especialista em jornalismo científico (Unicamp) e graduada em comunicação social (UFV). Participa da RCC desde 1998 tendo atuado no Ministério Universidades Renovadas e no Ministério de Comunicação Social. Cofundadora do projeto Muitas Marias.com
Contato: mariellajornalista@gmail.com Twitter: @_mari_ella_

Evite nomes e testemunhos muito explícitos, pois o seu comentário pode ser visto por pessoas conhecidas.