PAIS E FILHOS

Como afetos e estímulos ajudam no desenvolvimento da criança

As crianças necessitam de estímulos que proporcionam o seu desenvolvimento

Muitos pais não têm a real noção da importância de como podem contribuir para o desenvolvimento mental, emocional e físico da criança. O afeto tem um papel predominante para que as crianças se sintam confiantes, além dos estímulos físicos, que podem ser oferecidos desde o ventre materno, pois contribuem para o amadurecimento psicomotor.

Como afetos e estímulos ajudam no desenvolvimento da criança - 1600x1200

Foto: Daniel Mafra/cancaonova.com

Entretanto, os pais precisam ter cuidado para que isso não se torne uma neurose e sobrecarregar as crianças com excesso de atividades, visando otimizar o desenvolvimento e obtendo resultados não esperados. Crianças submetidas ao excesso de pressão podem se tornar ansiosas e apresentar dificuldades de aprendizado.

Por que brincar?

Brincadeiras de rolar as crianças, brincar de “ serra, serra, serrador”, levantar os braços e pernas, fazem parte da interação entre adultos e crianças e permitem o desenvolvimento físico, o qual as prepara para engatinhar, andar e realizar outras atividades que fazem parte do dia a dia delas. Existem exemplos de crianças criadas sem amor num berço, que não andam aos três anos de idade, mas, após a fisioterapia com essas pequenas brincadeiras, retomam o desenvolvimento.

Leia também:
:: Como ajudar os filhos a viverem o Ano da Misericórdia?
:: O que é a puberdade precoce?
:: Cinco dicas de como falar de assuntos polêmicos com os filhos
:: Como lidar com o filho deficiente

O amor é transmitido por palavras e atos; toques e os elogios servem como estímulos para as crianças buscarem novas atividades. Uma característica interessante de quando se conta uma história ou faz-se uma brincadeira que elas gostem, é vê-las pedirem que esta se repita várias vezes. Os pais reclamam que as crianças não se cansam, porque estão em processo de aprendizado.

Pais e filhos

Desenvolver a inteligência

A inteligência também pode ser desenvolvida com atividades, tais como jogos, brincadeiras de roda, música e teatro. Cantigas de roda e de ninar, ou uma simples brincadeira de recortar ou pintar, preparam as crianças para atividades mais maduras.

A simplicidade é importante, as atividades diárias de cuidado com a criança, tais como o banho, a alimentação, o colocar para dormir são oportunidades para estimulá-las. Passeios e idas ao cinema ou parquinhos podem ser experiências para se trabalhar a criatividade e o espírito de explorador de ambiente.

Os professores também podem contribuir com o desenvolvimento intelectual, oferecendo um ambiente acolhedor, onde o aprendizado cognitivo, as emoções e a afetividade podem e devem ser trabalhadas, pois algumas crianças iniciam sua vida escolar muito cedo.

Futuro das crianças

Assim como para os pais, os jogos, as cantigas e as brincadeiras também servem como ferramentas para estimular atitudes e comportamentos que serão fundamentais na vida futura das crianças. Ou seja, não importa a atividade, o importante é que esses momentos sejam acompanhados de estímulos e carinhos.


Ângela Abdo

Ângela Abdo é coordenadora do grupo de mães que oram pelos filhos da Paróquia São Camilo de Léllis (ES) e assessora no Estudo das Diretrizes para a RCC Nacional. Atua como curadora da Fundação Nossa Senhora da Penha e conduz workshops de planejamento estratégico e gestão de pessoas para lideranças pastorais.

Abdo é graduada em Serviço Social pela UFES e pós-graduada em Administração de Recursos Humanos e em Gestão Empresarial. Possui mestrado em Ciências Contábeis pela Fucape. Atua como consultora em pequenas, médias e grandes empresas do setor privado e público como assessora de qualidade e recursos humanos e como assistente social do CST (Centro de Solidariedade ao Trabalhador). É atual presidente da ABRH (Associação Brasileira de Recursos Humanos) do Espírito Santo e diretora, gerente e conselheira do Vitória Apart Hospital.

Evite nomes e testemunhos muito explícitos, pois o seu comentário pode ser visto por pessoas conhecidas.