O sábio ouvinte

“Se gostares de ouvir, receberás a instrução; se inclinares teu ouvido, serás sábio”. (Eclesiástico 6,33)

Quando me deparei com a Palavra de Deus trazendo este versículo do livro do Eclesiástico, descobri o caminho seguro para adquirirmos a tão almejada sabedoria: ouvir.

Ouvir é, sem sombra de dúvida, este caminho seguro que nos leva a vivermos como pessoas sábias. Daí, em contrapartida, o mundo que nos quer cada vez mais insensatos, vai nos educando (ou melhor: deformando) a sermos “tagarelas”!

Falamos, falamos, falamos e, quando não há mais nada a ser dito, falamos para que sempre prevaleça aquilo que falamos! Chega a ser até engraçado… Existem pessoas por aí que falam tanto, que escondem, na verdade, uma profunda necessidade de serem ouvidas.

Ou seja: as pessoas não querem tanto falar, o que elas buscam, na verdade, é alguém que as escute!

E pessoas dispostas a ouvir o outro, a acolher com respeito e atenção a partilha ou mesmo o desabafo do próximo, estão cada vez mais difíceis de se encontrar. O tempo atual em que vivemos também não ajuda muito: nestes tempos tão agitados em que priorizamos mais as coisas do que as pessoas, em que não temos tempo para conversar com a esposa e, sobretudo, ouvi-la, porque está na hora do jornal; em que não temos tempo para ouvir aquilo que os nossos filhos estão enfrentando, porque o jogo de futebol está na hora de começar; em que não ouvimos ninguém, porque o nosso tempo é sempre tão corrido e, muitas são as responsabilidades em nosso dia-a-dia, penso que, diante de tal cenário, as pessoas que ouvem estão se transformando em “espécies em extinção”.

Falar é necessário, expor aquilo que pensamos e sentimos é vital. No entanto, ouvir também é preciso! O autor sagrado nos dá a receita para a sabedoria: “se inclinares teu ouvido, serás sábio”.Inclinar o ouvido é, antes de tudo, inclinar o coração!

O coração que se volta na direção do próximo, que se compadece de sua realidade, que mostra interesse por aquilo que o outro está nos falando é, com toda a certeza, um coração sábio. Tenho pedido a Deus esta sabedoria que se revela na prática do ouvir bem.

Por muito tempo, falei, gritei, questionei, opinei e até desabafei! Fui, desta forma, matando o homem silencioso e sensível às moções do Espírito que existe dentro de mim.

Por muito tempo, permiti que o homem tagarela, insensato e impulsivo prevalecesse sobre o homem silencioso que sabe ouvir a Deus nas mais diversas situações, sejam elas boas ou não.

Hoje, me esforço para reverter este triste quadro. Não está sendo fácil… É uma luta diária. É um treino por demais exigente. Mais ainda: é um processo lento e crescente de conversão.

E assim, dia após dia, inclinando o meu ouvido e adestrando a minha língua para que fale apenas o necessário – o que não é nada fácil. Eu vou seguindo por este caminho seguro na busca do coração verdadeiramente sábio.

Dê um tempo para ouvir os outros. Tem muita gente querendo falar sem que ninguém as escute. Queira ser sábio. Queira ouvir os outros. “Tagarelas” existem aos montes. Sábios, na prática do ouvir com o coração, ao contrário, estão se tornando cada vez mais uma “espécie em extinção”.

Que o Senhor faça de mim e de você, sábios ouvintes.
É a graça que eu peço neste dia.

Um abraço fraterno,

Evite nomes e testemunhos muito explícitos, pois o seu comentário pode ser visto por pessoas conhecidas.