dijanira silva

O que você tem feito para a corrente do bem existir?

Acredito que, cada pessoa que perceba sua vida transformada como fruto da evangelização, deve, de uma certa forma, contribuir para que outros, também, experimentem tamanha graça. E a Canção Nova possibilita que isso aconteça concretamente. Sempre recordo-me do filme: “A corrente do bem” no qual a ideia principal é a de proporcionar a outros o bem que se recebeu de alguém e, assim, os atos de bondade se multiplicam, transformando vidas e realidades. É uma maravilha!

Meu encontro pessoal com Cristo foi num grupo de oração da Capelinha do Cemitério, em minha cidade natal. Saí daquele lugar transformada, querendo levar a mesma graça que experimentei a todas as pessoas, a começar pelos da minha casa. Enfim, queria que todos conhecessem a esse Jesus que eu acabava de descobrir e que estava vivo.

O que você tem feito para a corrente do bem existir?

Foto ilustrativa: Wesley Almeida/cancaonova.com

Algumas pessoas pensavam que isso era empolgação passageira e não me levavam muito a sério, mas tinham suas razões. Na época, tive várias oportunidades para mudar de ideia, porém persisti. Comecei logo a procurar aliados nessa missão. Por providência divina (e para minha felicidade) conheci a Canção Nova. Foi uma questão de identidade entre mim e o carisma da comunidade, que só cresce até hoje. Quando criança, pensava em mudar o mundo, fazer algo capaz de contribuir com a vida dos demais. Naquela época não tinha consciência, mas já era sinal do meu chamado, da minha vocação.

A corrente do bem continua

Hoje, sou missionária e acredito que, como parte do corpo Canção Nova, estou contribuindo para tornar esse mundo melhor, a “corrente do bem continua”. Por isso, quando falo, escrevo, atendo telefonemas, lavo, passo, gravo, produzo, apresento programas ou viajo de um lado para o outro anunciando o Evangelho, tenho consciência de que estou unida a uma obra que tem a missão para a qual Deus me criou: por meio do anúncio do Evangelho, tornar o mundo melhor.

O Apóstolo Paulo, na Carta aos Filipenses, nos lembra de que somos “cidadãos do Céu”, então,  é preciso nos colocarmos a serviço de todos, para contribuirmos na construção da cidade terrena na justiça e no amor. Ele fala com outras palavras da nova civilização sonhada por todos nós. Poderíamos nos perguntar: “Mas como atrair as pessoas a Cristo para que Ele as transforme?”. E a resposta vem do próprio Evangelho: “Vivendo como Ele viveu!”.

Leia mais:
::Deus nunca desiste de você
::Como Nossa Senhora me conquistou?
::Os ipês amarelos e a sensação que eles me trazem
::A escolha entre a vida do filho e o tratamento de câncer

De fato, se praticarmos a Palavra de Jesus Cristo, estaremos, cada vez mais, sintonizados com seus pensamentos, sentimentos, ensinamentos e jeito de ser. Dessa forma, mudaremos o mundo, como Ele mudou. Sim, vivendo o Evangelho nos tornaremos outro Cristo, doando a vida pelo próximo, assim como Ele o fez. Construindo “homens novos para um mundo novo”, dando continuidade à “corrente do bem”.

banner espiritualidade


Dijanira Silva

Missionária da Comunidade Canção Nova, desde 1997, Djanira reside na missão de São Paulo, onde atua nos meios de comunicação. Diariamente, apresenta programas na Rádio América CN.  De segunda a sexta-feira (exceto quinta-feira), está à frente do programa “Florescer”, que apresenta às 14h40 na TV Canção Nova. É colunista desde 2000 do portal cancaonova.com. Também é autora de livros publicados pela Editora Canção Nova.

 

 

comentários