Papel do catequista

Formação contínua de catequistas: os primeiros ensinamentos

A vocação do catequista pede conhecimento da Doutrina, exemplo de vida, didática e clareza para transmitir os ensinamentos de Jesus Cristo. Na catequese infantil, é comum que se ensine as orações do Pai-Nosso e a Ave-Maria. Já nos encontros de jovens e adultos, talvez esse e outros ensinamentos mais básicos sejam deixados de lado, porque nos parecem ser conhecidos por todos. Mas, vez ou outra, algum catequizando pode desconhecer essas orações ou o modo correto de fazer o sinal da cruz ou os momentos de estar em pé e ajoelhar-se na Santa Missa. Por isso, o catequista precisa estar atento a essas lições e fazê-lo de forma discreta, para evitar constranger o catequizando.

De fato, mesmo aqueles que não participam ativamente das missas conhecem as orações e sabem fazer o sinal da cruz. E isso pode agravar a situação de quem não sabe, porque o catequizando, percebendo que todos sabem a oração da Ave-Maria (por exemplo), pode sentir-se constrangido em perguntar e acaba participando dos encontros sem saber ao certo a oração.

Formação-contínua-de-catequistas-os-primeiros-ensinamentos

Foto Ilustrativa: sabelskaya by Getty Images

Quais devem ser os primeiros ensinamentos?

A dica é ensinar a todos os preceitos mais básicos desde os primeiros encontros e deixar claro que qualquer dúvida pode ser exposta sem timidez. Uma vez que esses preceitos básicos sejam o tema principal do encontro, aquele que não conhece as orações ou os ritos litúrgicos se sentirá mais à vontade para apresentar suas dúvidas.

Se possível, entregue as orações por escrito logo no primeiro encontro. Sugiro o Pai-Nosso, a Ave-Maria e o Credo, que fazem parte do rito litúrgico das missas. Outra sugestão é levar os catequizandos até o altar e demonstrar as etapas da Santa Missa. Nesse momento, sem aprofundar-se tanto nos ritos litúrgicos, mas para indicar o significado e a importância de cada gesto realizado, do momento de ajoelhar-se e pôr-se de pé, fazendo com que eles compreendam a participação da assembleia durante a celebração.

Um ponto importante é a familiarização com a Bíblia Sagrada. É bom que o catequista ensine a buscar os livros, capítulos e versículos, inclusive, citando alguns trechos e pedindo que os catequizandos os localizem em suas bíblias. Estes três pontos: orações, Missa e Bíblia devem ser tratados logo nos primeiros encontros, porque se tornarão parte da vida religiosa deles.

Leia mais:
.: Dicas para catequistas
.: Qual a importância da catequese para a fé das crianças, jovens e adultos?
.: Por que é necessário ter catequese e catequistas?
.: Como incentivar as crianças a gostarem da Palavra de Deus? 

Passe confiança e segurança para seus catequizandos

Reforço que essas dicas têm a intenção de acolher o catequizando que pouco conhece da doutrina, sem constrangê-lo ou obrigá-lo a perguntar, porque essa pergunta pode não surgir e a dúvida se manterá. Nas palavras do Santo Papa João Paulo II: “Fim específico de toda a obra e forma de catequese será o de fazer germinar, crescer, desenvolver a semente da fé, depositada pelo Espírito Santo com o primeiro anúncio, e eficazmente transmitida com o Batismo”.

Para tanto, o medo e a timidez devem ser afastados, para que o catequizando se identifique em um local seguro, onde será sempre tratado com carinho e respeito. Que assim seja e bons encontros!

Referências:

PAPA JOÃO PAULO II. Discurso às comunidades neocatecumenais vindas de todas as partes do mundo. Roma, 10 fev. 1983.

banner the church


Luis Gustavo Conde

Catequista atuante na evangelização de jovens e adultos. Palestrante focado na doutrina cristã. Advogado com atuação na área de Direito de Família e Direito Bancário. Tecnólogo em Gestão Empresarial. Professor de cursos técnicos-profissionalizantes.
Instagram: @luisguconde Contato: luisguconde@gmail.com

 

 

comentários