Maturidade a dois

Você sabe onde quer chegar com o seu namoro?

O eixo em torno do qual seu namoro vai girar é exatamente este: onde você quer chegar com ele?

“Por isso deixará o homem a seu pai e a sua mãe, para se unir à sua mulher, e eles serão uma só carne” (Gênesis 2,24). Essas palavras do Senhor nos revelam a essência da vontade divina para o casal humano: na vivência do amor, ser “uma só carne”. O vínculo paternal é substituído pelo conjugal. De fato, Deus fez o homem para a mulher e vice-versa. Essa é a “chave” da humanidade, que jamais qualquer sociedade conseguiu quebrar ou destruir. É no mistério deste “ser uma só carne”, que o homem e a mulher, juntos, se tornam “imagem e semelhança” de Deus, na vivência da doação recíproca de si mesmos. Por outro lado, a primeira página na Bíblia nos ilumina para compreendermos as consequências dessa união tão íntima do casal: o seu crescimento mútuo e a geração dos filhos.

“Deus os abençoou: crescei, disse Ele, e multiplicai-vos, enchei a terra e submetei-a” (Gênesis 1,28).

Você sabe onde quer chegar com o seu namoro?

Foto ilustrativa: ASIFE by Getty Images

Aqui se completa o desígnio de Deus para o casal e para a humanidade. O casamento é um namoro que desabrochou bem e atingiu nele o seu fim. Você não pode ter um namoro sadio, maduro, se não tiver como meta última  — o casamento — ainda que sem nenhum compromisso ainda. Ninguém faz uma viagem sem saber onde quer chegar.

Brincar de amar

Você não pode ter um namoro maduro se não souber onde quer chegar um dia. O “eixo” em torno do qual o seu namoro vai girar é exatamente este: onde você quer chegar com ele? Você quer só uma aventura passageira, sem qualquer compromisso, apenas “brincar de amar”? Você quer apenas a companhia de um belo rapaz para se exibir diante das suas colegas? Você quer apenas uma garota avançada que satisfaça a sua sede de sexo e suas fantasias?

Isso não é namoro, é apenas uma brincadeira perigosa, pois, você está colocando em jogo o seu próprio futuro e a sua felicidade.

Construir um lar, formar uma família, gerar e educar os filhos é a grande missão que o Senhor Deus deu à maioria dos homens e das mulheres; e tudo isso começa no namoro. Você não pode brincar de amar e não pode brincar com a vida dos outros, porque o que está em jogo é a felicidade no amanhã.

Doação integral de um ao outro

No pensamento eterno de Deus, o homem e a mulher devem unir-se até formarem uma só carne; mas, para isso, é preciso um longo aprendizado do que é amar. O casamento é uma doação completa de um ao outro, em todo o ser, a fim de completar o outro e fazê-lo crescer. O amor conjugal é, portanto, um mistério de unidade, e isso precisa ser aprendido a partir do namoro.

Nesta unidade completa e nesta doação integral de um ao outro, ambos crescem e psicologicamente se completam; se aperfeiçoam cada vez mais na fé, na moral, na profissão e no carácter.

É esse imenso dom de si que foi transformado por Cristo em sacramento e confere a graça. É por isso que os próprios noivos são os ministros do matrimônio; o padre é a testemunha oficial de Deus e da Igreja. É tão grande diante de Deus esse “entregar-se ao outro sem reservas”, que Cristo transformou esta realidade em sacramento, celebrado pelo próprio casal. Ninguém pode fazer isso por eles. Por isso, o matrimônio é o sacramento mais “humano” de todos; e toda essa preparação começa no namoro!


Felipe Aquino

Professor Felipe Aquino é viuvo, pai de cinco filhos. Na TV Canção Nova, apresenta o programa “Escola da Fé” e “Pergunte e Responderemos”, na Rádio apresenta o programa “No Coração da Igreja”. Nos finais de semana prega encontros de aprofundamento em todo o Brasil e no exterior. Escreveu 73 livros de formação católica pelas editoras Cléofas, Loyola e Canção Nova. Página do professor: www.cleofas.com.br Twitter: @pfelipeaquino

comentários