Ressentimento

‘Vós purificastes vossas almas obedecendo à verdade para praticardes um amor fraterno, sem hipocrisia. Amai-vos uns aos outros de coração puro, com constância,
vós que fostes novamente gerados por uma semente não corruptível, mas incorruptível, pela palavra de Deus viva e permanente.’ (1Pd 1,22)

A conclusão desta passagem vemos em 1Pd 2,1: ‘Rejeitai, portanto, toda a maldade e toda a astúcia, toda a forma de hipocrisia, inveja e maledicência.’

São Paulo disse aos Efésios: ‘Estais encolerizados? não pequei. Não se ponha o sol sobre o vosso ressentimento. Não deis oportunidade alguma ao diabo.’
(Ef 4, 26-27)

Isto significa que não existe nenhuma pessoa aqui na terra que não passe pela experiência de ter um momento de ressentimento, irritação, e o encardido se aproveita disto para tentar nos mandar para o inferno. O que nós temos que fazer é não dar entrada a ele.

O ressentimento começa através de pequenas coisas, de decepções insignificantes. Então fazemos tempestade em copo d’água e transformamos aquilo que era um ressentimento bobo em ira ou ódio. O passo para isto acontecer é remoermos, ressentirmos, ou seja, sentirmos tudo novamente, relembrarmos os fatos. E cada vez que fazemos isto o ódio aumenta.

Mas como poderemos lutar contra isto? O primeiro passo é compreender sempre a atitude daqueles que nos ofende, pois nunca sabemos o que ele passou durante o dia. O segundo passo é não ficarmos comentando com outras pessoas o que se passou durante o mau entendido, caso contrário, isto ajuda-nos a ressentirmos e cria um círculo vicioso.

Você já viu aquelas pessoas que onde ela vai conta a mesma história para todos, sempre se fazendo de vítima, de coitado? Isto é o que causa tocarmos no assunto com a pessoa errada. Sentiu vontade de falar? Procure um padre, e confesse-se com ele.

Quando você não ama uma pessoa, é o passo para não amar duas, três, quatro, e assim por diante. Você briga com a vizinha, já é um passo para ficar de mal com o marido dela, com a avó, até mesmo o cantor que esta pessoa gosta você passa a detestar também.

Tudo isto ocorre pelo desamor que existe entre nós. As pessoas que mais sofrem são as que não amam, e o desamor não é somente não gostar da pessoa, ter ressentimento dela, visto que amar é dar-se sem esperar nada em troca. Quando eu não amo, eu gosto, apenas invisto para que possa receber também, e quando não sou correspondido, começo a gerar antipatias.

A pessoa que não ama não consegue chegar na cura interior, e quem não passou pela experiência da cura interior não ama, isto vira um círculo vicioso de pecado, de ressentimento, de decepção, e tudo isto vai se transformar em ódio.

Necessário é purificar-nos para praticarmos um amor verdadeiro, um amor gratuito. Somente assim conseguiremos ficar longe do ressentimento.

Evite nomes e testemunhos muito explícitos, pois o seu comentário pode ser visto por pessoas conhecidas.