confira

Curiosidades sobre os lugares onde viveu São João Batista

Diversos locais, na Terra Santa, são associados à vida de São João Batista desde o seu nascimento até o martírio. A região montanhosa, que hoje se chama Ain Karem, foi onde Isabel recebeu a visita da Virgem Maria quando estava grávida de seis meses. No Santuário da Visitação, há ainda uma pedra na qual se acredita que João precisou ser escondido quando Herodes mandou matar os recém-nascidos.

Por onde passou João Batista?

Acerca de 500 metros abaixo, foi o lugar, segundo a tradição, da natividade do precursor de Jesus. Na Igreja de São João Batista, que guarda a gruta de seu nascimento, Zacarias exclamou, cheio do Espírito Santo: “E tu, menino, serás chamado profeta do Altíssimo, porque precederás o Senhor e lhe prepararás o caminho”. Uma oração em diferentes idiomas, que está no pátio do santuário.

Fotos: Gracielle Reis.

Não distante dali, encontramos a Igreja de São João do Deserto, que revela os trechos das Escrituras sobre João: “O menino crescia e se fortalecia no espírito; e viveu no deserto até o dia em que havia de revelar-se publicamente a Israel.”

Outro importante lugar é relacionado à missão do precursor de Jesus, o deserto da Judeia, onde viveu boa parte de sua vida em profunda penitência e oração. As Sagradas Escrituras apresentam que ele usava um traje de pelo de camelo, com um cinto de couro à volta dos rins; alimentava-se de gafanhotos e mel silvestre. Foi aí também que anunciava a conversão. Era a voz que clamava no deserto.

Leia mais:
::Santo do dia
::Por que ser devoto de um santo canonizado pela Igreja?
::Quem foi São Longuinho?
::Por que São Francisco é o protetor dos animais?

Sua trajetória também se deu em Jericó, uma das cidades mais antigas do mundo, e onde está um dos trechos do Rio Jordão. Aqui, o próprio Cristo foi batizado. Sobre o Filho de Deus, João disse não ser digno de desamarrar as suas sandálias.

E, de Jericó, é possível avistar a Jordânia e Macheronte, onde está o castelo de Herodes, local que assinala onde o profeta foi morto. Uma vida de radicalidade e de preparo dos caminhos do Senhor. João Batista, ao anunciar a verdade e denunciar as injustiças, mexeu com estruturas de seu tempo, e isso o levou ao martírio. Um grande modelo, para os dias de hoje, de ousadia e anúncio da !

banner espiritualidade


Gracielle Reis

Missionária da Comunidade Canção Nova, carioca, jornalista pela Universidade Federal Fluminense (UFF) e bacharel em História pela Universidade do Estado do Rio de Janeiro (Uerj), Gracielle já atuou em coberturas jornalísticas nacionais e internacionais, especialmente na Terra Santa. A jornalista tem experiência em rádio, TV e plataformas digitais, além de projetos de evangelização nacionais para a juventude. A missionária também é membro do Grupo de Estudos na Teologia do Corpo da Arquidiocese do Rio de Janeiro.

Contatos:
Instagram: @graciellereiscn

comentários