São Miguel, socorro dos moribundos

A Igreja, pela voz oficial dos Papas, constituiu São Miguel padroeiro dos moribundos e auxílio nas tentações que o demônio costuma infringir às almas nos seus últimos momentos, satanás, sabendo que os nossos destinos eternos dependem da maneira pela qual morremos e que só se morre uma vez, redobra de audácia, e mesmo junto das almas virtuosas, tentando-as através do orgulho, do desespero, da luxúria, etc…

A Igreja nomeia São Miguel o porta-estandarte da Salvação e na liturgia da Missa pede-se a São Miguel “que introduza as almas dos que deixaram este Mundo na luz celeste”.

Oh! Como será consoladora e cheia de confiança a morte daqueles que em vida honraram São Miguel e pediram a sua assistência, sobretudo para a difícil hora da morte!

Diz São Boaventura: “Nossa Senhora nos manda São Miguel com todos os Anjos, para que imediatamente os defenda da investiduras dos demônios e recebam as almas de todos os que a Elas continuamente se têm encomendado”

Evite nomes e testemunhos muito explícitos, pois o seu comentário pode ser visto por pessoas conhecidas.