intercessão

Santos anjos do coro das potestades: tropa de choque do Céu

Continuando a nossa reflexão sobre o mistério dos santos anjos de Deus, chegamos ao terceiro coro da segunda hierarquia celeste: as Santas Potestades. O próprio nome desses nossos irmãos celestiais revela-nos a missão deles e o modo em que esses se relacionam com Deus e conosco.

As referências bíblicas relacionadas a eles encontramos em Cl l,16, quando o Apostolo Paulo afirma que os anjos, entre eles as potestades, foram criados para e por Jesus nosso Senhor. Por sua vez, em Efésios, o apostolo dos gentios nos adverte que não é contra homens de sangue e carne que devemos lutar, mas contra principados e potestades, referindo-se aos anjos caídos (Ef 1,21; 3,10). Logo, em um pensamento lógico, aprendemos à luz da doutrina que, esses nossos irmãos são anjos de guerra e de batalha. Não é por acaso que esses seres celestiais são representados, como um corpo de combate fortemente armado ou como uma espécie de “tropa de elite”, que age com poder e autoridade contra todo o mal1.

Santos anjos do coro das potestades: tropa de choque do céu

Imagem ilustrativa: Guariento di Arpo

A coragem e vigor dos santos anjos potestades

A etimologia do nome deste coro celeste encontra-se na raiz do grego: Exùsiai, que, por sua vez, em latim, se lê: potestades, que significa poder ou autoridade. Sendo assim, os espíritos celestes deste coro estão profundamente ligados à dimensão da execução dos decretos divinos e, por sua vez, participam diretamente do poder de Deus. Mais uma vez, evidencio que eles, assim como todos os outros anjos, participam da vida de Deus, portanto, o poder que possuem não reside em neles mesmos, mas em Cristo.

Sobre eles, Pseudo Dionisio afirma que os santos anjos deste coro são dotados de uma coragem e um vigor inabaláveis, porque olham para o único todo poderoso e que está acima de todas as coisas. Eles não se bastam em neles mesmos, mas combatem porque sabem que recebem a força e o poder de Deus, para que possam comunicar e executar as potencias inferiores a eles, isto é, os anjos e nós. Neste sentido, Pseudo Dionisio ainda nos explica que eles unem todas as suas forças para cumprir os propósitos do Altíssimo, deixando, portanto, que o poder de Deus habite neles e, por sua vez, com um gesto de amor comunicam aos outros2.

É impressionante o que a tradição nos fala a respeito deles. Além de serem poderosos e exercerem as suas missões com coragem e poder, eles são guerreiros e combatem a nosso favor e para a defesa do nome de Deus. Estão tão unidos a Deus que São Leão Magno chega a afirmar que serão eles a assistir a Cristo no juízo universal. Falando do ministério dos anjos ele afirma:

[…] Assim, igualmente o ministério dos anjos apregoou que há de vir na própria carne para julgar o mundo. Podemos compreender quantas potestades serão assessoras no juízo, se, ao ser julgado, tantas o serviram […]3

Ainda, nesta linha de pensamento, São Tomás de Aquino nos ensina que esta ordem de anjos possuem o poder sobre os demônios4. Por isso, em momentos de  batalha espiritual, convém entrarmos em relação com eles e pedir com fé o auxílio e a intercessão destes nossos irmãos fiéis a Deus e à vontade d’Ele.

Leia mais:
.:Nós somos irmãos de anjos?
.:A hierarquia dos anjos e o modo da adoração no Céu
.:Os anjos serafins: adoradores de fogo
.:Anjos querubins: guardiões da adoração

Intercessão

Alinhados no Céu em ordem de batalha, eles lutam nos ares a favor daqueles que buscam a Deus. Eles são auxiliadores de todos os ministros de intercessão. Portanto, uma dica que te dou, se, em algum momento você se encontrar em dificuldade no campo espiritual por estar passando por batalha e provação muito grandes, peça a intercessão das potestades, que te lembrará onde reside todo o poder. E, assim, não andaremos distraídos por causa do barulho que, muitas vezes, o inimigo faz, a fim de nos distrair do centro da nossas vida, que é Deus.

No final de tudo, então, aprendemos que estes anjos estão debaixo do poder e majestade de Cristo que venceu a morte e que afirmou:

“Todo o Poder foi me dado no céu e na terra. Ide por todo o mundo e, portanto, ide e fazei com que todos os povos da terra se tornem discípulos, batizando-os em nome do Pai, e do Filho, e do Espírito Santo” (Mt 28,18).

O que podemos concluir sobre tudo o refletimos?

Todas as vezes que nos colocamos a serviço de Cristo Jesus e no Seu Nome obedecemos e executamos as Suas ordens, estaremos assim imitando o coro das potestades, que também são enviados por Deus para cuidar de cada membro do corpo de Cristo. O “Ide”, dado aos anjos, agora é dado a você. Todas as vezes, a partir de hoje, que você sair em missão para pregar o evangelho, não hesite de convidar estes irmãos para ir contigo!

Santas Potestades, rogai por nós!

Referências:

1 Cfr. SÃO TOMÁS DE AQUINO, Summa Theologica II, Edições Loyola, São Paulo 2005, Q. 108, Art.6, p.780.
2 PSEUDO-DIONISIO, Hierarcha celeste, BIBLIOTHECA PATRISTICA, VIII, p. 18.
3 SÃO LEÃO MAGNO, Sermões, LXXIV: Segundo Sermão na Ascensão do Senhor, art. 4.
4 Cfr. SÃO TOMÁS DE AQUINO, Summa Theologica II, Edições Loyola, São Paulo 2005, Q. 110, Art.2, p.794.


Rafael Brito

Rafael F. de Brito é missionário do Movimento Aliança de Misericórdia. Professor e pregador, ele é mestre e doutorando em Teologia Dogmática pela Universidade Gregoriana de Roma, e mestre e doutorando em filosofia pela Universidad Pontificia de SALAMANCA. Casado, Brito é, atualmente, residente em Roma, Itália.

Mídias Sociais @rafaelfdebrito ==> Instagram, YouTube, Facebook e Twitter

comentários