Estou pronto agora!

É comum abrirmos a caixa de e-mail e encontrarmos textos enviados em anexos com mensagens coloridas, palavras bonitas, músicas de fundo e tudo o mais. Particularmente não costumo abrir e-mails assim, talvez por falta de tempo ou medo de baixar um vírus. Mas, providencialmente, acabei lendo um desses textos dias atrás. Eu não imaginava que iria passar pela experiência por que passei, nem que o texto iria causar tanto efeito em minha vida. O autor é desconhecido, mas a mensagem é clara, e assim como Deus falou comigo por meio dela, talvez deseje falar-lhe agora também. Veja que interessante:

O capitão de um navio, que estava de saída, dirigia-se apressado para o porto. Estava muito frio… Diante da vitrine do restaurante, ele viu um menino quase maltrapilho, de braços cruzados e meio trêmulo.
– “O que está fazendo aí, meu pequeno?” – disse-lhe o capitão.
– “Estou só olhando quanta coisa gostosa tem aí para comer…”
– “Tenho bem pouco tempo antes da partida do navio. Se você estivesse arrumadinho, eu o levaria para que comesse algumas dessas coisas saborosas”.
O garoto, faminto e animado pelo fio de esperança de que aquele homem lhe ajudaria, passou a mãozinha sobre os cabelos em desalinho e falou:
– “Estou pronto agora!” Comovido, o capitão o levou como estava ao restaurante, fazendo com que lhe servissem uma boa refeição. E enquanto o garoto comia, perguntou-lhe:
– “Diga-me uma coisa: onde está sua mãe, meu pequeno?”
– “Ela foi para o céu quando eu tinha apenas quatro anos de idade” – Disse o menino sem entender ainda a vida.
– “E você ficou só com seu pai? Onde está ele agora? Onde ele trabalha?”
– “Nunca mais vi meu pai desde que minha mãe partiu…”
– “Mas, então, quem toma conta de você?”
Com um jeitinho resignado, o menino respondeu:
– “Quando minha mãe estava doente, ela disse que Deus tomaria conta de mim.
Ela ainda me ensinou a pedir isso todos os dias a Ele”.
O capitão, cheio de compaixão, acrescentou:
– “Se você estivesse limpo e arrumadinho eu o levaria para o navio e cuidaria de você com muita alegria”.
Novamente, o menino, alisando os cabelos sujos e malcuidados, voltou a repetir a mesma expressão:
– “Capitão, estou pronto agora!”
Vendo-o assim quase suplicante, aquele capitão levou o menino para o navio, onde o apresentou aos marinheiros e imediatos, dizendo:
– “Ele será o meu ajudante e será sempre chamado de ‘Pronto, agora’”.
Ali o garoto recebeu tudo o que carecia e as coisas transcorriam, aparentemente, bem. Até que um dia o garoto amanheceu febril. Foi medicado, mas a febre não cedia. Vendo-o piorar, o capitão, aflito, dirigiu-se ao médico:
– “Procure salvá-lo, doutor. Não posso perdê-lo!”
O médico fez tudo o que pôde, mas em vão.
Na tarde seguinte, o menino, chamando o capitão, lhe falou:
– “Eu o amo tanto! Você foi bom para mim. Gostei de estar aqui, mas ainda será melhor no céu. Eu estou pronto agora, vou me encontrar com o Papai do Céu, que também me ama”.
– “Sim, filho, tenho pensado nisso, e continuarei pensando… Mas quando?”
Segurando as mãos do menino, com lágrimas nos olhos, o capitão ouviu-o dizer pela última vez:
– “Estou pronto agora!”

Tenho pensado na maneira como estou me preparando para me encontrar com o Pai do Céu. Quando estarei pronta a entregar a vida e o coração ao Pai?

Outro dia, enquanto acompanhava uma irmã de Comunidade – num quarto de hospital após esta ter sido submetida a uma cirurgia – pensei: “Senhor, e se ela não voltar? Não superar os efeitos da anestesia… Será que ela está preparada para ir ao seu encontro?”

Pensei no texto que acabei de partilhar com você e refleti: “Mas, e eu, Senhor? Estou preparada?” O tempo foi passando lentamente e, no silêncio da noite, fui pensando na vida e na forma como tenho me preparado para encontrar o Pai do Céu.

Aquele garotinho, a quem o texto se refere, certamente estava preparado… Sua vida de miséria não havia corrompido sua esperança e sua fé.

Desejo que esta lição partilhada reavive em nossos corações a expectativa para encontrarmos o Senhor e nos leve a agir de maneira digna para com todos; assim, estaremos sempre prontos.


Dijanira Silva

Missionária da Comunidade Canção Nova, desde 1997, Djanira reside na missão de São Paulo, onde atua nos meios de comunicação. Diariamente, apresenta programas na Rádio América CN. Às terças-feiras, está à frente do programa “De mãos unidas”, que apresenta às 21h30 na TV Canção Nova. É colunista desde 2000. Recentemente, a missionária lançou o livro “Por onde andam seus sonhos? Descubra e volte a sonhar” pela Editora Canção Nova.

Evite nomes e testemunhos muito explícitos, pois o seu comentário pode ser visto por pessoas conhecidas.