"Seu garçom, por favor..."

“E quem não toma a sua cruz, e não me segue, não é digno de mim.” (Mateus 10, 38).

“Seu garçom, por favor…”

“Quando vejo nove talheres à minha frente, três copos, e o garçom se aproximando com a comida, entro em pânico: e se eu usar o garfo errado? Todo mundo vai nota minha pouca experiência…”

Este tipo de preocupação é muito mais comum do que se imagina. O fantasma de usar o copo errado ou se atrapalhar com um prato mais complicado parece paralisar as pessoas à mesa. O que ninguém pára para pensar é que, quase sempre, a atitude ou palavra errada podem comprometer muito mais o clima de qualquer refeição do que detalhes como estes.

“Oh, meu Deus! Lá se vai minha dieta…”. Nada pode ser mais inconveniente para o anfitrião de um almoço do que alguém deixando todos com culpa ante um prato preparado com todo o carinho, depois de um comentário desastrado desses; será fatalmente encarado com desconfiança. Esqueça a dieta. Inclusive o comentário.

“Nossa! Nunca comi esta receita. Melhor não arriscar…”.Total falta de sensibilidade. A não ser que tenha certeza de que vai botar as tripas para fora se provar a tal exótica iguaria, (é só experimentando para saber). Arrisque sim, nem que seja em consideração ao cozinheiro.

Muita gente fica sem graça por achar que não vai “saber comer” um prato mais complicado ou diferente. Nesse caso, não hesite em perguntar, revertendo a situação.

Evite nomes e testemunhos muito explícitos, pois o seu comentário pode ser visto por pessoas conhecidas.