Carrancudo... até quando?

O que fazer para que as pessoas nos amem? Para ter mais amigos e para que as portas se abram em nossas vidas? Uau! Você achou interessante só em mencionar este assunto? Ótimo! Então leia este texto no qual quero partilhar com você alguns conselhos que tenho aprendido.

Existem dois tipos de pessoas: o carrancudo e o cheio de vida.

O carrancudo quer dominar o mundo. Já o cheio de vida quer conquistá-lo, mas não no sentido de ter posse sobre ele e sim de descobri-lo e de viver intensamente o que ele pode oferecer. Além disso, o cheio de vida quer aperfeiçoar o que conquistou e não usá-lo para o seu bel-prazer.

O carrancudo não se importa com aqueles que trabalham com ele, não procura saber sobre os seus problemas e nem sobre o que estão vivendo. O cheio de vida parece um bobo, está sempre alegre, trata bem os outros, o sorriso parece uma roupa que veste todos os dias e que está sempre brilhando.

Uma vez minha mãe me contou uma história: “Em uma sala de aula, um cachorrinho entrou balançando o rabinho e indo ao encontro de todos, todo contente e acolhedor. Todos da classe o acolheram, sorriram, brincaram com ele, foi a maior festa. Nisso uma criança se levantou raivosa e começou a reclamar, porque estava há tanto tempo com eles e nunca fora tão bem tratada quanto aquele cachorro. A resposta foi simples: uma pessoa carrancuda, cria para si mesma uma barreira para amar e ser amada.

Tenho tido experiências maravilhosas através do sorriso aqui no Oriente Médio. Não sei falar árabe, nem hebraico, mas descobri que o sorriso é uma linguagem universal, que abre portas e constrói amizades.

Voltando ao assunto, o cheio de vida não vive sozinho, pois descobriu que viver com outros é ter um pedaço do céu. O carrancudo vive só. Ele optou por começar a viver nesta terra, um pouco do inferno, que consiste em um estado de solidão absoluta. É isso mesmo!

Interessar-se pelos outros, ser bons ouvintes, procurar, mesmo estando mal, dar o melhor de si para os outros, além de nos fazer pessoas com influência nos leva à santidade e à realização pessoal.

Ser cheio de vida! Eis o segredo daqueles que vivem bem e que festejarão no último dia. Ninguém sofreu como Jesus, mas ninguém foi tão cheio de vida como Ele. Essa é a proposta que Ele nos deixou. Vamos vivê-la?!

Um detalhe importantíssimo: clame o Espírito Santo, que é o doador da verdadeira alegria.

Evite nomes e testemunhos muito explícitos, pois o seu comentário pode ser visto por pessoas conhecidas.