😇 existem?

Entenda a criação dos Santos Anjos

A existência dos anjos é dogma, isto é, verdade de fé da Igreja. Trata-se de verdade contida na Sagrada Escritura, proclamada nos Concílios Ecumênicos, afirmada pela unanimidade dos Santos Padres e ensinada por todos os Teólogos fiéis ao magistério da Igreja. A definição dogmática deu-se no IV Concílio de Latrão realizado no ano 1215. Antes desse Concílio, a existência dos Anjos, fora afirmada e formulada no Concílio Ecumênico de Nicéia I (ano 325), sob o pontificado do Papa São Silvestre, cujo decreto D.54 explica claramente:

“Creio em um só Deus, Pai Todo Poderoso,
Criador do Céu e da Terra, e de todas as coisas visíveis e invisíveis”.

Essas palavras são quase que a repetição daquilo que São Paulo ensinava em sua primeira carta aos Colossenses (Col 1,16s). Todas as referências aos Anjos são feitas considerando-os como seres reais e não como símbolos, abstrações, puras mensagens de Deus ou personificações literárias dos atributos divinos. A existência dos Anjos, como também dos demônios, é uma verdade que faz parte da doutrina católica. Temos de partir da convicção, por fé, de que os Anjos, de fato, existem.

Entenda a criação dos Santos Anjos

Foto ilustrativa: Wesley Almeida/cancaonova.com

A Bíblia não nos indica o momento de sua criação nem as circunstâncias em que foram criados, no entanto, fala inúmeras vezes de suas intervenções diretas na história da salvação e nos destinos da humanidade.

Quando os anjos foram criados?

Os anjos foram criados do nada por Deus, “em Cristo”, para o serviço d’Ele e da Igreja; prestando esse serviço em louvor e adoração constantes a Ele e auxiliando o homem de diversas formas. Quando, por um ato de sua livre vontade, o Senhor Deus resolveu iniciar a criação, Ele o fez de duas formas, ou seja, dividiu sua criação em duas: a criação visível e a criação invisível.

A criação visível de Deus é composta de tudo quanto os nossos olhos podem alcançar, ou melhor, tudo que os nossos sentidos percebem. Já a criação invisível é retrato do próprio Deus que se faz visível por suas obras, mas é de natureza invisível.

Leia mais:
::Acompanhe celebrações da Santa Missa!
::Playlists para você maratonar
::Solidariedade, único remédio para transformar cenários tristes
::Oração do Escudo do Sagrado Coração contra pandemias e epidemias

A criação invisível de Deus é que, na realidade, une e coordena toda a natureza. Essa criação é superpovoada por seres espirituais que têm por nome: Anjos. A palavra “anjo” tem um significado de mensageiro, enviado, emissário de Deus. Eles existem por um ato da vontade de Deus que os tirou do nada e os trouxe à existência.

Os Anjos de Deus são seres brilhantes e resplandecentes dos quais emana luz e são um espelho da glória de Deus. São seres poderosos diante do trono, sua luz intensa irradia energia porque Deus, a fonte da luz, tem pleno domínio sobre Eles.

A Tradição Católica acredita que, o número de anjos criados por Deus é muito superior ao número de homens criados, visto que, cada homem, desde Adão até o último que aparecer na Terra, tem um Anjo de Guarda diferente. A Escritura fala de milhares de milhões (Dn 7,10), de miríades (Hb 12,22).

Comunidade Shalom

comentários