Sua vida... Tem valor?

A vida sou eu, é você, com um longo caminho a trilhar, muito a ganhar e perder, muito a ensinar e muito mais a aprender, hora de lágrimas e sorrisos, entre barulhos ou tantos silêncios, enfim, a vida é você e sou eu em nosso vasto caminho diário.

Toda uma vida pode ser como um trem em seus trilhos, com hora marcada, com carga vazia ou pesada, de poucos e muitos vagões, com destino certo; ou como o vento, em quaisquer ou vários caminhos, sem dia ou hora para passar, livre, veloz ou devagar, curto ou extenso, sem destino para posar ou pairar.

Bem… A vida depende da vida que somos nós – você, eu. E do sentido que a damos.
É como a matemática; repleta de mais ou menos, nos pares e ímpares momentos oportunos de cada segundo que passamos ou que aos olhos piscamos; cheia de seus divisores e multiplicadores, porém, acima do cálculo de nossas contas humanas, a vida… A vivemos.

Somos vidas, e vidas marcadas pelas etapas do caminho, etapas do “ser”. Recordações da infância, lembranças da adolescência, da escola, da cidade, dos amigos, da juventude, dos amores, da família, dos valores do coração, das aventuras, dos tantos “sim” e “não” que ao tempo vamos aprendendo e convivendo. Etapas de nossa natureza humana.

– Que sentido tem a vida para mim ou que sentido tenho eu para eu mesmo?
– Quais as escolhas que tomei durante o meu eu de vida? O que aprendi com elas?

A vida é passado, presente e é futuro. O passado é o registro; o presente eu penso, escolho, decido, dou passos e registro; o futuro é o sentido de o meu dormir para amanhecer, do meu pensar, olhar, falar e de todo o meu esperar, convicto que terei amanhã para viver e registrar vida em meu ser.

A vida é beleza, é saúde, é cuidado, é atenção, é esperança e é também certeza. Porém, a vida é mais que o afora que passa; como as verdes folhas que murcham, caem na terra e somem; como o rio que corre. Água molha, dá vida, mata a sede e… Seca. Como o corpo que desenvolve–se, amadurece, põe–se em forma, depois envelhece e passa.

“É importante estar de olhos e coração sempre atentos, pois o que nos pode parecer pobre e apagado hoje, poderá revelar–se um lindo e iluminado tesouro amanhã”.

A vida é tesouro, de valor inigualável; tesouro interno, de decisões, de escolhas, de sabedoria, de simplicidade, mansidão, humildade, amor; muito mais que o externo que passa, sem desmerecer–mos seu grande valor.
A vida pode ser o sentido que damos ao todo que construímos pelo longo do tempo na espera do algo maior que no futuro haveremos de ver, receber e viver.

Como um trem repleto de lenha, vivendo certo nos tortos trilhos de Deus, aproveitando os tempos providenciais de cada momento, com seus muitos ou poucos vagões, porém, repletos de vida; livre como o vento à condução do maquineiro: Deus para entre os vários caminhos, no certo destino: céu, enfim chegar.

Esta escolha de viver a vida, eu tomei e com ela tenho aprendido a cada dia.
E você, que sentido tem sua vida?
Quais escolhas de hoje têm regido o viver sua vida?

Que Deus abençoe sua vida em todos os seus passos e escolhas.

Evite nomes e testemunhos muito explícitos, pois o seu comentário pode ser visto por pessoas conhecidas.