Não vá tão rápido!

A seguinte história foi retirada de um pequeno jornal de uma cidade do interior dos EUA, por uma amiga que lá morava. Ela leu para mim o recorte de jornal, muito emocionada.

Um jovem bem sucedido executivo dirigia por sua vizinhança, correndo além do que devia em seu Jaguar de cem mil dólares. Observando algumas crianças que corriam por entre os carros estacionados, diminuiu um pouco a velocidade. Enquanto passava, nenhuma criança apareceu. De repente, um tijolo espatifou-se na porta do jaguar. Freou bruscamente o carro e deu marcha ré até onde teria vindo o tijolo. Saltou do carro e pegou bruscamente uma criança empurrando-a contra um veículo estacionado e gritou:

“Por que fez isso? Que besteira é essa que você fez! Isso vai custar muito caro a seu pai!” A criança retrucou, os olhos rasos d água: “Por favor, me desculpa, eu não sabia mais o que fazer! Ninguém estava disposto a parar e me atender neste local.”

Lágrimas corriam pela face do garoto, enquanto apontava na direção dos carros que passavam correndo. E acrescentou: “É o meu irmão, ele desceu sem freios e caiu de sua cadeira de rodas. Ele está machucado e eu não consigo levantá-lo.” Soluçando o menino perguntou ao executivo: “O Senhor pode me ajudar a recolocá-lo na cadeira de rodas? Ele é muito pesado para mim!”

Movido internamente muito além das palavras, o jovem motorista engolindo um “nó imenso” dirigiu-se ao jovenzinho, colocando-o em sua cadeira de rodas. Tirou um lenço, limpou as feridas e arranhões, verificando se estava tudo bem.

A criança, agradecida, disse ao homem: “Obrigado e que meu Deus possa abençoá-lo!” Pensativo, o motorista viu o menino se distanciar empurrando o irmão na cadeira de rodas em direção a sua casa. Foi um longo caminho de volta para o Jaguar… um longo e lento caminho de volta.

O executivo nunca arrumou a porta amassada. Deixou-a amassada de propósito para lembrá-lo de não ir tão rápido pela vida, que alguém tivesse que atirar um tijolo em sua direção para obter a sua atenção.

Esta história levou-me a refletir que temos ido rápido demais pela vida. Não temos tido tempo para ouvir o irmão que está à beira da estrada da nossa vida, talvez precisando de nossa ajuda.

Algumas vezes o Senhor nosso Deus tem que lançar um tijolo em nossa direção, quando não temos tempo de ouvir. A escolha é sua: ouvir o sussurro de Deus lhe pedindo que pare um pouco a correria do dia-a-dia, ou esperar pelo tijolo.

Reflita bem!

Evite nomes e testemunhos muito explícitos, pois o seu comentário pode ser visto por pessoas conhecidas.