Série

Pais e filhos, vocês arcam com as consequências de suas escolhas?

Pais, ensinem seus filhos a se tornarem homens responsáveis. Filhos, aprendam a viver com suas escolhas

Escolher ser responsável, para mim, olhando meu pai, é possuir aquilo que me compete, ou seja, aquilo que é da minha responsabilidade. Por isso, não posso ser irresponsável, pois aquilo que me compete fazer ou corresponder me possui. Foi assim que vi, muitas vezes, o Seu Ribamar lidar com as coisas, com seus compromissos e com aquilo que era da sua competência. Assim foi na nossa educação, na condução das coisas como pai de família, como homem trabalhador. Jamais vi meu pai não arcar com as responsabilidades por ele assumidas. Vale aqui dizer também que ser responsável é, principalmente, arcar com as consequências da própria escolha, sejam elas quais forem.

Se aprendi a escolher ser responsável, foi porque convivi com um verdadeiro homem, meu pai, que era capaz de se deixar possuir por aquilo que lhe era por competência. E como já dissemos anteriormente, por várias vezes, ilustre leitor, escolher é sempre um ato livre de vontade. E por isso é preciso educar a própria vontade de ser responsável, para depois o ser realmente. O responsabilizar-se pela nossa vida e pela vida dos outros é um ato nobre e cristão.

Ser responsáveis

Abrir mão das responsabilidades, usurpando a dignidade de alguém, é muito mais que um crime, é uma profunda ignorância sobre a própria existência. Ou seja, quanto mais tomamos consciência da nossa existência, de quem somos e para onde vamos, mais teremos responsabilidade sobre a vida dos outros também, sejam eles quem forem: velhos, novos, crianças, nascidos ou ainda não. E tomar consciência de quem somos é ter a coragem de nadar contra a corrente dos nossos tempos, das ideologias que aniquilam a vida, a dignidade, a família, o amor, a verdade e a justiça. Muitos defendem a fauna e a flora, mas não defendem a vida humana. Dizem, até mesmo, que alguns animais irracionais são quase pessoas, mas ignoram a vida de uma pessoa em desenvolvimento dentro do ventre da própria mãe.

Para onde vamos com a nossa irresponsabilidade? Onde vamos parar? O buraco em que cairemos será cada vez mais profundo, por isso é necessário tomar a firme decisão de nadar contra a corrente, de subir para junto Daquele que pode nos mostrar quem realmente somos, para que possamos também assumir a responsabilidade da vida daqueles que são da nossa espécie. Defender a criação parte, antes de tudo, da defesa pela humanidade, desde a sua concepção até a sua morte natural.

Leia mais:
.: Veja outros artigos sobre “pais e filhos”
.: Liberdade não pode ser irresponsabilidade
.: Dica práticas para contribuir com o desenvolvimentos dos filhos
.: Educação não é apenas um direito, mas dever gravíssimo que cabe aos pais

Pais e filhos

Pais e filhos, vocês arcam com as consequências da sua escolha? Porque ser responsáveis já é uma escolha, pois em qualquer passo que damos e escolhas que fizemos antes de viver somente o momento é preciso pensar nas consequências que aquilo vai trazer.

Faça a experiência de ser um pai que ensina seu filho a ser responsável e de ser um filho que arque com todas as consequências da suas escolhas.


padre Anderson Marçal

Anderson Marçal Moreira é padre da Igreja Católica Apostólica Romana. Natural da cidade de São Paulo (SP), padre Anderson é membro da comunidade Canção Nova desde o ano 2000. No dia 16 de dezembro de 2007, foi ordenado sacerdote. Estudou Teologia Pastoral Bíblica-Litúrgica na Universidade Salesiana de Roma.

Evite nomes e testemunhos muito explícitos, pois o seu comentário pode ser visto por pessoas conhecidas.