Amor a Deus

Insano, larguei tudo por um chamado

Insano ou chamado por Deus?

Que chamado seria esse capaz de fazer abrir mão de planos, projetos e sonhos pessoais? Que “insanidade” é essa? Será que alguém seria louco a ponto de sair de sua casa, deixar os seus, por vezes abrir mão de relacionamentos e até de uma carreira profissional promissora para corresponder a um chamado? Esse que se dá por uma voz não audível exteriormente, mas que fala dentro de você? Seguir uma intuição e entregar-se totalmente por uma causa?

Insano, larguei tudo por um chamadoFoto: Daniel Mafra/cancaonova.com

Cuidado! Você pode fazer parte desse grupo de “insanos”! Realmente, com uma visão bem superficial é algo incompreensível, mas quem é chamado, quem porta uma vocação entende bem do que se trata, por mais que os outros não entendam, ou, quem sabe, nunca venham a entender. Deus não obriga, Ele sempre respeita nossa liberdade, mas como um Pai amoroso, tem um plano de amor especial para cada um de nós. Para muitos, esse plano trata-se de um chamado a deixar tudo para segui-Lo, para servi-Lo e amá-Lo de todo coração, com toda alma e todas as forças (Lc 10,27).

Corresponder a um chamado sempre será uma resposta de amor, porque Deus nos amou primeiro e nosso ato de entrega a Ele torna-se um gesto concreto de resposta (cf. I Jo 4,19).

No passar dos anos, quantos “loucos” de amor por Cristo se consumiram, ofertaram inteiramente sua vida para seguir, servir e amar! Quantos ouviram a “silenciosa voz” que diz: “Vem e segue-me!” (Mt 19,21).

Será que você, hoje, não é esse jovem que está ouvindo essa voz, esse chamado? Será que essa inquietude em perceber que Deus o convida a algo mais não está martelando dentro de você? Eu fui percebendo, em minha vida, que esse chamado perpassou toda a minha história. As evidências estavam bem ali, nos acontecimentos, nos fatos. Aconteceu que, um dia, os meus olhos se abriram a essa realidade e percebi que, desde sempre, o Senhor havia me escolhido, separado, que eu fazia parte dessa misericordiosa escolha d’Ele, que o chamado fazia parte da minha identidade profunda.

Leia mais:
::O chamado para a vocação sacerdotal
::O chamado para a vocação eucarística e sacerdotal
::Nossa primeira vocação é amar
::Vocação, dom gratuito de Deus

Frutos da entrega a Deus

Hoje, depois de alguns anos de entrega, de oferta de vida, compreendo com mais clareza que estou na vontade de Deus. Como sei disso? Pelos frutos que colho, pela realização, pela paz interior, pela felicidade em poder consumir a minha vida, a minha juventude na salvação das almas.

Uso e abuso desta frase tão verdadeira e radical de Dom Bosco: “Dai-me almas e ficai com o resto!”. Não sei se você já parou para perceber, mas seu coração não deseja pouco, ele quer muito, quer aquilo que é eterno, busca Aquele que é o Eterno. Não complique, pois Deus é simples. Tenha a coragem de escutar seu coração, perceber a manifestação da Providência Divina – a qual conduz sua vida –, ler os sinais, perceber os detalhes, parar e escutar Deus. Isso ninguém pode fazer por você.

Sempre gosto de dizer: “Deus nos pede um passo de cada vez”. Qual é o próximo passo a dar? Quando temos a reta intenção de buscar a vontade d’Ele e darmos passos nessa direção, não estamos perdendo tempo, mas buscando encontrar, no tempo, aquele desígnio amoroso que nos foi preparado desde toda a eternidade.

Tiago Marcon – Missionário da Comunidade Canção Nova

Evite nomes e testemunhos muito explícitos, pois o seu comentário pode ser visto por pessoas conhecidas.