A experiência com o Espírito Santo

Quando dou o meu testemunho sempre digo que, o que me levou a conversão, a uma mudança de vida foi a experiência que tive com o Espírito Santo.

Lembro-me da vida que levava; muitas noites, muitos bares, chopperias, muita farra nas casas noturnas, nos prostíbulos, toda Sexta-feira tinha uma maconha para fumar, e por aí eu caminhava, e quando acordava no outro dia, por volta das 12h à 13h, me sentia a pessoa mais inútil da face da terra, posso comparar a uma terra sem água, seco, vazio por dentro sem nenhuma esperança.

Posso testemunhar uma das várias vezes que eu passei por situações de morte. Foi em uma noite de carnaval onde por uma briga, que, diga-se de passagem, eu não estava envolvido, mas estava no meio da confusão, a uma distância de mais ou menos cinco metros o indivíduo errou três tiros em minha direção; foi o dia em que eu mais corri na minha vida, a mão de Deus já estava aí.

Naquela mesma noite, logo depois do susto, deitei na laje da minha casa olhando para o céu bem estrelado e fiz esta oração:

“Senhor, se tu realmente existe e a minha vida é importante para ti eu a entrego agora. Não quero mais viver assim, Salva-me!”

Não demorou muito tempo, um mês depois um amigo me disse:

“A minha mãe está freqüentando uma missa lá em Sto Amaro-SP, é a missa do Pe. Marcelo Rossi, ela vai este final de semana e me chamou, e gostaria que você fosse comigo’.

Ele não sabia, mas Deus estava usando este meu amigo de infância para me fazer experimentar a mais fantástica e inesquecível experiência de Deus que já tive em minha vida.

Quando cheguei ao Santuário do Terço Bizantino fiquei assustado com o número de pessoas, vi o ambiente todo iluminado, era muito branco, era a presença de Deus naquele lugar; e quando entrei comecei a chorar sem parar, chorava, mas não sabia de onde vinha o choro e também não conseguia parar. As pessoas ao meu redor olhavam para mim espantadas, acho que nunca vira um jovem chorar tanto como naquele dia. Sentia uma força me envolvendo que, além de chorar, me arrepiava todo, não estava entendendo o que estava acontecendo, mas me rendi a aquela força maravilhosa que tomava conta de todo o meu ser.

Quando cheguei em casa a primeira coisa que fiz foi pegar a bíblia que eu ganhei no dia em que fui crismado. Quando abri, as palavras que saltaram aos meus olhos foram Romanos Cap. 8, 26

‘ o Espírito vem em socorro da nossa fraqueza. Pois não sabemos o que pedir; é o próprio Espírito que intercede por nós com gemidos inefáveis’.

Esta palavra tinha acabado de se concretizar em mim há uma hora atrás, e graças a Deus depois daquela maravilhosa experiência fui em uma Missa após a outra, em um encontro de oração após o outro, fui batizado, mergulhado no Espírito de Deus; e compreendi que aquela oração que fiz em cima da laje de minha casa após aquela situação vivida, Deus levou muito a sério e fez com que sua Palavra se realizasse.

“O espírito vem em auxílio da nossa fraqueza, pois não sabemos o que pedir nem como pedir”.

Sempre digo, aquela experiência não pode ficar apenas na lembrança, ela precisa se realizar todos os dias da minha vida; o batismo no Espírito é para todo dia, sem Ele somos terra seca, imprópria para dar qualquer tipo de fruto.

Que você também possa fazer esta experiência com Deus, e você que um dia teve, mas que ficou só no passado, peça este novo pentecostes, esta nova Efusão do Espírito Santo, reinflama a chama do Dom de Deus que está em ti, peça neste tempo solene que a Igreja vive o derramamento do Espírito sobre você.

Vem Espírito Santo!

Evite nomes e testemunhos muito explícitos, pois o seu comentário pode ser visto por pessoas conhecidas.