lutar

Tem-se um preço para alcançar vitória em nossa vida?

A vitória precisa ser conquistada

Nos meus momentos de oração, tenho sempre buscado ver qual é o direcionamento que Deus me dá no dia a dia e o que Ele tem reservado para mim. Não tenho dúvidas de que o Senhor sempre me chama a ser um vitorioso. Ele quer me dar a vitória todos os dias, porém, tenho plena consciência de que ela precisa ser conquistada. E essa vitória tem um preço.

Tem-se um preço para alcançar vitória em nossa vida?

Foto ilustrativa: Wesley Almeida/cancaonova.com

Um time vence um campeonato sem treinar, sem suar a camisa, sem fazer muita preparação física, sem disciplina e sem colocar em prática o esquema que o técnico indicou? Um exército vence uma guerra sem treinamento, sem disciplina e sem uma tática de guerra? Alguém que presta vestibular, passa na prova sem ter estudado e estudado muito?

Cristianismo sem Cruz

Na lógica, de todos esses aspectos citados acima, ninguém sai vencedor sem antes se ter preparado, “ralado”, lutado pelo seu objetivo. Na nossa vida espiritual é da mesma forma, não é diferente. Para sermos santos, para herdarmos o Céu, para correspondermos com a confiança e o amor de Deus depositado em nós, é necessária essa disposição de lutar, de buscar, de vencer. Eu preciso querer ser vitorioso e lutar por essa vitória.

Infelizmente, o que temos visto, hoje, são pessoas que querem que as coisas caiam do Céu. Não querem lutar para conseguir seu objetivo; dizem “não” à cruz de cada dia; desprezam o sofrimento e vão atrás do “fácil, do extremamente fácil”. Nem disposição de rezar e ir à Igreja têm! Acabam se perdendo, deixando a Igreja, indo atrás das seitas que prometem o que é fácil. Vivendo um cristianismo sem Cruz, sem esforço, sem disciplina.

O apóstolo Paulo nos exorta: “Não sabeis acaso que, no estádio, os corredores correm todos, mas um só recebe o prêmio? Correi, pois, de modo a levá-lo. Todos os atletas se impõem uma ascese rigorosa; eles, por uma coroa perecível, mas nós, por uma coroa imperecível” (I Cor 9,24-25).

Essa ascese a qual Paulo refere-se, podemos defini-la como sendo um exercício prático (oração, mortificação…). Ela visa a conquista das virtudes espirituais, é a disciplina para a garantia da vitória. Se você quer ser um vitorioso é necessário buscar essa ascese; é necessário sair do comodismo; como também é necessário assumir a cruz de cada dia, o sofrimento e não buscar o “fácil, o extremamente fácil”. E, tem mais uma coisa importante: nós não damos valor àquilo que é fácil.

Conversão de vida

Meu irmão, minha irmã, não seja um fracassado, uma fracassada, pois o Senhor quer que você seja um vitorioso por meio de Sua Santa Cruz. Não renuncie a cruz, não negue a cruz como muitos tem feito, ela é fonte de vida, fonte de salvação, a Cruz é a certeza da vitória.

Leia mais:
::O que fazer quando perdemos a vontade de rezar?
::Reconhecer o agir de Deus é uma necessidade para nós
::Eu me relaciono de verdade com Jesus Salvador?
::Como fazer com que a espiritualidade se torne parte do nosso dia?

Se você já reza, reze um pouco mais; se você está sofrendo, não negue o sofrimento. Aproveite-o para sua conversão e a conversão daqueles que você ama. Talvez, você não frequente a Igreja, acha que o que já faz em caridade e, até mesmo as suas orações em casa, suprem sua participação na comunidade; mas digo a você, em nome de Jesus: “Volte a participar da Igreja, da vida da comunidade, no seio da comunidade é o lugar da vitória”.

Deus quer fazer de nós homens e mulheres vitoriosos, não um bando de derrotados. Por isso, o convite que faço a você, hoje, é este: queira pagar o preço pela vitória, abandone-se nos braços de Deus e confie. Hoje, é o dia de tomarmos posse da vitória que o Senhor Jesus Cristo conquistou para cada um de nós, na Cruz. Abracemos com Ele a Cruz, a vitória. Que Deus o abençoe, vitorioso; que Deus a abençoe vitoriosa!

Seu irmão de combate,

Padre Roger Luis da Silva, missionário da Comunidade Canção Nova

Evite nomes e testemunhos muito explícitos, pois o seu comentário pode ser visto por pessoas conhecidas.