entenda

Você sabe o que é a Santa Missa e qual sua importância?

Entender a Santa Missa para vivê-la bem

Começamos, agora, uma série de artigos sobre a Santa Missa. Assim, perceberemos a importância de celebrar e viver bem os sagrados mistérios. Nesta série de artigos, aprenderemos sobre a Missa e seus elementos, o lugar dos fiéis, a disposição dos objetos, as leituras e orações na Missa, as festas litúrgicas, os tempos litúrgicos especiais e “o que é necessário para celebrar a Missa?”.

Neste primeiro artigo, vamos entender o que a Igreja chama de Liturgia, o que é o sacramento da Eucaristia e em que partes a Missa se divide. O convite para você, que irá ler cada artigo, é contemplar a beleza da nossa Santa Igreja Católica, a qual, ao longos dos séculos, com o auxílio do Espírito Santo, pode se organizar e seguir as inspirações de Deus por meio das Sagradas Escrituras, Sagrada Tradição e Sagrado Magistério. Vamos juntos mergulhar nesse esplendor de beleza da Igreja.

Você sabe o que é a Santa Missa e a sua importância?

Foto ilustrativa: Wesley Almeida/cancaonova.com

A Liturgia da Santa Missa

Em modos gerais, a Liturgia é o culto público que o povo presta a Deus. É um ato público, serviço prestado, que acontece como um diálogo entre Deus e Seu povo. Para nós, a Liturgia Católica torna célebre, dá a honra e a importância necessária para os santos mistérios. Ela é instituída pelo próprio Cristo e são os atos que Cristo realizou quando se encarnou que dão teor ao ato para esse seja litúrgico. O Papa Paulo VI promulgou uma constituição sobre a Sagrada Liturgia e no seu n° 33 diz o seguinte: “na Liturgia, Deus fala ao Seu povo, e Cristo continua a anunciar o Evangelho. Por outro lado, o povo responde a Deus com o canto e a oração”. Ela simboliza as realidades invisíveis.

Na Liturgia, a Santíssima Trindade é adorada. O Pai é a fonte e fim de todas as bênçãos, o Cristo que está junto do Pai derrama o Espírito Santo na Igreja. Nessa atitude das três pessoas da Trindade, entendemos que a Santa Missa tem duas dimensões, a de sacramento, que atualiza a ceia pascal, e a de sacrifício, que atualiza a redenção de Cristo na Cruz. Essas duas realidades encontradas na Santa Missa, permitem que entendamos quando o Catecismo da Igreja Católica (CIC), no n° 1324, diz que a Eucaristia é a fonte e ápice de toda a vida cristã. O Catecismo no n° 1326 ainda continua: pela Santa Missa,  nós nos unimos à Liturgia do céu e antecipamos a eternidade.

Atitudes importantes que nós católicos devemos saber é que precisamos “celebrar o que cremos e crer no que celebramos”. Quando vivemos essas duas atitudes, estamos fazendo da nossa vida “verdadeiras liturgias”. Colocando a todo momento a Trindade em nossos atos.

O que é o Sacramento da Eucaristia?

A Santa Missa, também chamada de Eucaristia, é o memorial perpétuo da Paixão, Morte e Ressurreição de Jesus Cristo. Ela é composta de duas partes essenciais, que são a Liturgia da Palavra e a Liturgia Eucarística, e essas são inseparáveis! Para que seus efeitos sejam aproveitados, é necessário que haja uma preparação prévia tanto por parte daqueles que organizam suas devidas partes litúrgicas, quanto dos demais que participam como fiéis.

Entendendo que a Missa é essa celebração do Mistério Pascal de Cristo, é o próprio Jesus quem nos convida a vivenciarmos tão grande mistério: “Em verdade, em verdade vos digo: se não comerdes a Carne do Filho de homem e não beberdes o seu Sangue, não tereis a vida em vós” (Jo 6,53). Sabendo o quão importante é a Eucaristia, o apóstolo Paulo nos orienta a não participarmos da Santa Missa de qualquer forma, mas antes nos prepararmos bem. O apóstolo nos diz: “Examine-se cada um a si mesmo e, assim, coma o pão e beba do cálice, pois quem come e bebe sem distinguir devidamente o corpo, come e bebe sua própria condenação” (1Cor 11,28-29).

Ainda entendendo um pouco mais sobre o Sacramento da Eucaristia, vejamos o que diz São Leonardo de Porto-Maurício: o sacrifício oferecido em cada Santa Missa é o mesmo oferecido na Cruz, a única diferença é o modo. Na Cruz o sacrifício foi com o derramamento de sangue, ou seja, de forma cruenta; já na Eucaristia, não há derramamento de sangue, ou seja, ele é incruento. A vivência da Santa Missa nos proporciona as graças da nossa redenção.

Leia mais:
::As crianças também podem fazer a comunhão espiritual?
::O Cristianismo é a religião da Palavra de Deus? Por quê?
::Você já parou para pensar como seria o mundo sem religião?
::A missão de fé dos leigos na vida cotidiana e na Igreja

A Missa e suas partes

Como foi visto acima, de maneira geral a Eucaristia pode ser dividida em duas partes essenciais, a Liturgia da Palavra e a Liturgia Eucarística. Poderíamos ainda fazer uma subdivisão em: ritos iniciais, Liturgia da Palavra, Liturgia Eucarística, rito da Comunhão e ritos finais. Porém, ficaremos, neste momento, com a divisão em duas partes.

Na Liturgia da Palavra, Deus fala ao Seu povo. Essa parte inicia-se com a proclamação da primeira leitura e vai até a oração dos fiéis. Quando a Palavra é proclamada, ela se torna viva e eficaz, gerando naqueles que bem recebem seus devidos frutos. Abro, aqui, um parênteses para salientar que a Palavra de Deus merece o máximo respeito, assim, aquele que irá anunciar a Palavra não poderá fazer de qualquer forma. É necessário estar com vestes apropriadas, com boa postura, realizar solenemente, com voz clara, pausada e com boa pronúncia. O convite que a proclamação da Palavra nos faz é de colocarmos em prática aquilo que foi anunciado.

Com a apresentação dos dons que serão consagrados, inicia-se a Liturgia Eucarística. Neste momento, todo o povo de Deus vive ativamente, presidido por um sacerdote. Dessa forma, todos os gestos, palavras e preces levam a assembleia a participar da Ceia que Jesus desejou celebrar ardentemente com seus discípulos. A oferenda do pão e do vinho recebidos pelo sacerdote é o próprio ato de Cristo na última ceia. Com a invocação do Espírito Santo sobre as ofertas, elas se tornam o Corpo e o Sangue de Jesus.

Após entendermos um pouco sobre as partes da Santa Missa, vivamos cada vez melhor esse encontro entre nós e Deus.


Fábio Nunes

Francisco Fábio Nunes
Natural de Fortaleza (CE), é missionário da Comunidade Canção Nova e candidato às Ordens Sacras. Licenciado em Filosofia pela Faculdade Canção Nova, Cachoeira Paulista (SP), Fábio Nunes é também Bacharelando em Teologia pela Canção Nova, Cachoeira Paulista (SP) . Atua no Departamento de Internet da Canção Nova, no Santuário do Pai das Misericórdias e nos Confessionários.

Evite nomes e testemunhos muito explícitos, pois o seu comentário pode ser visto por pessoas conhecidas.