Conversão

Entre o nascer do pó e o voltar para ele, vivamos no Espírito!

A liturgia do tempo quaresmal é, sem dúvidas, dentre as liturgias celebradas no ano, a mais rica e profunda que a Santa Igreja oferta aos seus fiéis. Além disso, é o convite mais amoroso de um Deus apaixonado por Sua criação e, de modo particular, pela obra-prima da criação: o ser humano. É o Senhor nos atraindo a adentrar os santos mistérios da Sua Paixão, Morte e Ressurreição. Trata-se de um período profundo para fazer de nós, homens e mulheres, profundos na espiritualidade e humanidade.

Todo e qualquer convite feito por Jesus e por Sua Igreja não é para assistirmos, como se o que estamos lendo, vendo ou celebrando só servisse para mera observância. Definitivamente, não! Em matéria de vida cristã, somos convidados ao pleno envolvimento com o Reino de Deus.

Entre o nascer do pó e o voltar ao pó, viva no Espírito

Foto ilustrativa: Wesley Almeida/cancaonova.com

Se, na Quarta-feira de Cinzas, você entrou na fila para receber as cinzas pelas mãos de um sacerdote ou um ministro destacado por ele, além de marcar sua fronte com o sinal da cruz, você ouviu uma dessas frases: Convertei-vos e crede no Evangelho” (Mc.1,15) ou “Lembra-te, homem, que és pó e ao pó hás de voltar” (Gn 3, 19), tanto uma quanto a outra nos chamam a relembrarmos nossa fragilidade humana e a urgência de nosso retorno à vontade de Deus.

Nossas fragilidades não nos impedem de avançar na vida da graça

Sim, somos comprovadamente limitados. E por maiores que sejam nossas conquistas nesta Terra é, justamente, porque temos limites que dependemos do favor divino. Deus faz uso também da generosidade humana para nos mostrar que sozinhos pouco avançamos. Você já deve, como eu, ter ouvido monsenhor Jonas dizendo: “ninguém é bom sozinho”. Que saudável limitação.

Porém, quantas vezes nos detemos em avançar quando nossas fragilidades nos confrontam? Pare um pouco para pensar se tuas fragilidades tem lhe motivado a prosseguir ou se te estagnaram. Se te estagnaram, você precisa reconsiderar o significado delas em sua vida. Porque nossas limitações existem, mas usar delas como desculpa para não evoluirmos, soa como covardia. E covardia não combina com quem se declara ser de Deus!

Certa vez, o Apóstolo Paulo identificando uma de suas fragilidades, ergueu um pedido ao Senhor: “Tirai esse espinho de minha carne. Mas o Senhor respondeu: Basta-te a Minha Graça, pois é na fraqueza que a força se realiza plenamente.” (cf.2Cor.12,8-9).

Tal pedido Paulo o fez por três vezes ao Senhor e a resposta nas três vezes foi a mesma. Era Cristo fazendo seu Apóstolo enxergar que há uma força interior que nos coloca em movimento mesmo com nossas debilidades. Caro irmão, a mesma Graça que sustentou Paulo, sustentará você. Em cada um de nós existem “espinhos”, mas a dor não consegue parar os agraciados.

Leia mais:
.: Semana Santa: a semana da vitória da vida sobre a morte
.: A espiritualidade da Quinta-feira Santa é repleta de sentido
.: Os benefícios da Eucaristia para avida interior
.:Enquanto esperamos a vinda gloriosa do Senhor

Quando Deus criou o homem fez uso do pó, mas introduziu Sua essência ao soprar nas narinas do homem. Isso significa que nascemos sim do pó e a ele voltaremos, mas entre o nascer dele e o voltar para ele existe um intervalo. Então, é justamente esse intervalo o período mais importante da nossa existência. É nele que decidimos quem seremos, o que faremos, se queremos ser participantes da Igreja triunfante. Esse intervalo para nós é um convite divino aguardando nossa resposta, e no vocabulário do céu ele se chama: vida no Espírito Santo!

O intervalo é o tempo mais precioso que possuímos. É ele que comprova se você está atingindo a estatura de Cristo ou não. O que você está fazendo em seu intervalo?

Temos na vida dos santos a inspiração que precisamos para buscar viver no Espírito. Encerro este artigo na certeza de que você aceitará a santa proposta de viver por Cristo, como Cristo e em Cristo para que, ao fim de sua Quaresma, no terceiro dia, ressuscite com Ele.


Evandro Nunes

Membro da Renovação Carismática Católica na Diocese de Santo Amaro (SP), Evandro Nunes tem se dedicado à vida missionária desde 2010, exercendo o Ministério da Pregação em todo o Brasil e no exterior. Casado, Nunes também é autor dos livros ‘Do Céu para você’ e ‘Se Tu queres Senhor, eu quero’, ambos lançados pela Editora Canção Nova.

comentários