Pecado Capital

Soberba, o pior de todos os pecados

A soberba faz a pessoa se sentir como se fosse a fonte de seus próprios bens materiais e espirituais

Queridos irmãos, Deus tem um plano para nós, que inclui felicidade e salvação. Pecamos quando erramos o alvo em nossa vida e pagamos o preço, ou seja, as consequências de nossas escolhas erradas. Mas é possível reconhecer que erramos, começar tudo de novo e refazer a nossa caminhada. Deus sempre nos espera de braços abertos como o pai do filho pródigo (cf. Lc 15,11-32). Refletir sobre o pecado da soberba e suas consequências em nossa vida pode nos ajudar muito a entendê-lo melhor e a fugir dele. Medite a Palavra de Deus para você hoje.

Soberba, o pior de todos os pecados
Foto: © Alex Brosa, iStock.by Getty Images

Vamos, com mais um exercício espiritual, refletir sobre o pecado do orgulho ou soberba:

A soberba é o pior de todos os pecados capitais. É o que levou os anjos maus a se rebelarem contra Deus, levou Adão e Eva à desobediência e ao pecado original. Alguém disse que o orgulho é tão enraizado em nós, por causa do pecado original, que “só morre meia hora depois do dono”. Por outro lado, por ser o oposto da soberba, a humildade é grande virtude, a que mais caracterizou o próprio Jesus, “manso e humilde de coração” (cf. Mt 11,29), e também marcou a vida de Maria, “a serva do Senhor” (cf. Lc 1, 38), José e todos os santos da Igreja.

Leia mais:
:: Soberba, a cultura do ego
:: Doenças espirituais causadas pelos pecados capitais
:: Por que temos de sofrer as consequências do pecado de Adão e Eva?
:: Evitemos as ocasiões de pecado

O demônio não pode nada contra uma alma humilde

São Vicente de Paulo ensinava a seus filhos que o demônio não pode nada contra uma alma humilde, uma vez que, sendo ele soberbo, não sabe se defender da humildade. Por isso, com essa arma, o maligno foi vencido por Jesus, Maria, José, São Miguel e os santos. A soberba consiste em a pessoa se sentir como se fosse a “fonte” dos seus próprios bens materiais e espirituais. Acha-se cheia de si mesma e se esquece de que tudo vem de Deus e é dom do Alto, como disse São Tiago: “Toda dádiva boa e todo dom perfeito vêm de cima: descem do Pai das luzes” (Tg 1,17).

O soberbo se esquece de que é uma simples criatura, que saiu do nada pelo amor e chamado de Deus, e que, portanto, depende do Senhor em tudo. Como disse Santa Catarina de Sena, a soberba “rouba a glória de Deus”, pois quer para si as homenagens e os aplausos que pertencem só a Ele. São Paulo lembra aos coríntios que “nossa capacidade vem de Deus” (II Cor 3,5). Aos romanos ele disse: “Não façam de si próprios uma opinião maior do que convém, mas um conceito razoavelmente modesto” (Rm 12,3). “Não vos deixeis levar pelo gosto das grandezas; afeiçoai-vos com as coisas modestas. Não sejais sábios aos vossos próprios olhos” (Rm 12,16). Aos gálatas, o apóstolo dos gentios destacou: “Quem pensa ser alguma coisa, não sendo nada, engana-se a si mesmo” (Gl 6,3). A soberba tem muitos filhos: orgulho, vaidade, vanglória, arrogância, prepotência, presunção, autossuficiência, amor-próprio, exibicionismo, egocentrismo, egolatria.

Podemos dizer que a soberba é a “cultura do ego”. Você já reparou quantas vezes por dia dizemos a palavra “eu”? “Eu vou, eu acho, eu penso que, eu prefiro…” A luta do cristão é para que essa “força” puxe-o para Deus e não para o ego. Jesus, nosso modelo, afirmou: “Não busco a minha glória” (Jo 8,50). São Paulo insistia no mesmo ponto: “É porventura, o favor dos homens que eu procuro ou o de Deus? Por acaso tenho interesse em agradar aos homens? Se quisesse ainda agradar aos homens, não seria servo de Deus” (Gl 1,10).

A soberba é o oposto da humildade

A soberba é o oposto da humildade, palavra esta que vem de “húmus”, aquilo que se acha na terra, pó. O humilde é aquele que reconhece o seu “nada”, embora seja a mais bela obra de Deus sobre a Terra, a glória d’Ele, como dizia Santo Irineu, já no século II. São Leão Magno, Papa e doutor da Igreja, no século V, ressaltou: “Toda a vitória do Salvador dominando o demônio e o mundo foi iniciada na humildade e consumada na humildade!”.

Doutrina da Igreja

Adão e Eva, sendo criaturas, quiseram “ser como deuses” (cf. Gen 3,5). Jesus, sendo Deus, fez-se Criatura. Da manjedoura à cruz do Calvário, toda a vida de Cristo foi vivida na humildade e na humilhação. Por isso, Ele afirmou que, no Reino de Deus, os últimos serão os primeiros e quem se exaltar será humilhado. Façamos como Santa Teresinha do Menino Jesus, que procurava o último lugar. Nosso Senhor Jesus já nos deu a receita para vencermos o orgulho e a soberba: a virtude da humildade.

Oração diante das tentações

Mãe querida, acolhe-me em teu regaço, cobre-me com teu manto protetor e, com esse doce carinho que tens por teus filhos, afasta de mim as ciladas do inimigo e intercede intensamente para impedir que suas astúcias me façam cair. A ti me confio e em tua intercessão espero. Enchei o meu coração das virtudes da humildade e mansidão, que são qualidades que a senhora imprimiu no teu filho Jesus Cristo. Amém.

Porque confessar. como confessar


Padre Luizinho

Padre Luizinho, natural de Feira de Santana (BA), é sacerdote na Comunidade Canção Nova. Ordenado em 22 de dezembro de 2000, cujo lema sacerdotal é “Tudo posso naquele que me dá força”. Twitter: http://@peluizinho

Evite nomes e testemunhos muito explícitos, pois o seu comentário pode ser visto por pessoas conhecidas.