ESTAMOS EM GUERRA - PARTE V

Orar significa falar com Deus

Orar para perseverar

Caro internauta, nesta sequência de artigos, estamos abordando quais são armas com as quais o cristão pode contar para lutar contra as forças do mal. No último artigo, vimos a importância de nos unirmos a um grupo, ou seja, a um batalhão. Afinal, nenhum soldado ganha uma guerra sozinho, por conta própria. Neste artigo, descobriremos uma segunda e fundamental arma do cristão: a “oração pessoal”. Sabemos que, de uma forma simples e direta, orar significa falar com Deus.

O Catecismo da Igreja Católica, no parágrafo 2653, diz que, “quando rezamos, a Deus falamos”. Em outro parágrafo, apresenta a oração dentro de um contexto de batalha: “em comunhão com o Mestre [Jesus], a oração dos discípulos [todos nós] é um combate”. É vigiando na oração que não cairemos na tentação (cf. CIC 2612).

Orar significa falar com Deus

Foto ilustrativa: Andréia Britta/cancaonova.com

Ora, muitos combates que travamos no nosso dia a dia, só podem ser vencidos pela oração. Não nos esqueçamos de que, foi pela oração que Jesus venceu o tentador, depois de passar quarenta dias no deserto; e, também, no momento do último combate da sua agonia no Getsêmani. Citei apenas duas ocasiões bem conhecidas por todos nós, mas podemos encontrar, na Palavra de Deus, dezenas de passagens que mostram a importância da oração pessoal. Sem a oração pessoal, não se engane, não há perseverança Faça, agora, uma autoanálise e perceba se você se encaixa nesta situação que eu apresentarei abaixo.

João fez uma experiência com Deus e gostaria de mudar algumas atitudes deixando alguns vícios adquiridos ao longo de sua vida. (Quero apenas abrir um parêntese nesta história, para dizer que, somente pelo fato de nosso personagem querer abandonar vícios adquiridos, ele já se transformou em um soldado e já se encontra em um campo de batalha).

João lutou, lutou e, de tanto lutar, conseguiu fazer grandes avanços na batalha contra as velhas inclinações. Pode-se dizer que, o João de hoje, já não é o mesmo João de antes. Contudo, ele ainda não atingiu o ponto que deveria estar. Nosso personagem, hoje, busca fazer novas escolhas e já aprendeu que vale a pena perseverar.

Na prática, João está travando, diariamente, uma grande luta contra aquelas atitudes que ele sabe que não convém. Não obstante, a vontade de João está enfraquecida. Ele quer… Luta… Esforça-se…, mas chega o momento em que ele desanima.

Responda com toda sinceridade para você mesmo: “A situação na qual João se encontra, tem alguma semelhança com a sua?”.

Se você já “jogou a toalha” volte para a luta

Não pretendo apresentar a você, internauta, uma receita infalível. Ela, aliás, não existe! Assim, desejo ser um pouco mais realista, contudo, sem cair no extremo do pessimismo. Desse modo, afirmo: é possível ser perseverante. É possível resistir ainda mais nesta batalha! Se você percebe que está faltando perseverança, certamente, está faltando constância na oração pessoal. Estou errado?

A oração pessoal é muito importante. É o alimento do soldado, o nutriente de cada dia. Soldado que não se alimenta, acaba ficando fraco e desnutrido. O resultado é inevitável: a desistência da luta. No pugilismo equivaleria dizer “jogar a toalha”; na maratona, “ficar pelo meio do caminho”; na informática, “dar bug”.

E agora? O que fazer? Esta resposta é a mais simples possível: recomeçar. Se a toalha foi jogada, enxugue o suor e retome a luta. Se, ficou pelo meio do caminho, encha os pulmões novamente e volte a correr. Se, deu bug no sistema, reinicie-o. Se, perdeu para alguém, trabalhe para recuperar.

Leia mais:
::O pecado é o nosso maior inimigo
::Nesta guerra, o tentador é o nosso grande inimigo
::Quantas vezes você mesmo foi o seu maior inimigo?
::Todo soldado precisa fazer parte de um pelotão

Mas afinal, o que é oração?

No início deste artigo eu já dei uma definição de oração que encontrei no Catecismo da Igreja Católica e gostaria de relembrá-la a você: “orar é conversar com Deus”. É uma definição tão simples que nem precisa de maiores explicações. São João Clímaco na sua grande obra “A Santa Escada” dá um passo a mais ao nos diz que “a oração é a união do homem com Deus”. A oração nos leva a alcançar essa grande graça. Quem, unido a Deus, não seria capaz de vencer as tentações e perseverar?

São João Clímaco dá outras definições muito interessantes, veja: “oração é a guarda do homem”, é a “reconciliação com Deus”, é a “muralha contra as tribulações”, é a ponte para passar as tentações e, principalmente, a “vitória nas batalhas”.

Como, afinal, devo orar?

Uma vez que já sabemos o que é a oração, é preciso saber como orar. Existem várias expressões de oração e precisa encontrar a qual você mais se adapta. Existe, por exemplo, a “oração vocal”. Sabemos que é pela sua Palavra que Deus fala ao homem, assim, é por meio das palavras (mentais ou vocais) que a nossa oração toma corpo. Não
se trata de quantidade de palavras, mas da presença do coração àquele a quem falamos. “A oração torna-se interior na medida em que tomamos consciência d’Aquele a Quem falamos” (cf. CIC 2704+).

Existe, também, a meditação. Ela exige uma atenção difícil de disciplinar. Pode-se recorrer à ajuda da Sagrada Escritura (em especial o Evangelho), de algum livro que apresenta a vida dos santos, de textos litúrgicos do dia ou do tempo, de escritos dos Padres espirituais ou de obras de espiritualidade. É preciso, assim, confrontar aquilo que se está lendo com a vida de quem está lendo. É um exercício (cf. CIC 2707+).

Outra modalidade de oração é a contemplação. A contemplação é a busca constante pelo amado, ou seja, o olhar vai todo para o Senhor. Aqui não entra em questão uma quantidade de tempo pré-determinada, mas a vontade de se entregar humildemente à vontade amorosa do Pai, em união cada vez mais profunda com o seu Filho muito amado. Dessa forma, “a contemplação é a expressão mais simples do mistério da oração.” (cf. CIC 2708+).

O segredo da oração

Diante de tudo isso que já foi escrito, o mais importante é a perseverança. O segredo de uma oração é a perseverança daquele que busca Deus. Deus não precisa da sua oração, quem precisa é você. Deus não vai deixar de ser Deus se você não O buscar. A responsabilidade é sua. É preciso rezar todos os dias, digo mais, é preciso estar em oração em todos os momentos. O padre Henri Caffarel costumava dizer: “Querer orar já é orar”. A Igreja Católica nos oferece fórmulas isentas de erros, que nos ajudam na oração pessoal.

Existe o Santo Terço, os Devocionários (São Miguel Arcanjo, Sagrado coração de Jesus etc.), o Ofício da Imaculada Conceição. Portanto, não temos mais desculpa para não rezar. Meios não nos faltam. Busque a oração todos os dias. Finalizo com esta frase: “A oração é a força para a perseverança nos caminhos da fé” (cf. At 1,14).

No próximo artigo, falaremos um pouco mais sobre a importância da meditação da Palavra de Deus.

Deus abençoe você e até a próxima!


Gleidson Carvalho

Gleidson de Souza Carvalho é natural de Valença (RJ), mas viveu parte de sua vida em Piraúba (MG). Hoje, ele é missionário da Comunidade Canção Nova, candidato às ordens sacras, licenciado em Filosofia e bacharelando em Teologia, ambos pela Faculdade Canção Nova, Cachoeira Paulista (SP). Atua no Departamento de Internet da Canção Nova, na Liturgia do Santuário do Pai das Misericórdias e nos Confessionários. Apresenta, com os demais seminaristas, o “Terço em Família” pela Rádio Canção Nova AM. (Instagram: @cngleidson)

Evite nomes e testemunhos muito explícitos, pois o seu comentário pode ser visto por pessoas conhecidas.