Via-do-sucesso X Via-sacra

Terá Jesus esquecido a sua via sacra? Não me parece. Penso que todos os acontecimentos dessa via-sacra dão hoje vida à Igreja e são a razão de ser da sua missão fazendo presente a esperança e a ressurreição. Poderei eu esquecer a minha via-sacra? Penso que a minha história com todos os fatos, pessoas e tempos tiveram e continuam a ter sentido e por isso não podem ser esquecidos.

Os bons e os maus momentos, a alegria e a tristeza, a morte e a vida fazem parte integrante da minha caminhada. A cruz e o sofrimento aí estão questionando-me quando a minha vontade não se cumpre. Entre as pequenas mortes do ser que acontecem no dia a dia, porque os meus projectos não seguem o rumo que eu gostaria e porque as pessoas que me rodeiam me incomodam, e a morte física dos que nos são queridos, existe um tempo indefinido de mistério que não é meu porque vai para além da minha razão.

Na construção da minha história, feita de mudanças agradáveis e desagradáveis, feita também de relacionamentos e diálogos e feita com o silêncio e os “etceteras” de Deus, há tantas coisas que não entendo porque não acompanham a lógica do meu interesse. Quantas vezes desejei mudar o “software” que Deus tem para a minha vida…

No entanto penso que tudo o que é vida não deve ser esquecido. Mesmo o disparate mais grosseiro ou o pecado que repudio e me recuso a aceitar deve ser guardado porque um dia, mais tarde, terá com certeza um significado para a minha vida. O que não entendo hoje poderei vir a entender amanhã. S. Tomás More, pouco antes da sua execução, escreve à sua filha transmitindo-lhe a esperança num futuro desconhecido: “Nada pode acontecer sem que Deus o tenha desejado. Ora, tudo o que Ele deseja, por mau que pareça, é, no entanto, o que é melhor para nós”.

Recordo a Virgem Maria quando ao longo da sua vida não entendia muita coisa que ia acontecendo com Jesus, mas pacientemente “conservava todos esses acontecimentos e os meditava em seu coração”. Alguns anos mais tarde e após toda a via-sacra de Jesus e a sua própria via-sacra, pode ver o poder de Deus ressuscitando seu Filho Jesus Cristo e de novo… “a sua alma glorificou a Deus”.

De facto, não posso esquecer a minha via-sacra, porque é nos acontecimentos que vivo que me encontro com os sinais dos tempos e me relaciono com Jesus Cristo. É igualmente na dimensão do mistério da vida que a força da Palavra se vai revelando dando sentido ao meu caminhar. Afinal Deus existe ou não? Se existe, a minha via-sacra tem sentido e este sentido é dado por Ele. Para quem não acredita em Deus a via, apesar de ser pagã, pode tornar-se sagrada por força do espírito actuante que se torna visível na mudança de vida, quando acontece a conversão.

Nestes tempos actuais a força parece estar do lado da secularização e do laicismo. Democratizaram o pecado e como “todos fazem”, em nome de maiorias tudo pode ser permitido. De facto, a via que está na moda é a “via-do-sucesso” a qualquer preço… mas, mesmo aqui o impossível pode acontecer. Há sinais que quando menos se espera dão outra dimensão à vida. Paulo precisou de um cavalo e S. Pedro de um galo. Afinal a ocasião pode fazer… o cristão.

Evite nomes e testemunhos muito explícitos, pois o seu comentário pode ser visto por pessoas conhecidas.