eucaristia

Qual é o real valor e a dignidade da Santa Missa?

O sacrifício eucarístico nos é apresentado por meio da celebração da Santa Missa

Muitos cristãos vão à Missa sem saber o que estão celebrando. Como sabemos, o ser humano é motivado por aquilo que ele considera importante e necessário para sua vida. Mas como continuar participando da Eucaristia, se não existe motivação suficiente? Você sabe qual é o real valor da celebração da Santa Missa? Vamos, então, encontrar essa resposta a partir do ensinamento da Igreja.

-Qual-é-o-real-valor-e-dignidade-da-Santa-Missa?-Foto: Arquivo CN/cancaonova.com

Amor incondicional

A Igreja sempre acreditou nesta verdade, porém, com o Concílio Vaticano II, ficou ainda mais evidente que o sacrifício eucarístico é fonte e centro de toda a vida cristã. Na Carta Encíclica, Ecclesia de Eucharistia, de sua Santidade São João Paulo II, vemos que ele diz: “Na Santíssima Eucaristia, está contido todo o tesouro espiritual da Igreja, isto é, o próprio Cristo, a nossa Páscoa e o pão vivo que dá aos homens a vida mediante a sua carne vivificada e vivificadora pelo Espírito Santo”. (Ecclesia de Eucharistia, n. 1).

É por esse motivo que, todos os dias, a Santa Mãe Igreja volta-se para o seu Senhor, presente no altar, onde descobre o seu amor incondicional. Na mesma Carta Encíclica, o Papa ainda diz: “A Igreja vive da Eucaristia. Esta verdade não exprime apenas uma experiência diária de fé, mas contém, em síntese, o próprio núcleo do mistério da Igreja”. (Ecclesia de Eucharistia, n. 1).

A Instrução Geral do Missal Romano afirma que, na “Eucaristia, culmina toda a ação pela qual Deus, em Cristo, santifica o mundo, bem como todo o culto pelo qual os homens, por meio de Cristo, Filho de Deus, no Espírito Santo, prestam adoração ao Pai. Nela, comemoram-se também, ao longo do ano, os mistérios da Redenção, de tal forma que eles se tornam, de algum modo, presentes. Todas as outras ações sagradas e todas as obras da vida cristã com ela estão relacionadas, dela derivam e a ela se ordenam” (IGMR, n.16).

A Eucaristia é o dom mais precioso da Igreja

Na exortação Apostólica Pós-Sinodal, Sacramentum Caritatis, de nosso querido Papa emérito Bento XVI, ele diz que, na Celebração Eucarística, celebrada todos os dias, “o Senhor vem ao encontro do homem, criado à imagem e semelhança de Deus (Gn 1, 27), fazendo-Se seu companheiro de viagem. Com efeito, neste sacramento, Jesus torna-Se alimento para o homem, faminto de verdade e liberdade” (Sacramentum Caritatis, n.2). O próprio Senhor, sabendo que só a verdade pode tornar verdadeiramente o homem livre (Jo 8, 36), Ele mesmo se faz alimento de verdade diariamente na Santa Missa para nós.  

Leia mais:
::Qual o papel de Nossa Senhora na história da salvação?
::O que são as relíquias? Elas podem ser veneradas?
::É possível provar a existência de Deus usando somente a razão?
::Qual é o verdadeiro significado do sinal da cruz?

Com essas palavras, a Igreja quer mostrar a máxima importância da celebração da Santa Missa, quer evidenciar a eficácia e dignidade da Celebração Eucarística, por ser a ação de Cristo e da Igreja. É possível que a má participação na Eucaristia seja consequência da não consciência do que está sendo celebrado.

Se todos os fiéis souberem o real valor da Eucaristia, participarão mais ativamente da Santa Missa. Tendo consciência de que a Eucaristia é o dom mais precioso da Igreja, teremos motivação suficiente para participarmos, se possível, todos os dias da Santa Missa.


Elenildo Pereira

Candidato às Ordens Sacras na Comunidade Canção Nova. Licenciado em Filosofia pela Faculdade Canção Nova, Cachoeira Paulista (SP).  Bacharelando em Teologia pela Faculdade Dehoniana, Taubaté (SP) e pós-graduando em Bioética pela Faculdade Canção Nova. Atua no Departamento de TV da Canção Nova, no Santuário Pai das Misericórdias e Confessionários.

Evite nomes e testemunhos muito explícitos, pois o seu comentário pode ser visto por pessoas conhecidas.