O sentido do Natal

Noite estrelada.
Abrindo a janela, aquele colorido das luzes natalinas prendem minha atenção.
Fico um pouco de tempo debruçada sobre as mesmas, olhando o movimento da rua.

Enquanto muitos correm de um lado para o outro com sacolas de presentes à mão,
outros ainda arrumados estão a caminho da igreja.

Ouço músicas alegres e suaves…
Aroma de comida bem preparada…
Muitos se cumprimentam na rua, trocam abraços, sorrisos…

Nas lojas mais próximas as TVs ligadas são como vitrines do mundo transmitindo o que há de mais bonito e tudo que se pode comprar.

Olhando pela janelas de algumas casas de frente à minha, famílias se reúnem.
Aos pés de uma árvore natalina lembranças e presentes preenchem o espaço.
Ouço na TV países que dão trégua nas guerras.
Tudo tão bonito…

Mas e o sentido do Natal?
Meus olhos o procuram nessa paisagem que vejo pela janela.
Olhando para o céu…
Uma estrela brilha intensamente e desvia minha atenção aqui para baixo.
Envolto em folhas de jornal, encolhido e escondido sob o frio, esconde a resposta que procurava enquanto muitos correm na busca da festividade.

O natal nasce pela primeira vez em meu coração.
Recordei-me de uma palavra de Jesus, que me fez descer correndo as escadarias para acolher o Jesus Menino.
Acolhê-lo em minha casa e ceiar com Ele…

Sob aquele jornal estava uma criança. Sozinha, com medo, faminta…
‘Todas as vezes que vocês acolherem um desses pequeninos é a Mim que vocês acolhem’.
Jesus quer ser acolhido em sua manjedoura.
Ele que poderia ter nascido no luxo, nasceu em uma estrebaria sob a noite estrelada,
cuidado sob o seio virginal de uma mocinha chamada Maria.

Eis o que faltava para a alegria do meu lar: Jesus presente no sorriso daquela criança.

Pela primeira vez vivi o Natal.

Feliz Natal!!!

Evite nomes e testemunhos muito explícitos, pois o seu comentário pode ser visto por pessoas conhecidas.