Festa do Corpo de Cristo

A fé em Jesus Cristo deve ser gratuita, e não subordinada a Sinais que obedeçam aos nossos critérios. Os sinais de Deus estão sempre acontecendo, mas o olhar das pessoas pouco percebe, principalmente porque o olhar dessas está sempre fixo nas realidades aparentes, o que impede de ver os sinais que Deus realiza em suas vidas. Somente quem tem fé, é capaz de ver além das aparências, podendo reconhecer Jesus como sendo o pão da vida descido dos céus para alimento do mundo.

O Dom maior para a vida é Jesus. Sem Jesus – a vida do homem e da humanidade – não tem futuro: “Eu sou o pão da vida, quem vem a mim não tem fome e quem crê em mim nunca mais terá sede” Assim nos fala o Senhor. Só Jesus dá significado à vida de quem quer que seja. Enquanto não O descobrimos ficamos “batendo cabeça” de lá para cá, sem encontrarmos o verdadeiro sentido para nossa vida. É por isso também, que há uma Multidão de pessoas infelizes por ai afora.

O grande mistério da fé cristã é que Deus veio a nós no corpo, sofreu conosco no corpo, ressuscitou no corpo, e nos deu o seu corpo como alimento. Nenhuma religião leva o corpo tão a sério como a religião cristã. O corpo não é visto como o inimigo ou como uma prisão do Espírito, mas celebrado como o templo do Espírito. Através do nascimento, da vida, da morte e da ressurreição de Jesus, o corpo humano tornou-se parte da vida de Deus. Alimentando-nos do Corpo de Cristo, nossos próprios corpos, frágeis, tornam-se intimamente ligados ao Cristo ressuscitado, e assim preparados para ser elevados com Ele à vida divina. Jesus diz: “Eu sou o pão vivo descido do céu, quem comer deste pão viverá eternamente. O pão que eu darei é a minha carne para a vida do mundo” (Jo 6,51).

É em união com o Corpo de Cristo que eu venho a conhecer o significado pleno do meu próprio corpo. Meu corpo é muito mais do que um instrumento mortal de prazer e de dor. É um lar onde Deus deseja manifestar a totalidade da glória divina. Esta verdade é a base mais profunda para a vida moral. O abuso do corpo — seja ele psicológico (por exemplo, instilando medo), físico (tortura), econômico (exploração), ou sexual (busca do prazer) — é uma distorção do verdadeiro destino humano: viver no corpo eternamente com Deus. O cuidado amoroso dado aos nossos corpos e aos corpos de outros é portanto um ato espiritual, uma vez que conduz o corpo para mais perto, em direção à sua existência gloriosa.

Eu me pergunto como posso levar esta boa nova, às muitas pessoas para quem o corpo é pouco mais do que uma fonte ilimitada de prazer ou uma incessante fonte de dor.

A festa do Corpo de Cristo nos é dada para reconhecer plenamente o mistério do corpo e para nos ajudar a encontrar meios para viver reverente e alegremente no corpo, na expectativa da vida ressuscitada com Cristo.

Seu Irmão

Eduardo Rocha Quintella
Fraternidade S. J. da Cruz O.C.D.S. -BH Adorador Noturno Boa Viagem
E- mail: eduardoquintella@superig.com.br fone: (0xx31) 3486-8507- BeloHorizonte MG

Evite nomes e testemunhos muito explícitos, pois o seu comentário pode ser visto por pessoas conhecidas.