Só se aprende a amar, amando

Em quase todos os países se celebra o dia dos namorados. Dia de sonhos, alegria, e claro, de presença de alguém. Cada um de nós quer acertar e ser melhor. Mas muitas vezes paramos nos nossos medos e dificuldades, e então corremos o risco de por “tudo por água abaixo”.

O que devemos fazer?
É bom começar do início!

Buscar cura interior, para viver um relacionamento.

Comigo aconteceu assim: estava vivendo um tempo forte de cura, escrevendo a história da minha afetividade e buscando oração de cura interior, e expressando meus sentimentos para Deus, sem medo. E como Deus é “prático”!

Posso dizer que se nos desencontros amorosos criei as autodefesas, e essas prejudicaram um possível relacionamento amoroso. Preciso lembrar também, que foi por meio de um encontro, do desenvolvimento de um processo amoroso, que as barreiras de rejeição, condenação, medo, incapacidade de se dar, de ver e respeitar o outro como uma pessoa única, foram se rompendo dentro de mim.

Não posso dizer que foi rápido. Levou tempo, mas graças a Deus pude contar com o carinho daquele que seria o meu namorado (na época um grande amigo). Foi desse processo que nasceu o namoro! Aprendi a capacidade de me doar, de viver o amor e respeitar o outro. Hoje estou aprendendo a respeitar o tempo dele que é diferente do meu.

Hoje ele é pré-noviço da Comunidade Canção Nova, neste tempo aqui nós não namoramos, voltamos ao início onde carinho compreensão e amizade precisam ser vividos de uma forma mais intensa, construindo um novo dentro de nós e ao nosso redor. Somos amigos e esperamos logo estarmos juntos novamente.

Posso dizer que tudo isto foi possível, e se torna possível, porque entrei nesta dinâmica:
Só se aprende a amar amando e a se relacionar, se relacionando.

Evite nomes e testemunhos muito explícitos, pois o seu comentário pode ser visto por pessoas conhecidas.