Como a argila nas mãos do oleiro...

NAS MÃOS DE DEUS, COMO A ARGILA NAS MÃOS DO OLEIRO

‘Casa de Israel, não poderei fazer de vós o que faz esse oleiro? – Oráculo do Senhor. O que é a argila em suas mãos, assim sois vós nas minhas mãos.’
(Jeremias 18,5-6
)

Não podemos negar o poder de Deus em nos restaurar plenamente e, também, não podemos negar que precisamos dessa restauração e com urgência.

Deus ordenou ao profeta Jeremias que fosse observar a dinâmica do oleiro para construir um vaso de argila. Ao fazer o vaso, este se partiu nas mãos do oleiro que o refez, porém de uma forma diferente que o modelo anterior.

Essa passagem deve nos conduzir a algumas reflexões:

– Devemos ser submissos à vontade de Deus, que molda o nosso espírito, mente, emoções e físico, levando-nos a um perfeito equilíbrio.

– Precisamos buscar o Senhor, desejando que o seu poder aja profundamente em nós.

– Devemos nos abrir inteiramente ao Senhor para que Ele cure todos os nossos traumas, conflitos e rejeições.

Em Isaías 29,16, lemos: ‘Poderá o vaso dizer ao oleiro: eu entendo disso mais do que você?’

Se foi Deus quem nos criou, certamente, Ele sabe muito bem o que precisamos. Simplesmente, precisamos nos abandonar em suas benditas mãos.

Outra passagem de muito significado e importante para nossa reflexão é a de 2 Coríntios 4,7: ‘Um tal tesouro, nós trazemos em vasos de barro, para que transpareça claramente que este poder extraordinário provém de Deus e não de nós’.

Quero terminar esta reflexão com as palavras do Cardeal Dom Cláudio Hummes, que diz: ‘A fé é pessoal, fruto de um envolvimento pessoal com Jesus Cristo. E, porque esse encontro conduz à fé, a essa adesão a Cristo, conseqüentemente aí irá acontecer uma mudança de vida. A conversão é uma conseqüência da fé.’

Evite nomes e testemunhos muito explícitos, pois o seu comentário pode ser visto por pessoas conhecidas.