Nossa mãe

A alegria na Natividade de Maria

A Santíssima Virgem Maria nasce destinada a ser a Mãe de Deus, do Senhor Jesus Cristo, o Salvador da humanidade, e isso é causa de alegria para todos nós. Devemos nos alegrar, primeiramente, pela dignidade de Nossa Senhora ter sido escolhida para ser a Mãe do Verbo eterno de Deus, porque, em vista dessa maternidade divina, Maria foi enriquecida de tamanha graça, que excede a de todos os anjos e santos juntos. Somos convidados a nos alegrar também por nós mesmos, pois, ao mesmo tempo em que a Virgem de Nazaré foi escolhida para ser Mãe do Redentor, foi também destinada a ser Medianeira de todo gênero humano e dispensadora de todas as graças e bênçãos dos Céus.

A alegria na Natividade de Maria

A Natividade da Virgem Maria é um convite à alegria pela proximidade da aurora da salvação

Nós nos alegramos também, porque, em Maria, temos uma Mãe que nos acompanha em nosso caminho espiritual. Antes do nascimento da Virgem de Nazaré, o mundo jazia nas trevas do pecado e da morte, mas, com o nascimento de Maria, despontou a aurora e uma grande luz já apareceu no horizonte da salvação da humanidade. Da menina que nasce, diz o livro do Cântico dos Cânticos: “Quem é esta que surge como a aurora, bela como a lua, brilhante como o sol, temível como um exército em ordem de batalha?”. De mesma forma que nos alegramos com o despontar da aurora, porque ela antecipa a luz do sol, alegramo-nos com a celebração do nascimento de Maria, pois ela é a precursora do Sol da justiça, que é Jesus Cristo.

A Natividade de Nossa Senhora anunciou a alegria ao mundo inteiro, pois dela nasceu o Salvador dos homens, que nos deu a vida eterna. Com o nascimento de Maria nasceu o nosso remédio, a nossa consolação e a nossa salvação, pois, por intermédio dela, recebemos o Salvador Jesus Cristo.

A escolhida

A Santíssima Virgem foi escolhida para ser Mãe do Verbo Eterno, por isso, “Deus a enriqueceu de tamanha graça que, desde a sua Imaculada Conceição, a sua santidade excedia a de todos os santos e anjos juntos. Ela recebeu a graça de uma ordem superior, proporcionada à dignidade de Mãe de Deus”. Esta Virgem puríssima, desde a sua infância, soube de tal modo cativar o Coração de Deus que Ele nada lhe recusa. Isso se dá, porque, “ao mesmo tempo que Maria foi destinada a ser Mãe de nosso Redentor, foi destinada também para ser Medianeira entre Deus e nós, pecadores”.

Leia mais:
.: Virgem Maria, nosso exemplo de fé e oração
.: Se Maria já era cheia do Espírito Santo, o que aconteceu com ela em Pentecostes?
.: Por que o Santo Rosário é uma arma contra o demônio?
.: Por que nunca podemos desistir de rezar?

Nossa Senhora cuida, com amor de Mãe, de cada um de nós, os irmãos de seu Filho, que entre perigos e angústias, ainda caminham em peregrinação aqui na Terra, até chegarem à sua pátria definitiva, no Reino dos Céus. Por sua solicitude materna com cada um dos seus filhos, “a Virgem é invocada na Igreja com os títulos de advogada, auxiliadora, socorro, medianeira”.

O que o nascimento de Maria representa?

No nascimento da Virgem Maria cumpre-se, verdadeiramente, a eterna eleição divina sobre a humanidade. Na Natividade da pobre Menina de Nazaré, verifica-se o amor particular com que o Senhor circundou as portas de Sião: “O Senhor ama a cidade que fundou nos montes santos; ele prefere as portas de Sião às tendas de Jacó”. O Senhor elegeu e descendência de Davi e o Povo de Israel, para que, por meio dessa descendência e deste povo se cumprisse o desígnio universal da salvação, pela vinda do Filho de Deus ao mundo, como Primogênito de muitos irmãos. “O nascimento de Cristo em Belém é o início do renascimento do homem por meio da graça sobrenatural. O nascimento de Maria é a preparação para este início da nova criação, no plano da salvação divina”.

Assim, a festa da Natividade de Nossa Senhora é um convite à alegria pela chegada da aurora da salvação e à recordação do dom gratuito que Deus concede a cada um de nós, como fez com a Virgem Maria. “A profunda consciência que Maria tem da gratuidade do dom de Deus torna-se para nós o estímulo para rever a nossa vida, demasiado confiante nos meios humanos e pouco propensa à contemplação e à oração”. O nascimento da Virgem Imaculada é um convite ao renascimento espiritual e à conversão. Por fim, a Natividade de Maria é um convite para crescer na fé, tendo sempre como modelo e auxílio a Mãe de Deus, que foi Bem-aventurada porque acreditou nas promessas do Senhor.

Nossa Senhora da Natividade, rogai por nós!

banner espiritualidade


Natalino Ueda

Natalino Ueda é brasileiro, católico, formado em Filosofia e Teologia.  É o autor do blog Todo de Maria, que tem como temas principais a devoção mariana e a consagração a Nossa Senhora segundo o método de São Luís Maria Grignion de Montfort

 

comentários