Compaixão x "eupaixão"

Quem já se deparou com aquelas pessoas que amam curtir o sofrimento? Que estão sempre dizendo: “eu não consigo”; “ninguém olha para mim”; “realmente, eu sou o pior de todos e mereço ficar de fora”… São pessoas que vivem a sua própria paixão, ou seja, que sofrem por si mesmas e não deixam mais ninguém tentar ajudá-las, mesmo quando o outro quer sofrer junto com elas.

Eu já encontrei muitas pessoas assim e talvez você seja uma delas. Quando o profeta Isaías (53,4) diz: “Eram na verdade os nossos sofrimentos que ele carregava, eram as nossas dores, que levava às costas. E a gente achava que ele era um castigado, alguém por Deus ferido e massacrado.”

Ele diz que há alguém que sofreu por nós, sofre e sofrerá, se necessário, conosco e por nós, portanto, não vale a pena se fechar no seu sofrimento e deixar passar a enorme graça de dar sentido a tudo isso; canalizar a Deus, sublimar, oferecer por todos que sofrem e não conseguem “tirar água do deserto” ou “ver um broto nascer numa madeira cortada”.

Há quem consiga ficar mais de um mês sem dar um sorriso, porque não vê motivos para tal e não sente falta de nada, muitas vezes, porque o coração já está habituado a se fechar em si mesmo e a desfrutar das angústias que lhe são apresentadas. Tudo isso é a “Eupaixão”, é parar à beira do caminho.

Agora, se estiver disposto a dar um basta nisso tudo e se abrir ao Cristo que sofreu, sofre e sempre sofrerá, sempre que necessário, com você e por você, estará aderindo àquela compaixão que traz a libertação do coração e da alma, que traz o amor que tanto tempo deixou de ser experimentado por você.

Comece a caminhar e verá pelo caminho a alegria que precisou se retirar um dia, porque você não queria nada com ela, aquele “sorrisão” que sumiu por falta de oportunidade, os amigos que foram trocados por você mesmo e, como o caminho ficou cheio de pedras, as quais, agora, machucam os seus pés, assim como verá aquelas mãos que foram negadas por você durante tanto tempo, mas, que agora o ensinam pelos gestos, que, dar lugar à compaixão, é dar lugar à própria ressurreição.

Ser compassivo é uma virtude, abrace-a com o coração e você terá mais forças no caminho.

Um grande abraço!

Evite nomes e testemunhos muito explícitos, pois o seu comentário pode ser visto por pessoas conhecidas.