Plenitude no futuro

Teologia da esperança

A esperança tem seu fundamento em nossa história pessoal e em toda a história do mundo

Pensa-se, muitas vezes, que a esperança está relacionada ao desejo de um futuro tranquilo, no entanto, não é tão simples assim, pois se esta não apontar a direção da verdadeira felicidade, será ilusão.

Teologia da esperança
Foto: Arquivo/cancaonova.com

Na vida, possuímos poucas certezas, e muito do que possuímos nos pode ser tirado a qualquer momento. Temos e podemos perder, a qualquer instante, a nossa saúde, bens, amigos, familiares etc. Podemos perder até mesmo nossa própria vida; contudo, existem algumas coisas que compõem as certezas maiores, dentre elas está o nosso passado, a história que temos, a qual não pode ser roubada de nós. Pode-se até mudar a interpretação dela, mas ela mesma não pode ser mudada. Até o próprio Deus respeita isso e pode mudar o curso da nossa história (futuro), e o reflexo dela em nós (presente), mas o passado mesmo o Senhor não mexe. O passado que temos é realmente estável e, por isso, imutável.

Assim, surge a necessidade de uma boa reconciliação com ele, com a história de nossa vida, com os dias que já vivemos, já que eles não serão mudados. De um olhar misericordioso sobre a própria história, encontramos o desejo de um futuro imensamente melhor.

O curso da vida

Nesse contexto, encontramos a presença de Deus na Sagrada Escritura. O Senhor muda o curso da vida de um povo a partir de Abraão (cf. Gn 12), e dessa mudança vai dando sinais de que é confiável, revela seu nome (cf. Ex 3,14), retira o povo da escravidão do Egito (cf. Ex 13-14) e cumpre todas as promessas que faz. Para que isso? Para dar ao Seu povo a certeza de ser confiável e escrever na história dos homens a história de Seu amor, uma história divina. Todas essas coisas já aconteceram e fazem parte do passado, pois fatos ocorridos fazem parte de uma história que não muda.

Leia mais: 
:: Como posso ter esperança de que o futuro será melhor?
:: 10 motivos para não perder a esperança
:: Como manter a confiança diante das dificuldades
:: Os benefícios do tempo de espera

Reside, aqui, a esperança, o seu fundamento: olhando os fatos do passado, sente-se o desejo de experimentá-los no presente e tê-los em plenitude no futuro. A esperança tem seu fundamento na história pessoal e também em toda a história do mundo. Vemos que a vida pode ser vivida e ter mais sentido do que a vivemos e temos, e aqui encontramos a alegria e a motivação para viver, sabendo que, mesmo que a trajetória seja dura, marcada por dificuldades, o ponto de chegada é capaz de nos animar.

O que esperar?

Nossa esperança precisa apontar na direção das coisas que não possuem data de validade, ou seja, que hoje estão conosco e amanhã nos abandonam. Lembra-nos o salmista: ““Sei que a glória do Senhor eu hei de ver na terra dos viventes”” (Sl 26,13), e, diante disso, percebendo que a glória de Deus se realiza nas vitórias diárias, grandes e pequenas, que ocorrem na dureza de nossas vidas, ainda incentiva: ““Espera no Senhor e sê forte! Fortifique o teu coração e espera no Senhor”” (Sl 26,14). Esperança e força estão diretamente ligadas. Não como um apenas “aguardar”, mas como alguém que se coloca em ação. Por isso a qualidade de nossa vida depende do fôlego de esperança que temos.


Padre Xavier

Padre Antônio Xavier Batista, sacerdote na Comunidade Canção Nova ordenado em 16 de dezembro de 2007, é formado em Filosofia, Teologia e Mestre em Ciências Bíblicas e Arqueologia pela Pontifícia Universidade Antoniana (Studium Biblicum Franciscanum de Jerusalém). Twitter: @padrexaviercn

Evite nomes e testemunhos muito explícitos, pois o seu comentário pode ser visto por pessoas conhecidas.