Medida difícil e correta

Existem soluções fáceis para problemas difíceis?

É fácil dar uma solução cômoda, rápida e inócua para os problemas difíceis

Muitos erros e sofrimentos de nossos dias acontecem por querermos dar soluções fáceis para problemas difíceis, agravando ainda mais os problemas em vez de solucioná-los. Quanto mais difícil é um problema, tanto mais difícil será a sua solução, pois não há solução fácil quando o problema é difícil.

Existem soluções fáceis para problemas difíceis
Foto: Wesley Almeida/cancaonova.com 

Duas maneiras de solucionar os problemas difíceis

A primeira será fácil: improvisada, rápida, cômoda, egoísta e sem sacrifícios; a segunda, será difícil: demorada, planejada, árdua e dispendiosa. A segunda será eficaz e duradoura; a primeira, inócua e falsa. Fazendo-se uma análise dos problemas difíceis que o homem de hoje enfrenta, é fácil observar como ele tem optado pela primeira maneira, por isso sofre.

É fácil, por exemplo, retirar o pobre da rua; contudo, é difícil retirar a miséria do pobre; promovê-lo, esta é a medida difícil e correta.
É fácil, por exemplo, diminuir o número de comensais em uma mesa; contudo, é difícil aumentar a quantidade de alimentos e reparti-los com amor; porém, esta é a solução certa e eficaz.
É fácil limitar o número de nascimentos, é fácil esterilizar homens e mulheres em massa, é fácil distribuir pílulas e camisinhas; contudo, é difícil implantar uma eficaz e digna paternidade responsável.
É fácil praticar um aborto e eliminar uma vida, mas é difícil aceitar, respeitar, amar e educar um ser humano.
É fácil condenar um criminoso à pena de morte, é difícil reeducá-lo e salvá-lo.
É fácil matar um assassino, linchá-lo até a morte; é difícil matar o crime e salvar o criminoso.

Leia mais:
:: Como manter a confiança diante das dificuldades
:: Quando as minhas mentiras se tornam minhas verdades
:: A superação de nossos problemas
:: Transformando os problemas em desafios

É fácil fazer a guerra, é difícil manter a paz.
É fácil distribuir preservativos e seringas para evitar a AIDS; é difícil ensinar as pessoas sobre o emprego moral do sexo e o valor da castidade.
É fácil propor o divórcio para um casal em crise, mas é difícil reconciliá-lo no perdão e no amor; essa, no entanto, é a verdadeira solução.
É fácil eliminar as crianças delinquentes das ruas, sob o pretexto de coibir o crime, mas é difícil educá-las e indicar-lhes o sentido da vida.
É fácil e rápido apressar a morte de um paciente terminal, com a eutanásia, mas é difícil respeitar a vida e seu Autor até o último instante.
É fácil fazer discursos políticos, mas é difícil eliminar o déficit público, o empreguismo, o nepotismo, a corrupção e o desperdício que atolam a nação.
É fácil liberar os baixos instintos e paixões, mas é difícil dominá-los para que eles não nos escravizem.
É fácil fazer justiça com as próprias mãos, mas o justo e ético é esperar que ela seja feita pela lei e pelo direito, sob pena de sepultarmos a civilização.
É fácil invadir terras e prédios, sob o pretexto de que há má distribuição de rendas etc., mas o difícil e correto é promover a reforma agrária, necessária, dentro da lei e da ordem, para que não haja ainda mais violência, luta de classes e injustiça.

Enfim, é fácil dar uma solução cômoda, rápida, inócua para os problemas difíceis, mas é difícil, árduo e demorado, dar uma solução eficaz para o mal.


Felipe Aquino

Professor Felipe Aquino é viuvo, pai de cinco filhos. Na TV Canção Nova, apresenta o programa “Escola da Fé” e “Pergunte e Responderemos”, na Rádio apresenta o programa “No Coração da Igreja”. Nos finais de semana prega encontros de aprofundamento em todo o Brasil e no exterior. Escreveu 73 livros de formação católica pelas editoras Cléofas, Loyola e Canção Nova. Página do professor: www.cleofas.com.br Twitter: @pfelipeaquino

Evite nomes e testemunhos muito explícitos, pois o seu comentário pode ser visto por pessoas conhecidas.